Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Telefone: (15) 3331-8990
Facebook Twitter LinkedIn Pinterest Instagram
Notícias

RSS Feed - Mantenha-se Informado


23/07 - Quem é Muhammad Yunus, banqueiro vencedor do Nobel da Paz e, agora, premiado com o Louro Olímpico
Economista de Bangladesh foi premiado na abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio pela criação da "Yunus Sports Hub", uma organização que promove o empreendedorismo social ligado ao esporte. Muhammad Yunus faz palestra em Belo Horizonte Alex Araújo/G1 MG O economista e vencedor do prêmio Nobel da Paz Muhammad Yunus recebeu nesta sexta-feira (23) o Louro Olímpico, na abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O reconhecimento é concedido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) a personalidades que promovam o desenvolvimento social por meio do esporte. Natural de Bangladesh, o "Professor Yunus" foi premiado pela criação da "Yunus Sports Hub", uma organização que promove o empreendedorismo social ligado ao esporte. A ideia é apoiar projetos esportivos autossustentáveis e que ataquem problemas sociais. Além da entidade, o economista ajudou a desenvolver projetos do COI com ex-atletas olímpicos, focados na transição da carreira esportiva para os negócios e na formação de líderes. 'Por que queremos voltar ao mesmo mundo que destruiremos em alguns anos?', questiona Nobel da Paz Yunus nasceu em 1940, é muçulmano não-praticante e estudou Ciências Econômicas em Nova Délhi. Posteriormente, ampliou seus estudos nos Estados Unidos com bolsas das instituições Fullbright e Eisenhower. Voltou a seu país em 1972 para dirigir o departamento de Economia da Universidade de Chittagong. Mas foram os projetos sociais que se tornaram a força-motriz para que Yunus fosse premiado também com o Nobel da Paz, em 2006. Ele foi reconhecido pela criação do Grameen Bank, instituição especializada na concessão de microcrédito a pessoas de baixa renda. O banco foi fundado em 1976, e a ambição de Yunus no longo prazo era justamente contribuir para erradicar a pobreza do mundo por meio de microcréditos, que beneficiam especialmente as mulheres. Nosso papel é tirar as pessoas da pobreza, afirma Muhammad Yunus À época do Nobel, os tomadores de empréstimo do Grameen chegavam a 3,8 milhões de pessoas. Cada um deles se tornavam acionistas do banco e nada menos que 98% eram mulheres. Hoje, são mais de 9,3 milhões. O Comitê Nobel afirmou que os "microcréditos se tornaram uma importante força de libertação em sociedades nas quais as mulheres precisam lutar contra um entorno social e econômico repressivo". Yunus passou a ser reconhecido como "banqueiro dos pobres". Dali até o fim de 2010, Yunus manteve uma disputa pública com as autoridades de seu país devido a um documentário da uma emissora norueguesa que denunciou uma suposta transferência ilegal de fundos entre duas entidades do Grupo Grameen. Prêmio Nobel da Paz ensina a redesenhar o mundo com negócios sociais A cena política bengalesa era dominada pela primeira-ministra Sheikh Hasina e sua opositora Khaleda Zia, herdeiras de dinastias políticas. Yunus tentou abrir uma terceira via com a formação de um partido antes das eleições de 2008, abrindo divergência com as forças estabelecidas. O Governo de Bangladesh chegou a reconhecer que o banco não incorreu na irregularidade denunciada pelo documentário, baseando-se nas conclusões do comitê de especialistas nomeado em janeiro para examinar suas atividades. Mas Yunus renunciou ao seu cargo de diretor-executivo do Grameen em 2011. Abertura das Olimpíadas de Tóquio acontece nesta sexta-feira (23) Louro Olímpico O Louro Olímpico passou a ser concedido a partir dos Jogos Olímpicos Rio 2016. O primeiro contemplado pelo COI foi o ex-atleta queniano Kip Keino, que conquistou duas medalhas de ouro no atletismo de média e longa distância noss Jogos da Cidade do México (1968) e de Munique (1972). Depois de deixa o atletismo, Keino abriu três projetos sociais. O mais antigo, criado logo depois de sua aposentadoria em 1973, atende mais de 100 crianças órfãs no Quênia. Em 1999, foi inaugurada a Kip Keino School para oferecer estudo e atividades esportivas para mais de 300 crianças de uma região isolada no país. Por fim, em 2002, Keino abriu a High Performance Training para acolher atletas promissores do Quênia. Keino também foi presidente do Comitê Olímpico Queniano.
Veja Mais

23/07 - ONS prevê dificuldade de atender demanda de energia em novembro e país pode ter que aumentar importação
Nota técnica divulgada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico mostra a possibilidade de déficit de potência de energia no fim do ano. Segundo o ONS, isso obrigaria o país a importar 2 mil MW de potência por dia, o equivalente às produções diárias de Angra 1 e 2. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) emitiu nota técnica na quinta-feira (23) prevendo dificuldades para atender a demanda de energia do país em novembro. Essa dificuldade viria do “esgotamento de praticamente todos os recursos [de potência de energia] no mês de novembro”. Ou seja, o operador vê o risco de faltar potência de energia a partir desse mês, fim do período seco e início do período chuvoso. Grande parte das represas no país passa por um período de baixos níveis de água, em consequência das poucas chuvas. “Com relação ao atendimento aos requisitos de potência, observam-se sobras bastante reduzidas no mês de outubro, com o esgotamento de praticamente todos os recursos no mês de novembro”, concluiu o ONS. A oferta de potência é importante para garantir o fornecimento contínuo de energia ao país. O sistema elétrico nacional opera com as chamadas “sobras de energia”, que são acionadas quando há momentos de alta de demanda. Crise hídrica: Usina de Itaipu tem menor geração de energia em 27 anos Uma situação de déficit de potência levaria o país a ter dificuldades para atender a demanda por energia em momentos de alta do consumo, como no horário de pico, o que poderia levar a situações pontuais de blecaute. Tradicionalmente, a partir de novembro o país registra um aumento do consumo de energia, em virtude das temperaturas mais altas. Porém, o país chegará a esse mês com falta ou nenhuma “sobra de energia”, segundo o ONS. Mesmo com o início do período chuvoso, o nível dos reservatórios das hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste – que representam 70% da geração de energia do país – demorarão para encher. A previsão é que em novembro eles estejam em cerca de 10%, segundo o ONS, nível abaixo das mínimas históricas e considerado “crítico”. Cenários Reservatórios de água estão baixos em 10 estados no Brasil O ONS analisou dois cenários para o fornecimento de energia em novembro: um mais conservador e outro de maior consumo. No cenário conservador, a sobra de potência em novembro seria praticamente nula, de 144 MW (megawatt). Normalmente, o sistema precisa operar com 15 mil MW de reserva para não ter risco no fornecimento. No segundo cenário, de maior consumo de energia, faltaria 2 mil MW de potência em novembro, sendo necessário o aumento da importação de energia para garantir o fornecimento ao país. Para efeitos de comparação, o Brasil, nesse segundo cenário, teria de importar o equivalente as usinas “Angra 1 e 2”, que têm potência total de 2 mil MW. Em nota, o ONS diz que, nos dois cenários analisados, não “há risco de desabastecimento elétrico, mesmo diante das piores sequências hidrológicas de todo o histórico de vazões dos últimos 91 anos”. Contudo, diz que as projeções podem ser revistas novamente no curto prazo em caso de alteração dos parâmetros utilizados. O ONS considerou um crescimento da economia 4,5% neste ano e despacho térmico de 16 mil MW médios. O mercado financeiro projeta alta de 5,26% para o Produto Interno Bruto (PIB), segundo o último Boletim Focus, do Banco Central (BC). Já a capacidade térmica instalada do país é de cerca de 22 mil MW, mas muitas usinas não estão disponíveis para uso. Motivos O risco do déficit de potência de energia se dá por dois principais fatores. Primeiro, por causa da crise hídrica, a pior dos últimos 91 anos, que tem levado ao esvaziamento dos reservatórios das hidrelétricas e maior acionamento das usinas termelétricas. O país já está usando praticamente todas as usinas térmicas disponíveis. O segundo motivo, aponta o ONS, é o aumento da demanda de energia, no embalo da recuperação econômica. “O crescimento observado das atividades do comércio e serviços, além da manutenção do ritmo elevado da produção industrial, principalmente daquelas voltadas para exportação, resultam em uma expectativa de crescimento da carga superior ao que vinha sendo considerado nos estudos prospectivos anteriores”, disse o operador. Recomendações Diante desse cenário, o ONS recomenda ao governo que mais medidas sejam adotadas para garantir o fornecimento de energia ao país no fim do ano: aumento da flexibilização do nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas; utilização dos reservatórios das usinas hidrelétricas das bacias do Rio Grande e do São Francisco; postergação das manutenções programadas das usinas termelétricas; e conclusão dos estudos para contratação adicional de energia. As sugestões serão avaliadas pela Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG), criada pelo governo para gerir a crise hídrica, e pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), ambos presididos pelo Ministério de Minas e Energia. A nota técnica emitida na quinta atendeu à solicitação do Ministério de Minas e Energia para o ONS revisar a "Avaliação das Condições de Atendimento Eletroenergético do Sistema Interligado Nacional (SIN)". VÍDEOS: veja mais notícias de economia
Veja Mais

23/07 - Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas
Baixo nível de educação faz país ter desocupação alta mesmo em situação normal Com a aceleração da vacinação na maior parte do país, os brasileiros já começam a vislumbrar uma luz no fim do túnel da pandemia do coronavírus. Diante da perspectiva de gradual volta à normalidade, espera-se que a taxa de desemprego – que se manteve no trimestre encerrado em abril no nível recorde de 14,7% – possa voltar a cair, e parte dos 14,8 milhões de desempregados e 6 milhões de desalentados (pessoas que desistiram de procurar emprego) consigam se recolocar no mercado de trabalho. Desemprego sobe para 14,7% no 1º trimestre e atinge recorde de 14,8 milhões de brasileiros Banco Mundial sugere ao Brasil ampliar políticas para informais e reformular seguro-desemprego Açougue tem fila para doação de ossos em Cuiabá para famílias carentes No entanto, mesmo quando a crise passar e a economia voltar à normalidade, o Brasil não deve registrar uma taxa de desemprego inferior a cerca de 10%, avaliam analistas, o que significa que aproximadamente 10 milhões de pessoas seguirão desocupadas. Isso porque essa seria a chamada taxa de desemprego de equilíbrio do país, pelas contas dos economistas. Taxa de desemprego mantém recorde em abril Economia/G1 Nosso desemprego "natural" é mais alto do que o de países desenvolvidos, em grande medida devido ao baixo nível de formação da mão de obra, alto índice de rotatividade e informalidade, e elevado custo de contratação dos trabalhadores, dizem os especialistas. "Nossa infeliz realidade é de um pleno emprego em que quase 10% da população tem que estar desempregada para que a situação seja considerada estável ao longo do tempo", observa Braulio Borges, economista sênior da LCA Consultores e pesquisador do Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas). Taxa de desemprego fica em 14,7% entre fevereiro e abril; Miriam Leitão comenta "E essa taxa de equilíbrio não quer dizer que a economia vai naturalmente, quase que por inércia, convergir para lá. Pode demorar muito tempo, se a gente deixar os mercados agirem. É preciso política econômica ativa [para reduzir o desemprego]", defende. Desemprego de equilíbrio Os economistas consideram que a taxa de desemprego de equilíbrio de um país é aquela em que o nível de emprego não contribui para acelerar a inflação. Ela é chamada no jargão econômico de Nairu (non-accelerating inflation rate of unemployment, em inglês). "Quando a taxa de desemprego está acima do nível de equilíbrio, isso significa que o mercado de trabalho está num momento ruim e há menor pressão no custo de trabalho", explica Victor Kayo, economista da MCM Consultores. "Num mercado de trabalho deteriorado, os trabalhadores têm menor poder de barganha e menos capacidade para exigir salários melhores. Com essa menor pressão de custos para as empresas, é menor a pressão inflacionária", acrescenta. Na situação contrária, quando a taxa de desemprego fica abaixo do nível de equilíbrio, os trabalhadores têm mais força para pressionar por melhores salários. Com maior renda, demandam mais produtos e serviços. Já os empresários repassam o aumento de custo com salários aos preços. Os dois movimentos contribuem para acelerar a inflação. O leitor deve estar se perguntando: mas então o que diabos está acontecendo no Brasil nesse momento? Por que, com um recorde de 14,8 milhões de desempregados, os preços no supermercado não param de subir? É que a inflação no país atualmente não está sendo puxada por uma demanda aquecida por parte dos consumidores, mas por questões que afetam a oferta dos produtos, como a alta do preço das commodities, a desvalorização do real em relação ao dólar e, mais recentemente, a falta de chuvas que puxou para cima o preço da energia elétrica. Assim, o Brasil vive atualmente o pior cenário possível: desemprego alto e inflação também. Como pode um 'pleno emprego' com 10% de desempregados? "Quando a gente fala de 'pleno emprego', as pessoas naturalmente pensam numa taxa de desemprego igual a zero. Não é isso", explica Borges. "Na maior parte dos países, essa é uma taxa positiva, porque em qualquer momento do tempo há pessoas procurando emprego." O economista da LCA estima que, no Brasil, essa taxa esteja atualmente em 9,5%, mesma estimativa da gestora de recursos Mauá Capital. Já o Itaú Unibanco calcula que a taxa esteja próxima de 10% e a MCM Consultores, em 10,7%. Mas o que explica esse "pleno emprego" com um nível tão alto de desempregados? "A qualificação média da mão de obra no Brasil é muito baixa, não só em termos de anos de estudo – onde o país evoluiu muito nas últimas décadas –, mas na qualidade do ensino", diz o economista da LCA e pesquisador do Ibre-FGV. "Além disso, como há muita rotatividade no mercado de trabalho, isso atrapalha o acúmulo de capital humano no ambiente de trabalho, porque capital humano não é só estudo na escola e na universidade, mas se adquire também trabalhando, interagindo com outras pessoas e executando tarefas mais específicas." Borges cita ainda o elevado índice de informalidade da mão de obra e a ausência de uma política ativa de requalificação de trabalhadores no Brasil. "Países nórdicos, por exemplo, gastam 1,5%, 2% do PIB [Produto Interno Bruto] todos os anos para requalificar mão de obra, pois eles estão conscientes de que as tarefas exigidas pelas empresas estão mudando o tempo todo e é preciso adaptar a mão de obra para isso", afirma. Mercado de trabalho 'engessado' Para Marco Antônio Cavalcanti, diretor adjunto do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), um outro fator que pesa para que o desemprego estrutural do país seja tão elevado é a rigidez da legislação trabalhista brasileira. "Temos um mercado de trabalho muito engessado. Apesar de termos tido uma reforma trabalhista recente, que tentou flexibilizar as relações de trabalho, elas continuam muito rígidas, isso por si só tende a gerar uma taxa de desemprego maior", opina o economista. "Isso tudo se reflete no nível de emprego de equilíbrio. O custo do trabalho é muito alto no Brasil, somando o salário e todas as contribuições que o empregador tem que pagar." Luka Barbosa, economista do Itaú, por sua vez, avalia que tanto o baixo nível educacional, como o alto custo do trabalho explicam nosso desemprego estrutural elevado. "Se você tem um nível de educação melhor na sociedade como um todo, você tem mais pessoas que estão aptas a serem incorporadas no mercado de trabalho, então o desemprego de equilíbrio tende a ser mais baixo", afirma. "Por outro lado, se o salário mínimo é muito próximo do salário médio da economia, isso tende a gerar uma taxa de desemprego mais alta, porque é possível contratar mais gente se o salário mínimo for mais baixo", acredita. Por que a reforma trabalhista de 2018 não reduziu o desemprego estrutural? Em 2018, após a entrada em vigor da reforma trabalhista aprovada durante o governo Michel Temer (MDB), diversos economistas diziam que a mudança contribuiria para reduzir a taxa de desemprego estrutural do Brasil. A reforma, que entrou em vigor em novembro do ano anterior, trouxe mudanças como a regulamentação do trabalho temporário e intermitente, e ampliou as possiblidades de terceirização de atividades. No entanto, passados quase quatro anos da alteração da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), as estimativas dos economistas para a taxa de desemprego de equilíbrio do Brasil em quase nada mudaram. Questionados sobre isso, os analistas argumentam que "ainda é cedo" para avaliar os efeitos da reforma. "É muito cedo ainda para concluir algo", diz Barbosa, do Itaú. "A reforma trabalhista vai sim na direção de reduzir a taxa de desemprego de equilíbrio, mas é muito difícil precisar o quanto ela reduziu. É uma coisa que a gente vai ver depois do fato ocorrer", argumenta. 'Minirreforma' trabalhista em discussão na Câmara No momento atual, a Câmara dos Deputados analisa um projeto de incentivo ao primeiro emprego para jovens de 18 a 29 anos e de estímulo à contratação de maiores de 55 anos desempregados há mais de 12 meses. O Priore (Programa Primeira Oportunidade e Reinserção no Emprego) foi incluído pelo deputado Christino Áureo (PP-RJ) na medida provisória que recriou o BEm em 2021 - benefício emergencial para quem teve jornada reduzida durante a pandemia. Pelo projeto, o governo pagaria um bônus no salário, mas o empregado receberia um FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) menor. A alíquota mensal, que normalmente é de 8%, cairia para 2% (para microempresas), 4% (empresas de pequeno porte) e 6% (demais empresas). O objetivo é reduzir o custo de contratação para os empresários. As mudanças incluídas pelo deputado Áureo estão sendo consideradas uma "minirreforma" trabalhista e vão na linha da proposta de estímulo ao emprego para jovens apresentada pelo ministro da Economia Paulo Guedes em 2019, que perdeu a validade no Congresso. Novamente, os economistas argumentam que a medida pode contribuir para reduzir a taxa de desemprego de equilíbrio do país. "Se conseguirmos avançar na direção de um mercado de trabalho mais flexível e reduzir o custo do trabalho, a tendência é termos um desemprego menor", diz Cavalcanti, do Ipea. Já a oposição vê no projeto uma tentativa de retirar direitos dos trabalhadores. "É como se essas trabalhadoras e trabalhadores fossem uma parcela inferior da sociedade que não faz jus aos direitos trabalhistas do restante. Inadmissível nesse momento", afirmou a líder do PSOL na Câmara, Talíria Petrone (RJ), à Folha de S. Paulo. "Não bastassem todas as restrições e prejuízos temporários impostos pela pandemia, a base do governo Bolsonaro ainda quer se aproveitar desse momento de elevado desemprego e fragilidade dos trabalhadores para fazer uma nova reforma trabalhista, que retira de forma permanente ainda mais direitos", disse Alessandro Molon (PSB-RJ), ao mesmo jornal. O Brasil pode reduzir seu desemprego estrutural? Segundo os economistas sim, mas não será tarefa fácil – e a pandemia pode atrapalhar. "O desemprego estrutural elevado está ligado a problemas de longo prazo que só podem ser enfrentados com reformas estruturais", diz Vitor Kayo, da MCM Consultores. "Educação é o principal fator para conseguir melhorar a capacidade das pessoas no mercado de trabalho e conseguir uma taxa de equilíbrio melhor." Nesse sentido, a pandemia pode atrasar ainda mais esse processo, já que ela provocou uma evasão escolar significativa – em outubro do ano passado, 1,38 milhão de estudantes com idades de 6 a 17 anos (3,8% do total) estavam fora da escola, segundo estudo da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), quase o dobro da média de 2019 (2%). A crise sanitária também levou muitos jovens a desistir do Ensino Superior, o que fica evidente na queda de 31% nas inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) este ano. Com 4 milhões de inscritos, o principal exame de acesso à universidade do país atraiu o menor número de interessados desde 2007. Além da melhora da qualificação da mão da obra, Braulio Borges, da LCA, defende a necessidade de uma política industrial, a exemplo do que tem sido discutido em âmbito internacional por economistas como Daron Acemoglu e Dani Rodrik. "Eles defendem que só com política industrial serão gerados 'good jobs', bons empregos. Porque não adianta só a economia gerar emprego. Não é uma situação muito estável todo mundo trabalhar de Uber e entregador de aplicativo", diz Borges. "É preciso gerar empregos que remuneram bem, que tenham uma certa estabilidade de renda. Esse debate econômico recente coloca que a política pública deve se preocupar não só em gerar mais empregos, mas também com a qualidade desses empregos gerados", afirma. O economista da LCA e do Ibre-FGV cita a proposta que tem sido chamada nos Estados Unidos de "Green New Deal", que é a ideia, defendida por uma parcela do partido Democrata, de se usar a transição para uma economia de baixo carbono, em resposta às mudanças climáticas, como uma oportunidade para gerar empregos de qualidade. Em outra direção, o economista Luiz Fernando Figueiredo, sócio da Mauá Capital, defende que, para reduzir o desemprego estrutural do país, é preciso diminuir o Estado brasileiro. "Hoje, no Brasil, o Estado é grande demais e ele acaba pesando muito sobre o resto do país. Uma das razões do desemprego é que um funcionário custa para a empresa em torno de duas vezes o que ele recebe, então é claro que a empresa vai empregar menos pessoas." Na mesma linha, Marco Antônio Cavalcanti, do Ipea, defende um aprofundamento da reforma trabalhista iniciada em 2018 por Temer. "É melhor o trabalhador ter emprego com uma série de benefícios, mas isso ficar tão caro que ele não seja contratado, ou ter um emprego com menos direitos, mas ter um salário?", questiona o diretor adjunto do Ipea. Argumento semelhante foi usado por Bolsonaro em 2018. "Aos poucos, a população vai entendendo que é melhor menos direitos e [mais] emprego do que todos os direitos e desemprego", disse o presidente à época, defendendo a flexibilização das leis trabalhistas como forma de reduzir o desemprego.
Veja Mais

23/07 - Fila de pessoas aguardando perícia do INSS cai, mas ainda é de quase meio milhão de brasileiros
Após o retorno das perícias presenciais, o número de pessoas na fila reduziu 26% e chegou a 470.710. Especialista faz alerta em relação à qualidade do serviço prestado. Mais de 470 mil pessoas esperavam na fila pela perícia do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em junho. O número representa uma queda de 26% em comparação a março deste ano, quando a perícia presencial ainda começava a ser retomada. Na época, eram 635.780 pessoas na fila. Os dados são do Siube, o Sistema Único de Informações de Benefícios, e foram obtidos com exclusividade pela Globonews. Das 470.140 pessoas na fila, atualmente, a maior parte (76%) aguarda análise do benefício de incapacidade temporária ou permanente. Outros 23% aguardam o Benefício de Prestação Continuada (BPC) — concedido à pessoa com deficiência — e menos de 1% das perícias restantes é de pedidos de aposentadoria de pessoas com deficiência. A retomada da perícia presencial, que aconteceu entre março e abril deste ano, foi um dos fatores que colaborou com a redução da fila, segundo o vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), Diego Cherulli. INSS: entram em vigor novos prazos para análise de benefícios INSS alerta para golpes envolvendo revisões de benefícios; entenda Prova de vida: INSS divulga novo calendário "A redução tem causa nas novas políticas administrativas do INSS, como fazer perícia por meio de documentos e o retorno da perícia presencial. A redução é natural considerando o esforço que o INSS tem feito para reduzir a fila. Mas 470 mil pessoas ainda é um número muito expressivo", afirma o advogado. Mesmo com o retorno da perícia presencial, ainda há a falta desse serviço em diversos municípios. Nesses casos, é necessário que aquele que deve realizar a perícia se desloque para uma cidade maior, normalmente para as capitais, para realizá-la — o que gera dificuldade para alguns requerentes. O vice-presidente do IBDP também alerta que o importante é diminuir a fila com qualidade. "Reduzir a fila com a garantia de um processo justo e efetivo para evitar recursos e judicialização. Ultimamente, temos visto conclusões feitas de qualquer jeito, em alguns casos, literalmente. O que vai gerar retrabalho. Então não é apenas reduzir a fila a qualquer custo, mas evitar o retrabalho, senão é uma redução irreal", diz Cherulli. É o caso de Joyce Bertholdo, de 53 anos, que está entrando com um processo judicial pela quinta vez para ter o benefício garantido. Em 2017, ela foi diagnosticada com fibromialgia e depressão. Apesar de apresentar exames e laudos dos médicos psiquiatra e reumatologista pedindo a dispensa das atividades laborais, a perícia do INSS sempre a considerou apta para o trabalho. “É uma luta árdua, me dá vontade de desistir”, diz ela. “É uma tristeza ter que lutar por um direito que é seu, e que o médico que fica cinco minutos com você tem mais validade do que seus médicos que te acompanham há anos.” Recorrer judicialmente também virou a única opção para Rogério* (nome fictício), de 33 anos. Ele é técnico em radiologia e foi diagnosticado com Síndrome do Túnel do Carpo nas duas mãos, além de um problema no quadril que necessitou de cirurgia. Em fevereiro deste ano, ele fez a perícia médica do INSS, que constatou que ele estava apto para trabalhar. “Foi um dos piores atendimentos da minha vida, extremamente rápido e mecânico. Me trataram como se eu estivesse tentando tirar proveito da situação”, diz Rogério*, que apresentou durante a consulta o exame de ressonância, laudo do reumatologista pedindo afastamento e as liberações do plano de saúde, da cardiologista e da anestesista para a cirurgia no quadril. “Como eu tinha várias coisas para mostrar, eles estavam impacientes. Parecia que eu estava atrasando o serviço deles, que queriam me atender rápido para ir para o próximo”, diz. O advogado Diego Cherulli aponta que a sobrecarga de servidores e de peritos médicos é um dos principais problemas do INSS atualmente. Segundo ele, mesmo antes do represamento gerado pela pandemia, o prazo de 45 dias para atendimento já não era respeitado. No início de 2021, o prazo de 45 dias para análises feitas pelo INSS foi estendido para 60 a 90 dias por meio de um acordo feito com o Supremo Tribunal Federal (STF). Ainda assim, segundo o vice-presidente do IBDP, não é possível ainda ver a efetividade do acordo.
Veja Mais

23/07 - Bovespa opera em queda após três altas seguidas
Na quinta-feira (22), o principal índice da bolsa avançou 0,17%, aos 126.146 pontos. O principal índice de ações da B3, o Ibovespa, opera em queda nesta sexta-feira (23), após três altas consecutivas e em dia de leitura mais alta de inflação no Brasil. Às 12h39, o Ibovespa tinha recuava 0,78%, a 125.160 pontos. Veja mais cotações. Na quinta-feira, a bolsa fechou em alta de 0,17%, aos 126.146 pontos. Com o resultado, a bolsa acumula queda mensal de 0,52% e alta anual de 5,99%. v Cenário Com poucos indicadores internos sendo divulgados, o mercado permanece de olho nos dados lá de fora, como a decisão de política monetária na zona do euro e por dados piores do mercado de trabalho norte-americano – ambos, divulgados na quinta, tendo como pano de fundo um ressurgimento dos receios em torno da Covid-19. Na agenda local, os investidores avaliam os dados da prévia da inflação, divulgada mais cedo, que apontou alta de 0,72% em julho – a mais alta para o mês desde 2004. As notícias de Brasília também seguem no radar, com o governo tentando fortalecer apoio no Congresso, mas às custas de menor autonomia do Ministério da Economia de Paulo Guedes - em meio ao pior momento para o presidente Jair Bolsonaro desde o início de seu mandato e a debates ruidosos em torno da polêmica reforma tributária proposta por Guedes. Variação do Ibovespa em 2021 G1
Veja Mais

23/07 - Escolha de Ciro Nogueira aplacou ira por empréstimo ao Piauí
A liberação de um empréstimo de R$ 800 milhões ao estado do Piauí pelo governo federal é atribuída como o estopim que levou ao anúncio de Ciro Nogueira (PP-PI) para a Casa Civil. Na quarta-feira (14), às vésperas do recesso parlamentar, o "Diário Oficial da União" trouxe a autorização, pelo Ministério da Economia, de uma operação de crédito do estado do Piauí com o Banco do Brasil. O governador, Wellington Dias (PT), adversário político de Nogueira, anunciou com pompa que os recursos, a serem liberados nos próximos 30 dias, serão investidos em segurança e em infraestrutura. Nogueira trabalhava incansavelmente até então para viabilizar sua candidatura ao governo do estado, em uma difícil competição com o PT, que tem boa avaliação no Piauí. O blog ouviu pessoas próximas a Nogueira que presenciaram o ataque de fúria que o senador teve ao ser informado da liberação dos recursos. Ele fez chegar à mensagem ao Palácio do Planalto, comunicando que a relação de confiança havia sido quebrada e se encerrava ali a parceria. Em seguida, viajou para o recesso. Bolsonaro confirma Ciro Nogueira na Casa Civil e recriação do Ministério do Trabalho Os bombeiros entraram em campo, e a solução encontrada pelo governo foi antecipar uma já avaliada mexida nos ministérios, levando o PP – e mais especificamente o senador que preside o partido – à pasta mais importante da esplanada. Liberação de recursos é um tema valioso para parlamentares, em especial do Centrão, grupo do qual Ciro é liderança importante. Seja para seu grupo político, seja para adversários. Há quem diga que não foi por acaso que quem perdeu espaço na esplanada foi o ministro responsável pelo acesso de ira do presidente do PP – o da Economia, que autorizou o empréstimo do Banco do Brasil ao governo do Piauí. A pasta econômica acabou por ceder a área de trabalho, emprego e previdência para um novo ministério, que vai abrigar Onix Lorenzoni, que sai da Secretaria Geral, que abrigará Luiz Ramos, que deixa a Casa Civil, no dominó ministerial adotado pelo presidente. Com a nomeação, Nogueira tem uma perfeita justificativa para não concorrer ao governo do Estado. Mas colegas de Senado dizem que o plano não foi completamente descartado e pode ser reavaliado até abril, quando quem concorre nas eleições de outubro precisa se desincompatibilizar. VÍDEOS: veja mais notícias de política
Veja Mais

23/07 - Cuidado com os filhos contará para aposentadoria das mães na Argentina
Criação de cada filho contará como até três anos de serviço para os 30 que são exigidos para poder se aposentar. Argentina: cuidar dos filhos vai contar para aposentadoria das mães O governo da Argentina decidiu reconhecer a dedicação das mães. O cuidado com os filhos vai contar como tempo de serviço na hora em que a mulher pedir aposentadoria. A medida vai beneficiar de forma imediata ao redor de 155 mil mulheres mães com idades entre 60 e 64 anos, ou seja, já na faixa etária para se aposentar, mas que não têm os 30 anos de contribuição exigidos por lei. Em agosto, todas as mães argentinas vão poder contar como tempo de serviço para a previdência a dedicação materna seguindo alguns critérios. Veja abaixo: será incluído um ano de contribuição para cada filho serão incluídos dois anos de contribuição para cada filho adotado serão incluídos três anos de contribuição para cada filho com deficiência Além disso, as mães que recebem algum tipo de benefício de assistência social, como o equivalente ao Bolsa Família, poderão acrescentar mais 2 anos por filho. A ideia do governo é reconhecer o cuidado que as mães tiveram dedicando tempo aos seus filhos e, em muitos casos, tiveram de interromperam a trajetória da carreira por causa disso.
Veja Mais

23/07 - Dólar opera em queda, abaixo de R$ 5,20
Na quinta-feira (22), a moeda norte-americana subiu 0,43%, cotada a R$ 5,2123. O dólar opera em queda nesta sexta-feira (23), em um dia de recordes nos futuros de ações em Nova York e de leitura mais alta de inflação no Brasil. Às 12h38, a moeda norte-americana recuava 0,72%, vendida a R$ 5,1750. Veja mais cotações. Na quinta-feira, o dólar fechou em alta de 0,43%, a R$ 5,2123. Na parcial da semana, acumula alta de 1,89%. No mês, a divisa tem avanço de 4,82%. No ano, acumula alta de 0,48%. l Cenário A semana vem sendo de volatilidade na moeda, depois de uma forte alta na segunda-feira. Com poucos indicadores internos sendo divulgados, o mercado permanece de olho nos dados lá de fora, como a decisão de política monetária na zona do euro e por dados piores do mercado de trabalho norte-americano – ambos, divulgados na quinta, tendo como pano de fundo um ressurgimento dos receios em torno da Covid-19. Na agenda local, os investidores avaliam os dados da prévia da inflação, divulgada mais cedo, que apontou alta de 0,72% em julho – a mais alta para o mês desde 2004. As notícias de Brasília também seguem no radar, com o governo tentando fortalecer apoio no Congresso, mas às custas de menor autonomia do Ministério da Economia de Paulo Guedes - em meio ao pior momento para o presidente Jair Bolsonaro desde o início de seu mandato e a debates ruidosos em torno da polêmica reforma tributária proposta por Guedes. Guedes fala em 'reorganização interna' na Economia, após Bolsonaro indicar reforma ministerial Bolsonaro confirmou na quinta-feira que o senador Ciro Nogueira (PP-PI) aceitou seu convite e deverá assumir a Casa Civil de seu governo. "Ao mesmo tempo que a governabilidade melhora no curto prazo, é um risco enorme para o governo no médio prazo", disse a Rio Bravo em comentário, lembrando que, com o centrão dentro do governo, há risco de mais pressão por emendas parlamentares e para outros gastos. Variação do dólar em 2021 Economia G1 00:00 / 14:18 00:00 / 25:44
Veja Mais

23/07 - Prévia da inflação oficial fica em 0,72% em julho, a mais alta para o mês desde 2004
Energia elétrica foi, novamente, 'vilã' da inflação no país, diante do reajuste de 0,52% na bandeira tarifária patamar 2, em vigor desde junho. Já os planos de saúde, que pela primeira vez na história tiveram reajuste negativo, fizeram com que o grupo de saúde e cuidados pessoais tivesse deflação no mês. Foto ilustrativa da conta de luz em São Paulo. ADRIANA TOFFETTI/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) – uma prévia da inflação oficial do país – ficou em 0,72% em julho, pressionado pelas contas de energia elétrica, apontam os dados divulgados nesta sexta-feira (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O indicador desacelerou em 0,11 ponto percentual (p.p.) na passagem de junho para julho – no mês anterior, a taxa ficou em 0,83%. Todavia, trata-se da taxa mais alta para um mês de julho desde 2004, quando ficou em 0,93%. Prévia da inflação oficial de julho de 2021 foi a mais alta para o mês em 17 anos Economia/G1 No ano, o índice acumula alta de 4,88% e, em 12 meses, de 8,59%, acima dos 8,13% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Desde março, o indicador acumulado em 12 meses tem ficado cada vez mais acima do teto da meta estabelecida pelo governo para a inflação deste ano, que é de 5,25%. Indicador está acima da meta estabelecida pelo governo para a inflação deste ano Economia/G1 Pressão da energia elétrica De acordo com o IBGE, a energia elétrica, que teve alta de 4,79% no mês, foi o maior impacto individual, de 0,21 p.p., sobre o IPCA-15 de julho. Em junho, quando entrou em vigor a bandeira tarifária vermelha patamar 2, no contexto da crise hídrica, a alta foi de 3,85%. SAIBA MAIS: Veja perguntas e respostas sobre o sistema de bandeiras e o peso na conta de luz VEJA TAMBÉM: Conta de luz: confira 10 dicas para economizar energia elétrica A alta da energia elétrica ocorreu diante do reajuste de 52% no valor da bandeira tarifária em vigor, que passou de R$ 6,243 para R$ 9,492 a cada 100 kWh consumidos. Também houve impacto dos reajustes nas contas de luz aplicados em São Paulo e Curitiba. Habitação lidera alta dos preços em julho Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE para o cálculo da inflação, sete tiveram alta de preços em julho. A maior foi registrada pelo grupo da habitação, justamente por causa da alta da energia elétrica. Além de ter tido a maior variação frente ao mês anterior, este grupo teve o maior impacto, de 0,33 p.p., sobre o IPCA-15 do mês. O IBGE destacou que, além do reajuste nas contas de luz, pressionaram a inflação do grupo as altas nos preços do gás de botijão (3,89%) e do gás encanado (2,79%). Veja o resultado do IPCA-15 para cada um dos grupos: Habitação: 2,14% Transportes: 1,07% Artigos de residência: 0,81% Vestuário: 0,58% Alimentação e bebidas: 0,49% Despesas pessoais: 0,36% Educação: 0,12% Saúde e cuidados pessoais: -0,24% Comunicação: -0,04% Passagens aéreas mais caras e freio nos combustíveis A segunda maior alta foi registrada no grupo de transportes, pressionada, principalmente, pelo aumento de 35,64% nas passagens aéreas – em junho, os preços médios delas haviam caído 5,63%. Também pesaram sobre o grupo de transportes as altas nos preços dos veículos (0,73%), motocicletas (1,93%), automóveis usados (1,26%) e automóveis novos (0,30%), além de pneus (2,76%), seguro voluntário de veículo (1,95%) e conserto de automóvel (0,40%). A alta nos preços dos combustíveis, que vinha pressionando a inflação do país nos primeiros meses do ano, desacelerou de 3,69% em junho para 0,38%. A gasolina subiu 0,50% em julho e acumula alta de 40,32% em 12 meses. Alimentação mais cara em casa O grupo de alimentação e bebidas teve a alta puxada pela alimentação no domicílio, que passou de 0,15% em junho para 0,47% em julho. Os aumentos de preços mais relevantes partiram do leite longa vida (4,09%), do frango em pedaços (3,09%), das carnes (1,74%) e do pão francês (1,81%). Por outro lado, permanecem em queda os preços da cebola (-15,94%), da batata-inglesa (-14,77%), das frutas (-1,33%) e do arroz (-1,14%). Já na alimentação fora do domicílio o movimento foi inverso e a alta dos preços desacelerou na passagem de junho para julho - o alta do lanche passou de 1,67% para 0,55%) e a da refeição de 0,86% para 0,53%. Queda nos preços em saúde Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, somente os de saúde e cuidados pessoais e de comunicação tiveram queda dos preços em julho. A deflação mais relevante é a relacionada aos preços de saúde, pois reflete o reajuste negativo dos planos de saúde determinado pelo governo em 8 de julho e retroativo a maio. Foi a primeira vez na história que a Agência Nacional de Saúde determinou a redução de preços dos planos de saúde. O reajuste negativo foi de 8,19% – em 2020, os contratos tiveram um aumento de 8,14% – válido apenas para os planos individuais [ficaram de fora os planos de saúde coletivos, como os empresariais, e os por adesão, em que os consumidores contratam em grupo]. Planos de saúde mais baratos: entenda quem terá redução no valor, a partir de quando e os direitos do consumidor Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados pelo IBGE entre 15 de junho a 13 de julho de 2021 e comparados com aqueles vigentes de 14 de maio e 14 de junho. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos. Alta em todas as regiões pesquisadas O IPCA-15 teve alta em todas as 11 regiões pesquisadas pelo IBGE. Em apenas quatro delas a alta foi menor que a média nacional. A maior variação foi registrada em Curitiba, onde pesaram as altas da energia elétrica (9,41%) e das passagens aéreas (39,92%). Já a menor variação ocorreu em Brasília,, influenciada pela queda nos preços das frutas (-7,43%) e das roupas femininas (-2,92%). Todas as 11 regiões pesquisadas tiveram alta da inflação em julho, aponta indicador prévio do IBGE Economia/G1 Meta de inflação e perspectivas A meta central do governo para a inflação em 2021 é de 3,75%, e o intervalo de tolerância varia de 2,25% a 5,25%. Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic), que agora está em 4,25% ao ano. A projeção do mercado fica cada vez mais acima do teto da meta de inflação para o ano. Os economistas das instituições financeiras elevaram de 6,11% para 6,31% a estimativa de inflação em 2021, segundo pesquisa Focus divulgada na segunda-feira (19) pelo Banco Central. Se confirmado o resultado, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, terá de redigir uma carta aberta explicando os motivos para o descumprimento da meta. Para 2022, o mercado financeiro manteve em 3,75% a estimativa de inflação. No ano que vem, a meta central de inflação é de 3,5% e será oficialmente cumprida se oscilar de 2% a 5%. O mercado também elevou de 6,63% para 6,75% ao ano a previsão para a Selic no fim do ano, o que pressupõe que haverá novas altas nos próximos meses. Para o fim de 2022, os economistas prevêm a Selic em 7,00% ao ano.
Veja Mais

23/07 - Google cria joguinho retrô com modalidades esportivas para Olimpíadas
Doodle do buscador tem visual 16 bits e 7 esportes para brincar. Companhia também adicionou quadro de medalhas e programação dos jogos em tempo real. Doodle interativo do Google para as Olimpíadas de Tóquio Reprodução O Google preparou nesta sexta-feira (23) um Doodle interativo para as Olimpíadas de Tóquio: um joguinho em estilo retrô que reúne 7 modalidades esportivas. A estética do game lembra videogames da década de 1990, como o Super Nintendo, e traz a personagem "Lucky", uma gata, como protagonista. FOTOS: A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio No jogo, é preciso vencer desafios e colecionar insígnias na "Ilha dos Campeões" em 7 disputas: tênis de mesa, tiro com arco, rugby, nado artístico, maratona, skate e escalada. O Google diz que durante as fases há várias surpresas e missões paralelas. É possível jogá-lo em uma página especial ou clicando no "play" na tela inicial do buscador, seja no computador ou no celular. O game é fruto de uma parceria com o estúdio de animação japonês STUDIO 4 º C e, segundo o Google, é o "o maior Doodle interativo de todos os tempos". A companhia anunciou ainda que ao pesquisar pelo termo "Olimpíadas", os usuários poderão ver resultados, datas dos eventos, acontecimentos recentes e quadro de medalhas em tempo real. Novidade no game do dinossauro O joguinho do dinossauro, que aparece no navegador Chrome quando os usuários estão sem internet, ganhou uma versão comemorativa para as Olimpíadas. Foram adicionadas tochas olímpicas pelo caminho e, ao coletá-las, o dinossauro ganha trajes de atletas de ginástica, atletismo, hipismo, entre outros. Dinossauro do Chrome com traje de hipismo em comemoração às Olimpíadas Reprodução Apesar de aparecer quando há problemas de conexão, é possível jogar mesmo com a internet ligada: é só colar o comando chrome://dino na barra de endereços.
Veja Mais

23/07 - 12 empresas abrem vagas de emprego, estágio e trainee; veja lista
Caedu, Azion, SuperSim, Royal Face, BAT Brasil, Nava Technology for Business, Terramagna, Clicksign, Looqbox, Accountfy, Croct e Mola Tecnologia são as empresas com seleções abertas. As empresas Caedu, Azion, SuperSim, Royal Face, BAT Brasil, Nava Technology for Business, Terramagna, Clicksign, Looqbox, Accountfy, Croct e Mola Tecnologia estão com vagas de emprego, estágio e trainee abertas. Veja abaixo detalhes dos processos seletivos. Veja mais vagas de emprego pelo país Caedu A Caedu abriu cerca de 20 vagas no programa de estágio para estudantes universitários, que irão atuar em diversas áreas da empresa, como Financeiro - Operações Financeiras, Jurídico, Soluções Financeiras, Contabilidade, Controladoria, Marketing - CRM, Gestão de Produtos, Estilo, Planejamento Comercial, Tecnologia e Comunicação Interna e Atração & Seleção. Os estudantes precisam estar cursando a partir do 3° ano da faculdade, ter capacidade analítica para resolução de problemas; boas habilidades de comunicação, engajamento e interesse por novas tecnologias digitais; facilidade no gerenciamento de atividades, prazos e prioridades e bom relacionamento com diversos stakeholders. Todas as vagas são para atuação no escritório da matriz da Caedu, localizado no Tatuapé, em São Paulo. Os candidatos selecionados, além da bolsa auxílio, terão benefícios como vale refeição; vale transporte; day off no dia do aniversário; gympass; parcerias educacionais e seguro de vida. As inscrições devem ser feitas pelo link https://jobs.kenoby.com/portaldecarreirasestagiocaedu até 15 de agosto. Azion A Azion tem 96 vagas para diversas áreas como Marketing, Vendas, Operações, Engenharia de Software, Produtos e Segurança. Todas as posições exigem inglês avançado. A Azion oferece VT, VR, VA, plano de saúde e odontológico, além de outros benefícios. Os interessados devem acessar o site e se candidatar. SuperSim A SuperSim abriu 80 vagas de trabalho a serem preenchidas neste segundo semestre. Há oportunidades em diversas áreas da empresa, como tecnologia, financeiro e comercial. Para alguns postos, o trabalho pode ser desempenhado de maneira remota. As demais, no entanto, são presenciais na sede da empresa, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. Ao todo, são 32 vagas para operador de verificação, profissional responsável por analisar as solicitações de empréstimos e decidir pela aprovação ou rejeição delas. A segunda maior demanda é a por desenvolvedor, com 14 vagas, e por agente de cobrança, com 12 vagas abertas. A empresa também está recrutando para os postos de supervisor de operações, supervisor de cobrança, analista de canais e parcerias, marketing business analyst, analista de dados, data science, analista de qualidade, consultor externo e head de risco. Inscrições através do link supersim.gupy.io. Royal Face A Royal Face oferece 134 vagas nas áreas administrativas, de saúde e comercial para as unidades da rede já inauguradas e as em fase de implantação. As vagas são para 16 estados para os cargos de recepcionista, consultor, farmacêutica, biomédica, enfermeira, analista, atendente comercial, avaliador, entre outros. Os salários variam de R$ 1.500 a R$ 5 mil. A maioria das vagas exige experiência na área. A escolaridade varia de ensino médio para os cargos da área comercial e recepcionista, ensino superior para gestor, e pós-graduação para biomédicos, farmacêuticos e enfermeiros. Os interessados podem se inscrever pelo link: https://jobs.solides.com/royalface. BAT Brasil A BAT Brasil (ex-Souza Cruz) está com as inscrições abertas para o programa internacional de trainee Global Graduate. Os candidatos devem ter formação entre 07/2018 e 07/2021, possuir inglês avançado e disponibilidade para viver em outras regiões do país. As vagas serão distribuídas para as áreas de Finanças e Operações, com salário inicial de R$ 8.310, além de um pacote de benefícios competitivo. As inscrições deverão ser realizadas pelo site www.batbrasil.com até o dia 11 de agosto. Nava Technology for Business A Nava Technology for Business está com 200 vagas abertas nas áreas de Desenvolvimento, Infraestrutura (englobando segurança, suporte, monitoramento) e outras de perfis pontuais. As vagas são 100% remotas durante a pandemia, mas existe a possibilidade de atuação presencial em São Paulo para algumas vagas específicas. Entre elas, se destacam as seguintes posições plenos e seniores: Desenvolvedor .NET; desenvolvedor JAVA; desenvolvedor iOS; desenvolvedor Android; desenvolvedores Front End; especialistas / arquitetos Front End; desenvolvedor Vb6; analista de Suporte Sinacor; analista SIGOM; desenvolvedores Full Stack; entre outros. Informações podem ser acessadas em: https://jobs.kenoby.com/nava. Cubo Itaú O Cubo Itaú, hub de fomento ao empreendedorismo tecnológico, tem quase 300 vagas disponíveis em mais de 50 startups. Em grande parte delas, a procura é por profissionais de tecnologia. Entre as startups com vagas abertas estão: Terramagna: Vagas abertas na área de tecnologia, em posições para cientista de dados, desenvolvedor backend, desenvolvedor frontend, entre outras. Clicksign: Há vagas para analista de segurança da informação, analista de BI, gerente de integração de sistemas, entre outras. Looqbox: Há 13 vagas para data engineer, analista em suporte de software e diferentes tipos de desenvolvedores. Accountfy: São 6 vagas para o time de tecnologia, como designer UX/UI, scrum master e DevOps. Croct: Há vagas para application security, engenheiro backend, entre outras. Mola Tecnologia: Estão disponíveis vagas para desenvolvedor php, DevOps, entre outras. As vagas podem ser acessadas em https://cubo.network/jobs.
Veja Mais

23/07 - Japão deve ter perda bilionária com ausência de público nos Jogos Olímpicos
Sem público, economia do Japão deve ter perda de US$ 1,3 bilhão, segundo um estudo realizado pelo Nomura Research Institute (NRI). No início de julho, Tóquio entrou em estado de emergência por causa do aumento de casos de Covid-19. Anéis olímpicos flutuam na Baía de Tóquio, no Japão, nesta sexta-feira (16) Charlie Riedel/AP Photo Sem a presença público nas competições dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a economia japonesa deve acumular uma perda bilionária. Um estudo realizado pelo Nomura Research Institute (NRI) mostra que a ausência de público nas competições deve trazer uma perda de US$ 1,3 bilhão, fazendo com que o impacto econômico dos jogos fique em US$ 15,1 bilhões. Com a restrição, a conta dos jogos não deve fechar. Só o custo para sediar o evento é de US$ 15,4 bilhões. Movimento fraco em rua de Tóquio às vésperas dos Jogos Olímpicos, em foto de 27 de junho Fabrizio Bensch/Reuters Como base de comparação, sem qualquer tipo de restrição para o público japonês, as Olímpiadas trariam um retorno de US$ 16,4 bilhões, segundo o levantamento do NRI. Embora os impactos sejam bilionários, os pesquisadores do NRI defenderam que a limitação do público deve se valer do risco de infecção por coronavírus e não por aspectos econômicos. Segundo eles, o impacto no Produto Interno Bruto (PIB) do país deve ser bem limitado. "A eliminação total dos espectadores ainda reduziria o benefício potencial (dos jogos) em apenas 0,02% do PIB", escreveram os pesquisadores em maio. LEIA TAMBÉM Leia mais notícias sobre as Olimpíadas de Tóquio no ge Mineiro que gastou R$ 27 mil terá que assistir aos jogos em casa No início de julho, o primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, informou que Tóquio entrou em estado de emergência por causa do aumento de casos de Covid-19, o que fez com que a capital japonesa vetasse público. Algumas cidades que também recebem partidas dos jogos até devem permitir a entrada de uma parcela do público, mas será insuficiente para compensar a decisão de Tóquio. Casos de COVID aumentam e Olimpíadas de Tóquio não terão público Covid preocupa economia O aumento de casos de coronavírus tem preocupado as autoridades econômicas do Japão. Segundo a agência Reuters, num relatório de julho, o governo afirmou que é preciso dar atenção para o surgimento de casos de coronavírus e possíveis impactos na economia. Vila Olímpica, tradicionalmente um espaço de confraternização e festa, será muito diferente em Tóquio Reuters "A economia mostra fraqueza crescente em algumas partes, embora continue melhorando em meio a condições severas devido ao coronavírus", disse o governo em sua avaliação das condições econômicas de julho. No primeiro trimestre deste ano, a queda do Produto Interno Bruto (PIB) foi revisada de 1,3% para 1%.
Veja Mais

23/07 - Emprego: confira 395 vagas ofertadas através da Agência do Trabalho em 19 municípios nesta sexta-feira
Há oportunidades para auxiliar de cozinha, jardineiro, gerente de produção, soldador e confeiteiro, entre outras. Salários informados vão até R$ 3 mil. Oportunidades desta sexta-feira (23) foram disponibilizadas em 19 municípios Eliel Nascimemto/Divulgação O sistema público da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco (Seteq) oferece 395 vagas de emprego em 19 municípios do estado, nesta sexta-feira (23). Os interessados devem se candidatar às oportunidades através das Agências do Trabalho. Coordenador administrativo, mastologista, auxiliar de cozinha, jardineiro, técnico mecânico, gerente de produção, soldador, auxiliar de limpeza e confeiteiro estão entre os postos de trabalho ofertados nos municípios (confira lista completa mais abaixo). As vagas foram disponibilizadas no Recife (54) e em Araripina (14), Arcoverde (7), Belo Jardim (1), Bezerros (4), Cabo de Santo Agostinho (68), Caruaru (28), Garanhuns (4), Goiana (60), Ipojuca (48), Nazaré da Mata (5), Palmares (20), Paudalho (1), Paulista (3), Pesqueira (34), Petrolina (12), Salgueiro (6), Santa Cruz do Capibaribe (18) e Serra Talhada (8). Os interessados devem realizar agendamento para as unidades da Agência do Trabalho através do site da Seteq. Vagas de emprego Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias Carteira digital Atualmente, o trabalhador pode usar a versão digital da carteira de trabalho (veja vídeo abaixo): Veja como ter acesso à carteira de trabalho digital Vídeos de PE mais vistos nos últimos 7 dias
Veja Mais

23/07 - Recusa a tomar vacina contra Covid-19 e a retornar ao trabalho presencial pode levar à demissão por justa causa; entenda
Neste mês, o TRT de São Paulo confirmou a modalidade de demissão para uma auxiliar de limpeza de um hospital que se recusou a ser imunizada. Advogado alerta que recusa do trabalhador em abandonar o home office também justifica a dispensa por justa causa. Trabalhadores que se recusam a tomar a vacina contra a Covid-19 devem estar cientes de que podem ser demitidos por justa causa. A recusa ao retorno do trabalho presencial também pode ser motivo de demissão por justa causa. Neste mês, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo confirmou a modalidade de demissão para uma auxiliar de limpeza de um hospital de São Caetano do Sul (SP) que se recusou a ser imunizada. Essa foi a primeira decisão em segunda instância sobre o tema na Justiça do Trabalho (veja vídeo abaixo). Segundo especialistas, a decisão foi acertada, principalmente, por se tratar de um ambiente de trabalho que oferece alto risco de contágio. Porém, em casos gerais, ainda não há consenso no Judiciário, já que não existe uma regulamentação específica sobre o assunto. Prevalece ainda o debate entre o direito de escolha do trabalhador e a segurança da coletividade, já que a recusa pode colocar os demais em risco. LEIA TAMBÉM: AINDA EM 2020: STF decidiu que vacina contra Covid é obrigatória TIRA-DÚVIDAS: Funcionário pode recusar vacina e uso de máscara? A FAVOR OU CONTRA: Relembre discussão sobre empregador exigir vacina Justiça confirma em segunda instância demissão por justa causa de funcionária que recusou vacina Em fevereiro, o Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou orientação de que os trabalhadores que se recusarem a tomar a vacina contra a Covid-19 e não apresentarem razões médicas documentadas para isso poderiam ser demitidos por justa causa. O órgão sugere ainda que as empresas conscientizem os empregados sobre a importância da vacinação e abram diálogo sobre o assunto. Os funcionários devem estar cientes do risco em recusar a vacina: a dispensa por justa causa exclui o direito ao aviso prévio, ao seguro-desemprego e à multa de 40% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Responsabilidades além da vacinação Cíntia Fernandes, advogada especialista em Direito do Trabalho e sócia do escritório Mauro Menezes & Advogados, explica que os colegas do trabalhador que se recusa a ser vacinado também contam com o direito constitucional de atuar em um ambiente seguro e saudável, cuja responsabilidade é da empresa. “A responsabilidade não se limita à vacinação, mas abrange todas as medidas de segurança que já têm sido reiteradas como o uso de máscara, disponibilidade de álcool em gel e o distanciamento”, aponta. A advogada ressalta que, apesar da decisão do TRT, não é devida a aplicação de justa causa ao empregado que se recusar a vacinar nessa situação. “Primeiro, é necessário que a empresa implemente a política de vacinação, faça a campanha, mas aplicar uma justa causa ao empregado que se recuse no momento em que estamos, sem que haja uma legislação sobre o assunto, é uma medida extrema inclusive com a violação de garantias constitucionais”, aponta. Ela lembra que não há lei específica em relação à exigência da vacinação, mas uma orientação do Supremo Tribunal Federal (STF) destacando ser necessária a vacinação da população. Para Ruslan Stuchi, advogado trabalhista e sócio do escritório Stuchi Advogados, “a decisão do TRT foi correta, tendo em vista que, por se tratar de um hospital, a recusa da trabalhadora coloca em risco a sua saúde e a dos demais colegas de trabalho. Para os trabalhadores de setores essenciais, que têm contato com muitas pessoas, bem como muitos materiais que podem estar contaminados com o vírus, o trabalhador deve ser obrigado a tomar a vacina”. Cintia destaca que não há unanimidade na Justiça do Trabalho a respeito do limite de poder de imposição do empregador. “Há a discussão sobre vários direitos. O Direito Público, o bem comum e o direito individual muitas vezes conflitam. O bem comum se relaciona a proteger a coletividade e há entendimentos que se sobrepõem ao direito individual”, observa. No caso julgado pelo TRT, a auxiliar criticou o hospital por não ter realizado reuniões para informar sobre a necessidade de se imunizar. Também apontou que a falta grave foi registrada sem que tivesse sido instaurado processo administrativo. A imposição da vacina, conforme argumento apresentado pela trabalhadora no processo, ainda teria ferido a sua honra e dignidade humana. Na visão do professor da pós-graduação da PUC-SP e doutor em Direito do Trabalho, Ricardo Pereira de Freitas Guimarães, foi correta a decisão, já que, além do elevado risco de contágio, a empresa comprovou a realização de campanhas de vacinação e concedeu todas as oportunidades para que a auxiliar fosse vacinada. Por outro lado, a trabalhadora não apresentou justificativa para não ser vacinada, mesmo sabendo que poderia sofrer a consequência da dispensa. Trabalhadores que recusarem tomar a vacina da Covid podem ser demitidos por justa causa Empresa deve fazer sua parte Daiane Almeida, advogada especialista em Direito do Trabalho do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, orienta que as empresas tenham cuidado na comunicação aos funcionários das possíveis sanções para quem não seguir as recomendações sanitárias e aderir à vacinação. O alerta deve ser feito por escrito ou verbal, na presença de testemunhas, o que pode ser utilizado como prova pelo empregador em uma eventual ação trabalhista. “Em caso de recusa, a empresa deve adotar, em um primeiro momento, a imposição de advertências e suspensões e, se persistir a negativa do funcionário em se imunizar, pode resultar na dispensa por justa causa”, orienta. Retorno ao trabalho presencial Outro tema que dá margem ao surgimento de disputas judiciais entre trabalhadores e empresas é o fim do regime de home office com o avanço da vacinação. Julia Demeter, especialista em Direito do Trabalho do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, alerta que a recusa do trabalhador em abandonar o teletrabalho também justifica a dispensa por justa causa. “É critério unilateral do empregador determinar que o funcionário deixe o home office. O empregado não pode se recusar sob a justificativa de não estar imunizado ou por receio de contaminação, uma vez que a recusa pode acarretar em abandono de emprego", diz a especialista. "Há exceções para aqueles que pertencem ao grupo de risco ou tenham comorbidades, devendo apresentar justificativa médica plausível e documentada. Já a empresa deve observar as disposições legais, respeitando o prazo mínimo de 48 horas entre a comunicação ao funcionário e o seu retorno”, explica Julia. Apesar da discussão em torno da vacinação e do fim do home office, Lariane Del Vechio, advogada especialista em Direito do Trabalho do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, avalia que há uma tendência de que diminua o número de conflitos na Justiça sobre o assunto. “Acredito que o impacto positivo da vacina, a diminuição da transmissão e das internações e a retomada da economia façam com que não tenhamos mais os mesmos problemas no próximo ano. Os benefícios vencem o negacionismo da importância de se vacinar”, opina.
Veja Mais

23/07 - Veja as vagas de emprego oferecidas em Petrolina, Araripina e Salgueiro nesta sexta-feira
Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. Carteira de Trabalho Beatriz Braga/G1 Petrolina Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta sexta-feira (23) em Petrolina, Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Araripina Contato: (87) 3873 - 8381 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE
Veja Mais

23/07 - IR 2021: Receita libera consultas ao terceiro lote de restituição
Segundo a Receita, restituição será paga em 30 de julho, e 5 milhões de contribuintes receberão os valores. Montante a ser pago soma R$ 5,8 bilhões. Imposto de Renda 2021: Receita libera nesta sexta-feira consulta ao terceiro lote de restituição Marcello Casal Jr/Agência Brasil A Receita Federal liberou nesta sexta-feira (23), a partir das 10h, as consultas ao terceiro lote de restituição do Imposto de Renda 2021, relativo ao ano-base 2020. As consultas podem ser feitas: na página da Receita na internet; no aplicativo da Receita para tablets e smartphones. A restituição será paga em 30 de julho (o crédito estava previsto inicialmente para 1º de agosto, mas a Receita antecipou). O pagamento é feito diretamente na conta bancária informada na declaração do IR. Segundo a Receita, 5 milhões de contribuintes receberão a restituição no terceiro lote, entre prioritários e não prioritários. O valor total a ser pago é de R$ 5,8 bilhões. Estão no terceiro lote de restituições: idosos acima de 80 anos (13.985 pessoas); contribuintes entre 60 e 79 anos (95.298); contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave (8.987); contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério (36.616); contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até 18 de maio (4.913.343). O primeiro lote foi pago em 31 de maio. Ao todo, foram creditados R$ 6 bilhões a 3,4 milhões de contribuintes. Já o segundo foi pago em 30 de junho a 4,2 milhões de pessoas, que receberam R$ 6 bilhões. Haverá, ainda, mais dois lotes de pagamentos. Malha fina Caso o contribuinte identifique alguma pendência na declaração, é possível retificar a declaração, corrigindo as informações que estejam equivocadas. As restituições de declarações que apresentam inconsistência (em situação de malha) são liberadas apenas depois de corrigidas pelo cidadão, ou após o contribuinte apresentar comprovação de que sua declaração está correta. Calendário Confira o calendário completo de pagamento das restituições do IR 2021: 1º lote: 31 de maio (já pago); 2º lote: 30 de junho (já pago); 3º lote: 30 de julho; 4º lote: 31 de agosto; 5º lote: 30 de setembro.
Veja Mais

23/07 - O Assunto #501: Espionagem via celular - o caso Pegasus
Mensagens, fotos, e-mails, localização. Todo e qualquer conteúdo do aparelho que se tornou um prolongamento do corpo humano capturado por um software - capaz, ainda, de gravar e transmitir o material. E sem que o usuário desconfie de nada. A revelação, feita por um consórcio de veículos de imprensa, de que países como México, Arábia Saudita e Hungria teriam comprado o produto desenvolvido pela empresa israelense NSO para monitorar alvos comerciais e políticos disparou alarme geral. Você pode ouvir O Assunto no G1, no GloboPlay, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music, no Hello You ou no sua plataforma de áudio preferida. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio. Mensagens, fotos, e-mails, localização. Todo e qualquer conteúdo do aparelho que se tornou um prolongamento do corpo humano capturado por um software - capaz, ainda, de gravar e transmitir o material. E sem que o usuário desconfie de nada. A revelação, feita por um consórcio de veículos de imprensa, de que países como México, Arábia Saudita e Hungria teriam comprado o produto desenvolvido pela empresa israelense NSO para monitorar alvos comerciais e políticos disparou alarme geral. “Mais do que um software, o Pegasus é uma arma de guerra”, explica o professor Sergio Amadeu, ex-presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação. Ao utilizá-lo, "governos, a partir de suas estruturas de inteligência, atuam nas sombras”, num mercado em que “as fronteiras entre legal e ilegal foram borradas". Ele defende um esforço multilateral de regulação e, de imediato, moratória no uso desse tipo de ferramenta. De Nova York, o correspondente da Globo Ismar Madeira faz um relato das reações dos países na berlinda e também dos potenciais atingidos - entre eles ativistas, advogados de direitos humanos, jornalistas e até chefes de governo, como o presidente francês, Emmanuel Macron. O que você precisa saber: ENTENDA: o que e o Pegasus, software de espionagem Países invadiram smartphones de milhares de pessoas com programa de empresa de Israel, segundo consórcio de jornais Pegasus ficou conhecido por supostamente ter sido usado na invasão do celular de Bezos PEGASUS: Estamos todos virando espiões sem saber? O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski e Giovanni Reginato. Neste episódio colaboraram também: Gabriel de Campos, Ana Flávia Paula e Victor Paz. Apresentação: Renata Lo Prete. Comunicação/Globo O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.
Veja Mais

23/07 - Auxílio Emergencial 2021: Caixa libera 4ª parcela a beneficiários do Bolsa Família com NIS final 5 e a nascidos em junho; veja calendários
O pagamento da quarta parcela do auxílio foi antecipado e começou no sábado (17) aos beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família. o A Caixa Econômica Federal (Caixa) libera nesta sexta-feira (23) a quarta parcela do Auxílio Emergencial aos beneficiários do Bolsa Família com NIS encerrado em 5 e aos beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em junho. O pagamento da terceira parcela do auxílio terminou em 30 de junho para todos os públicos. Já os pagamentos da quarta parcela do benefício foram antecipados e começaram no sábado (17) para quem não faz parte do Bolsa Família (veja nos calendários mais abaixo). O calendário de pagamentos das próximas parcelas ainda não foi definido. Terei direito? Quanto vou receber? Veja perguntas e respostas Veja o calendário completo Veja como saber se você vai receber Saiba como contestar se você teve o beneficio negado Beneficiário precisa estar com o CPF regular; saiba como fazer SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos são feitos da mesma forma que o benefício original. Para os demais, os recursos serão depositados em poupança social digital da Caixa, e estarão disponíveis inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta sexta serão liberados no dia 10 de agosto. Auxílio emergencial 2021: entenda as regras da nova rodada VEJA QUEM RECEBE A PARTIR DESTA SEXTA: beneficiários do Bolsa Família com NIS encerrado em 5 trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família, nascidos em junho Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/ Calendários de pagamento Veja abaixo os calendários de pagamento. BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família Economia G1 BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA Governo antecipa calendário do pagamento da 4ª parcela do Auxílio Emergencial Economia G1 VÍDEOS: as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial
Veja Mais

22/07 - Petrobras tem queda em produção de petróleo no 2º trimestre; vendas de combustíveis crescem
Produção do pré-sal alcançou 1,96 milhão de barris de óleo equivalente (boed) — 70% do total da companhia, um percentual recorde. Sede da Petrobras, localizada na Avenida Chile, no Centro do Rio de Janeiro, passará pela sua primeira reforma completa desde que foi inaugurado, no começo dos anos 1970 André Motta de Souza / Agência Petrobras A produção de petróleo da Petrobras no Brasil somou 2,226 milhões de barris por dia (bpd) no segundo trimestre, queda de 0,8% em relação a um ano antes, em meio a um declínio natural de campos e desinvestimentos realizados, apesar do avanço no pré-sal, segundo relatório da companhia publicado nesta quinta-feira (22). Na comparação com o primeiro trimestre, no entanto, a produção da companhia cresceu 1,4%, principalmente pelo aumento da produção das plataformas novas P-68, no campo de Berbigão, e P-70, no campo de Atapu, ambas do pré-sal da Bacia de Santos, segundo a empresa. No primeiro trimestre deste ano, a produção de petróleo da empresa já havia recuado na comparação anual, devido a vendas de ativos e declínio natural de campos maduros. A produção de petróleo no pré-sal cresceu 6,1% no segundo trimestre na comparação com o mesmo período do ano anterior, e subiu 3,4% em relação ao primeiro trimestre, devido à alavancagem das plataformas P-68 e P-70, e à estabilização dos níveis de produção das plataformas que realizaram paradas programadas no primeiro trimestre, segundo a empresa. "Além disso, registramos melhor performance nas plataformas P-74 e P-76 (campo de Búzios). Esses efeitos foram parcialmente compensados pela parada programada da P-58 (campo de Jubarte)." A produção total de petróleo e gás natural, no Brasil e no exterior, por sua vez, somou 2,796 milhões de barris de óleo equivalente ao dia (boed) entre abril e junho, queda de 0,2% ante um ano antes e avanço de 1,1% ante os três primeiros meses do ano. A produção do pré-sal alcançou 1,96 milhão de barris de óleo equivalente (boed), representando 70% da produção total da companhia, um percentual recorde. Exportações e importações de petróleo As exportações de petróleo subiram 45,4% no segundo trimestre versus o trimestre anterior e avançaram 8% na comparação com um ano antes, para 743 mil barris por dia, em meio a uma menor carga nas refinarias devido a manutenções neste trimestre. "As importações de diesel aumentaram no segundo trimestre também pelas paradas programadas, além do aumento das vendas no mercado doméstico", disse a empresa. A empresa importou 120 mil barris por dia de diesel, alta de 71,4% em relação ao trimestre passado. No segundo trimestre de 2020, a empresa não realizou compras externas do combustível fóssil. "O maior volume de importação de diesel contribuiu para o aumento das vendas da Petrobras no Brasil, mesmo sem crescimento da produção de diesel entre os trimestres, devido às paradas nas refinarias." Vendas internas As vendas de derivados do petróleo no mercado interno somaram 1,759 milhão de barris por dia no segundo trimestre, alta de 17,7% em relação ao mesmo período do ano passado e avanço de 5,5% na comparação com o segundo trimestre de 2020. A comercialização do diesel no Brasil, por sua vez, foi de 815 mil barris por dia, alta de 28,8% na comparação com um ano antes e avanço de 11,4% ante os três primeiros meses deste ano.
Veja Mais

22/07 - Twitter supera meta de receita no trimestre com melhoria em anúncios
Em 2021, plataforma lançou produtos em novas áreas, após anos de estagnação. Receita com publicidade teve alta de 87%, em relação ao mesmo período do ano passado. Em última parte da série sobre controle de privacidade nas redes sociais, blog fala sobre Twitter REUTERS/Kacper Pempel O Twitter divulgou nesta quinta-feira (22) crescimento de receita acima das expectativas de investidores. O resultado foi impulsionado por melhorias nas ferramentas de publicidade direcionada A empresa também afirmou que as mudanças promovidas pela Apple para manter os dados dos usuários dos iPhones privados atingiram seu faturamento menos do que o temido. Twitter experimenta opção para 'reprovar' respostas a tuítes no iPhone 15 anos do Twitter: teste seus conhecimentos sobre a rede social A receita com publicidade totalizou US$ 1,05 bilhão, alta de 87% sobre o mesmo trimestre do ano passado, e superou expectativa de US$ 909,9 milhões de Wall Street. Após o anúncio, as ações da companhia saltaram 7%, para US$ 75, depois do fechamento oficial do mercado. Mudanças na plataforma Desde o começo do ano, o Twitter tem corrido para lançar produtos em novas áreas como salas de bate-papo por áudio e publicação de newsletter em um esforço para recuperar anos de estagnação de negócios e atingir a meta de dobrar o faturamento anual até 2023. O Twitter trabalhou para melhorar a eficácia de suas ferramentas de publicidade, que tradicionalmente estavam atrás de rivais como Facebook, que recolhe vastas quantidades de dados sobre os usuários. As melhorias, junto com uma demanda maior de anunciantes, ajudou a impulsionar a receita da empresa com venda de espaço publicitário, afirmou o Twitter. "Conforme ingressamos no segundo semestre, estamos aprendendo mais rápido e contratando talentos notáveis", disse o presidente-executivo do Twitter, Jack Dorsey. O Twitter registrou 206 milhões de usuários diários ativos monetizáveis (mDAU) no segundo trimestre, cumprindo estimativa de analistas de 205,9 milhões, segundo dados da Refinitiv. Durante o trimestre, o Twitter lançou mais de 2.500 novas categorias de assuntos para ajudar os usuários a acompanhar conteúdo com base em seus interesses. Ao permitir uma timeline mais personalizada, a companhia afirma que vai conseguir aumentar o engajamento dos usuários. O Twitter agora espera que o número de funcionários e custos e despesas totais cresçam pelo menos 30% em todo o ano, um aumento em relação à estimativa anterior de 25%, uma vez que a empresa está investindo em equipes de engenheiros e produtos. Em termos ajustados, o Twitter teve lucro de 20 centavos de dólar por ação, bem acima dos 7 centavos esperados por analistas. O Twitter afirmou que ainda é muito cedo para se determinar o impacto de longo prazo dos novos controles de privacidade introduzidos em abril pela Apple nos iPhones, mas acrescentou que o impacto em sua receita durante o segundo trimestre foi menor que o esperado. Chefe do Twitter é repreendido em interrogatório Presidente do Twitter leva 'bronca' em audiência no Congresso Golpes no WhatsApp: saiba como se proteger Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger
Veja Mais

22/07 - Imposto de Renda 2021: Receita libera nesta sexta-feira consulta ao terceiro lote de restituição
Segundo a Receita, restituição será paga em 30 de julho, e 5 milhões de contribuintes receberão os valores. Montante a ser pago soma R$ 5,8 bilhões. Imposto de Renda 2021: Receita libera nesta sexta-feira consulta ao terceiro lote de restituição Marcello Casal Jr/Agência Brasil A Receita Federal informou que vai liberar nesta sexta-feira (23), a partir das 10h, as consultas ao terceiro lote de restituição do Imposto de Renda 2021, relativo ao ano-base 2020. As consultas poderão ser feitas: na página da Receita na internet; no aplicativo da Receita para tablets e smartphones. A restituição será paga em 30 de julho. O pagamento é feito diretamente na conta bancária informada na declaração do IR. Segundo a Receita, 5 milhões de contribuintes receberão a restituição no terceiro lote, entre prioritários e não prioritários. O valor total a ser pago é de R$ 5,8 bilhões. Foram contemplados no terceiro lote: idosos acima de 80 anos (13.985 pessoas); contribuintes entre 60 e 79 anos (95.298); contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave (8.987); contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério (36.616); contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até 18 de maio (4.913.343). O primeiro lote foi pago em 31 de maio. Ao todo, foram creditados R$ 6 bilhões a 3,4 milhões de contribuintes. Já o segundo foi pago em 30 de junho a 4,2 milhões de pessoas, que receberam R$ 6 bilhões. Haverá, ainda, mais dois lotes de pagamentos. Malha fina Caso o contribuinte identifique alguma pendência na declaração, é possível retificar a declaração, corrigindo as informações que estejam equivocadas. As restituições de declarações que apresentam inconsistência (em situação de malha) são liberadas apenas depois de corrigidas pelo cidadão, ou após o contribuinte apresentar comprovação de que sua declaração está correta. Calendário Confira o calendário completo de pagamento das restituições do IR 2021: 1º lote: 31 de maio (já pago); 2º lote: 30 de junho (já pago); 3º lote: 30 de julho; 4º lote: 31 de agosto; 5º lote: 30 de setembro.
Veja Mais

22/07 - Companhias aéreas dos EUA celebram retorno dos passageiros, apesar da variante Delta
Aeroportos voltam a recuperar o ritmo e o faturamento das grandes companhias aéreas cresceu fortemente em comparação a 2020 no segundo trimestre. As companhias aéreas americanas celebram o retorno de seus passageiros, que parecem não se preocupar com a variante Delta do coronavírus, e começaram a recontratar e comprar aviões devido à previsão de aumento da demanda. Máscaras, passaporte de vacina, digitalização: o que esperar da retomada do turismo pós-pandemia Variante delta é responsável por 83% dos casos de Covid nos EUA Crise é a maior que a indústria da aviação já testemunhou, diz novo CEO da associação internacional do setor O tráfego aéreo ainda não voltou à normalidade: o número de passageiros continua entre 15% e 25% abaixo de 2019 nesta mesma época do ano, segundo a Agência de Segurança nos Transportes (TSA). No entanto, os aeroportos voltam a recuperar o ritmo e o faturamento das grandes companhias aéreas cresceu fortemente em comparação a 2020 no segundo trimestre: se multiplicou por cinco no caso da American Airlines e por quatro para United e Southwest, com bases comparativas muito baixas devido ao efeito da pandemia sobre o setor no ano passado. Futuro do turismo: os desafios de impor vacinação obrigatória Com o auxílio dos governos, as finanças dessas empresas melhoraram e Delta, American e Southwest obtiveram lucros líquidos no segundo trimestre do ano. Os diretores se mostram otimistas, apesar do avanço incontrolável da variante Delta da covid no mundo e seu potencial impacto sobre a economia. Tanto a Southwest como Delta e United afirmam que a variante não gerou efeito sobre suas reservas. "É possível que haja uma reversão temporária na reabertura da economia, mas considerando os dados e as vacinas, a probabilidade parece bem fraca", afirmou na quarta-feira o diretor da United, Scott Kirby. Viagens a negócios "Os líderes das companhias aéreas afirmaram nos últimos meses que a situação estava melhorando. A diferença desta vez é que mostram que estão dispostos a investir", destacou Peter McNally, da consultora Third Bridge. "Durante 12 a 15 meses, eles só buscavam levantar capital, economizar caixa. Agora compram aviões, estão contratando", explicou. A United anunciou, no final de junho, sua intenção de comprar 270 aviões, seu maior pedido de aparelhos deste tipo. Já a American, além de recontratar 3.000 pessoas, contratou 3.500 novos funcionários desde o início do ano e planeja recrutar 350 pilotos em 2021 e 1.000 em 2022. Os turistas dos Estados Unidos voltaram a viajar e as viagens de negócios são retomadas progressivamente, mais rápido que o esperado pelas companhias. O segmento "business", particularmente lucrativo, registrou no primeiro trimestre apenas 22% da atividade que teve no mesmo período de 2019; atualmente, alcança 44% na comparação trimestral, destacou o presidente da American Airlines, Doug Parker, na CNBC nesta quinta-feira. As reuniões por Zoom "não farão as viagens a negócios desaparecerem", afirmou McNally, da Third Bridge. "Talvez os trajetos inúteis, como uma ida e volta de um presidente de uma empresa à Europa para um almoço, não sejam aceitos. Mas o restante das viagens de negócios será retomado, principalmente com a reativação da economia", estimou. A incógnita agora se volta para as viagens internacionais turísticas. "Toda vez que as restrições são levantadas" em um país, "registramos um aumento rápido e espetacular das reservas, o que comprova que há uma importante demanda contida de viagens internacionais", destacou o responsável da American Airlines, Robert Isom, nesta quinta-feira. Escassez de pilotos? Diante do aumento da atividade, assim como outros setores, a aviação comercial encontra dificuldades para conseguir equipe. "Em alguns aeroportos, estamos com falta de pessoal", admitiu o presidente da Southwest, Gary Kelly, na CNBC. Para McNally, há agora uma dificuldade para contratar pilotos. "As empresas estão todas tentando contratar mais pessoas ou fazer com que os funcionários antigos voltem", explicou. Mas muitos se aposentaram pela idade ou por incentivos financeiros propostos no ano passado quando as empresas buscavam economizar.
Veja Mais

22/07 - Canal bolsonarista Terça Livre volta ao ar no YouTube após nova decisão judicial
Determinação provisória prevê retorno dos canais do Terça Livre na plataforma sob multa de R$ 10 mil por dia. Conta no site pertence a Allan dos Santos, que é investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Allan dos Santos (à esquerda), durante operação da Polícia Federal contra fake news em maio de 2020. GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO A Justiça de São Paulo determinou na última quarta-feira (21) que o YouTube, plataforma que pertence ao Google, coloque o canal bolsonarista "Terça Livre" de volta ao ar. A conta no site é mantida por Allan dos Santos, investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em um inquérito que apura a propagação de fake news. A decisão tem caráter liminar (provisório) e foi expedida pelo desembargador Mathias Coltro, da 5ª Câmara de Direito Privado do TJ, e deve ser cumpria sob pena de multa de R$ 10 mil por dia. O canal foi desativado pela primeira vez em fevereiro deste ano por violar as diretrizes da plataforma. Alguns dias depois, o desembargador Coltro despachou uma liminar que determinava o retorno do perfil. Na semana passada, uma nova decisão da Justiça retirou o canal do ar outra vez. Agora, o YouTube restabeleceu os acessos e o perfil deve seguir disponível até o julgamento da apelação. YouTube remove vídeos do canal do presidente Jair Bolsonaro Decisão Ao determinar a retomada do canal, o desembargador disse que o perfil está no ar há mais de 6 anos, com mais de um milhão de inscritos e 8 mil membros assinantes, "além de contar com uma equipe de 50 funcionários e ter inúmeras contas a pagar" e que mantê-lo indisponível seria "desproporcional". A argumentação foi semelhante a da primeira liminar, emitida em fevereiro. Ao G1, a assessoria de imprensa do YouTube informou na semana passada que, após a eleição do presidente Joe Biden, nos Estados Unidos, o canal publicou um vídeo em que contestava o resultado das urnas. O vídeo foi desativado por violar a política "de integridade das eleições presidenciais" da plataforma. Após a penalização, o Terça Livre criou um novo canal na rede social para publicar o vídeo e, então, como penalidade, os dois perfis foram desativados da plataforma, disse a assessoria. Na época, a defesa do blogueiro alegou no processo que a decisão de retirar do ar todos os vídeos dos canais foi "unilateral" e "arbitrária" e que tentou contato com a empresa para obter a restauração dos vídeos, mas não teve retorno. Procurado pelo G1, o YouTube confirmou que restabeleceu o canal por conta da decisão judicial. "Continuaremos trabalhando para demonstrar ao Tribunal que as medidas adotadas pelo YouTube estão em linha com nosso esforço em preservar as regras aceitas por todos os nossos usuários e em garantir um ambiente seguro para todos na plataforma", disse a empresa. Investigado pela PF Allan dos Santos é alvo da Suprema Corte que apura ataques ao STF por meio de propagação de conteúdo falso na internet, as chamadas fake news. O outro inquérito em andamento no qual o blogueiro também é alvo apura o financiamento de atos antidemocráticos. Nos dois casos, Allan dos Santos nega envolvimento em irregularidades. No inquérito das fake news, o blogueiro diz que a investigação é "inconstitucional" e chegará à conclusão que ele "vive dos produtos que vende". O blogueiro também já foi alvo de operações da Polícia Federal. Em 2020, ele anunciou que deixou o Brasil, mas não divulgou onde está morando. 1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2x1.5x2x
Veja Mais

22/07 - Holanda multa TikTok com quase US$ 900.000 por violar leis de proteção de dados pessoais
Informações de download do aplicativo da rede social estavam escritas em inglês, o que tornava difícil entender para as crianças holandesas, segundo autoridades do país. aplicativo chines tiktok rede social logo smartphone Dado Ruvic/Reuters As autoridades holandesas aplicaram, nesta quinta-feira (22), uma multa de 884.000 dólares ao TikTok, afirmando que a rede social violou as leis de proteção de dados pessoais. A Autoridade de Proteção de Dados da Holanda (CBP) observou que as informações de download do aplicativo da rede social estavam escritas em inglês, o que tornava difícil entender para as crianças holandesas. Saiba como se proteger de golpes no WhatsApp "Ao não oferecer sua declaração de privacidade em holandês, o TikTok não forneceu uma explicação adequada sobre como o aplicativo coleta, processa e usa dados pessoais", destacou a CBP em um comunicado. "Essa é uma violação da legislação sobre a proteção da vida privada, que se baseia no princípio de que as pessoas devem ter sempre uma ideia clara do que é feito com seus dados pessoais", acrescentou o organismo. Em um comunicado enviado por e-mail à AFP, a plataforma respondeu que sua política de privacidade e um resumo mais acessível da mesma estavam disponíveis em holandês desde julho de 2020. O aplicativo foi alvo de várias investigações em vários países. A ex-comissária da Infância da Inglaterra processou o TikTok em abril, acusando a plataforma de vídeos de ter coletado ilegalmente dados pessoais de milhões de crianças no Reino Unido e Europa. Em maio, a Comissão Europeia também iniciou uma ação contra o TikTok, acusando-o de usar publicidade enganosa e dirigida às crianças em vários Estados-membros. TikTok: o aplicativo chinês que conquistou milhões de usuários
Veja Mais

22/07 - Governo anuncia desbloqueio de R$ 4,5 bilhões do Orçamento 2021 com revisão de gastos obrigatórios
Redução em gastos com salário de servidores e Bolsa Família deve abrir folga de R$ 12,3 bilhões no teto de gastos, diz equipe econômica. Bolsonaro já havia antecipado desbloqueio de recursos. O Ministério da Economia anunciou nesta quinta-feira (22) que o governo federal vai liberar os R$ 4,5 bilhões que restavam bloqueados no orçamento federal para este ano. O desbloqueio será possível com a revisão de despesas obrigatórias, principalmente do Bolsa Família e gastos com salários de servidores. Os dados foram divulgados no Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do terceiro bimestre de 2021. A liberação dos recursos só será oficializada quando o presidente Jair Bolsonaro editar um decreto com o desbloqueio, o que deve ocorrer até 30 de julho. A equipe econômica reduziu em R$ 9,5 bilhões a estimativa de gastos com o Bolsa Família. Segundo o secretário de Orçamento Federal, Ariosto Antunes Calau, a diminuição se explica porque parte dos beneficiários continuou recebendo o auxílio emergencial, que é financiado com créditos extraordinários. Já os gastos com pessoal, segundo as projeções divulgadas pela Economia, foram reduzidos em R$ 3,02 bilhões. A terceira maior redução, de R$ 1,755 bilhões, foi feita pela equipe econômica nas estimativas do impacto do Fies no resultado primário. A melhoria nas contas do programa de financiamento estudantil se deve principalmente ao Fundo Garantidor da Educação, que honrou operações em atraso. A liberação dos recursos já tinha sido antecipada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quarta (21). Veja no vídeo abaixo: Governo vai liberar para ministérios recursos bloqueados, diz presidente Bolsonaro Ao todo, a revisão de estimativas no terceiro bimestre reduziu os gastos obrigatórios em R$ 16,8 bilhões. Com isso, abriu-se uma folga de R$ 12,3 bilhões em relação ao teto de gastos. Até o segundo bimestre deste ano, o governo avaliava que não conseguiria cumprir o teto, que seria ultrapassado em R$ 4,5 bilhões -- motivo pelo qual os recursos estavam bloqueados e puderam ser liberados agora. Com o desbloqueio e o espaço no teto, a equipe econômica ainda estimou que os gastos livres do Executivo poderão crescer em R$ 2,8 bilhões. De acordo com Funchal, o governo federal não vai manter esses R$ 2,8 bilhões como reserva. Para realocar os recursos, o Executivo vai enviar um projeto de lei para o Congresso Nacional na volta do recesso parlamentar, em agosto. "No envio do PLN, vai estar descrita a distribuição dos recursos", afirmou. Os recursos no Orçamento foram contingenciados no início do ano, diante de incertezas sobre as receitas do governo num cenário econômico ainda bastante impactado pela pandemia de Covid-19. Nos últimos meses, porém, a economia deu sinais de melhora e alguns setores começaram a superar perdas do ano anterior. Créditos extraordinários No terceiro bimestre do ano, segundo dados do Tesouro Nacional, o volume de créditos extraordinários chega a R$ 124,9 bilhões. Em relação ao segundo bimestre de 2020, o montante cresceu em R$ 25,4 bilhões. De acordo com o secretário especial de Fazenda, Bruno Funchal, o aumento se deve principalmente à prorrogação do auxílio emergencial e à nova rodada do Pronampe. Bolsa Família de R$ 300 Para o ano que vem, o Ministério da Economia estima que haverá uma folga em relação ao teto de gastos de entre R$ 25 bilhões e R$ 30 bilhões. O espaço se explica pela redução nas estimativas de gastos obrigatórios, como benefícios de Previdência e salários de servidores. Nesse sentido, Funchal avalia que caberá no teto de gastos uma nova versão do programa com pagamentos "próximos" ao patamar de de R$ 300 mensais, como defende Bolsonaro. "Seguindo essas projeções de espaço entre R$ 25 bilhões e R$ 30 bilhões é possível fazer um programa que chegue próximo aos R$ 300 e reservar alguma coisa para investimentos", afirmou. Redução no rombo das contas públicas No relatório, o Ministério da Economia ainda prevê uma melhoria no resultado primário da União. O rombo previsto nas contas públicas para o final do ano caiu de R$ 187,7 bilhões (2,2% do PIB) para R$ 155,4 bilhões (1,8% do PIB). Funchal ressaltou que, com a melhoria nas contas públicas, a pasta passou a projetar que o resultado primário do governo será positivo entre 2023 e 2024. A volta do superávit primário era prevista apenas entre 2026 e 2027 pela equipe econômica. Educação tem maior desbloqueio A Educação é a área mais beneficiada com o desbloqueio dos recursos do Orçamento. Serão liberados R$ 1,557 bilhões para a pasta, o que corresponde a 34,44% dos recursos liberados. Na sequência vem a Economia, com liberação de R$ 830,5 milhões, e a Defesa, que terá R$ 671,7 adicionais.
Veja Mais

22/07 - Britânico é preso na Espanha por hackear contas do Twitter de personalidades em 2020
'Mentor' do ataque cumpre pena nos EUA desde março de 2021 e Justiça do país busca outros envolvidos. Mensagem em conta de Jeff Bezos, Bill Gates, Kim Kardashian e outras celebridades prometia 'pagamento em dobro' por bitcoin. Mensagem com golpe envolvendo bitcoin apareceu no Twitter de Jeff Bezos, dono da Amazon Reprodução/Twitter Um britânico de 22 anos foi preso na Espanha acusado de ser um dos participantes de uma invasão a cerca de 130 contas de empresas, celebridades e políticos no Twitter em 2020. A polícia nacional espanhola prendeu o rapaz, Joseph O'Connor, na última quarta-feira (21), com base em uma ordem emitida por um tribunal federal dos Estados Unidos. Nesta quinta, um juiz espanhol emitiu a ordem de prisão preventiva ao avaliar "o risco de fuga, devido à falta de raízes e à gravidade dos acontecimentos", segundo a agência de notícias AFP. O jovem é acusado por acesso não autorizado a computadores, extorsão e assédio cibernético. Entre os perfis invadidos no Twitter estavam o do agora presidente dos EUA, Joe Biden, o da estrela de TV Kim Kardashian, o do ex-presidente dos EUA Barack Obama e dos bilionários Bill Gates, Jeff Bezos e Elon Musk. Ao acessar as contas, os hackers publicavam uma mensagem fraudulenta prometendo "retorno em dobro" para quem enviasse dinheiro a um endereço de bitcoin fornecido na mensagem. Outras pessoas por trás do ataque No início deste ano, um adolescente do estado da Flórida, nos EUA, acusado de planejar o ataque foi condenado a cumprir três anos de prisão em uma instituição para menores, em um acordo de culpa assumida. Descrito como o cérebro do caso, Graham Ivan Clark, de 18 anos, foi condenado à pena máxima permitida pela lei de Criminosos Juvenis da Flórida. Clark tinha 17 anos quando foi acusado, e seu caso foi transferido para um tribunal do estado, devido à sua condição de menor de idade. Ele conseguiu acessar as contas ao convencer funcionários do Twitter de que ele trabalhava no departamento de tecnologia da informação da rede social. De acordo com a Procuradoria da Flórida, o esquema criado pelo jovem conseguiu arrecadar mais de US$ 100 mil em bitcoin em apenas um dia. SAIBA MAIS: Twitter ja foi alvo de outros golpes semelhantes O incidente fez com que o Twitter revisasse práticas de segurança e, na ocasião, obrigou que a rede impedisse contas verificadas de fazer publicações. Outros dois jovens foram acusados de participar da invasão: Mason Sheppard, do Reino Unido, e Nima Fazeli, de Orlando, nos EUA. Relembre o ataque: Barack Obama, Joe Biden, Elon Musk, Bill Gates e Apple têm contas do Twitter hackeadas
Veja Mais

22/07 - Falha em provedor deixa diversos sites temporariamente fora do ar nesta quinta
Serviços como PSN, do PlayStation, Airbnb, iFood e MercadoLivre foram afetados por problema em DNS, que durou cerca de 1 hora. Acessos já foram restabelecidos. Diversos sites ficaram fora do ar no Brasil e no mundo. Mike Gieson/Freeimages.com Uma falha no provedor americano Akamai deixou diversos sites on-line temporariamente fora do ar nesta quinta-feira (22). Entre os serviços afetados estavam a PSN (rede de jogos do PlayStation), Steam, Airbnb, iFood e MercadoLivre. Os problemas começaram por volta das 13h (horário de Brasília). A página de status dos serviços da Akamai confirmou o problema, que cerca de uma hora depois foi resolvido. VEJA TAMBÉM: 5 dicas de segurança para sua vida digital A companhia afirmou em seu perfil do Twitter que o problema não foi resultado de um ataque cibernético aos seus sistemas. A Akamai oferece uma plataforma de Domain Name Service (DNS) para diversos sites ao redor do mundo. O DNS é a "agenda de contatos" da internet. É ele que registra os números (endereços de IP) associados aos "nomes de domínio" (como "globo.com"). A internet só funciona com números, então essa "agenda" cumpre o objetivo de permitir consultas (chamadas de "resoluções de domínio") para que qualquer pessoa possa saber o número de IP do site que pretende acessar. LEIA MAIS: Saiba o que é verdade e o que é mito na segurança do DNS personalizado e privacidade de VPN A empresa se propõe a garantir mais estabilidade e agilidade nessa consulta à "agenda de contatos", além de proteger os sites que as contratam de ataques de hackers. No YouTube, G1 explica o que é NFT
Veja Mais

22/07 - Um a cada 13 passageiros teve voo atrasado ou cancelado no país no 1º semestre; saiba quem pode ser indenizado
Levantamento feito por empresa especializada em direitos de passageiros aéreos indica que mais de 1,2 milhão de passageiros sofreram atrasos ou cancelamentos de voo no país nos primeiros seis meses de 2021. Destes, 170,3 mil podem ter direito a indenização. Movimentação no aeroporto de Guarulhos, em SP, em foto de 19 de abril de 2021; terminal foi líder de atrasos e cancelamentos no 1º semestre WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Cerca de 1,2 milhão de pessoas tiveram voos atrasados ou cancelados nos aeroportos brasileiros no 1º semestre de 2021, o que corresponde a um em cada 13 passageiros que tinham viagem aérea programada no período. Do total de afetados, 170,3 mil podem ter direito a cobrar indenização na Justiça (veja mais abaixo quem pode pedir essa indenização). Os dados constam em um levantamento realizado pela AirHelp, empresa especializada em direitos de passageiros aéreos, obtido com exclusividade pelo G1. Segundo a empresa, ela utiliza “uma variedade de fontes e as combina em um banco de dados global” para compor as informações utilizadas na pesquisa, feita entre janeiro e junho deste ano. De acordo com o levantamento, os atrasos são mais comuns que os cancelamentos. Do total de passageiros prejudicados pelo não cumprimento do voo contratado, 1,7 milhão enfrentou espera inferior a 4 horas para o embarque. Já os atrasos superiores a 4 horas afetaram apenas cerca de 15 mil pessoas. Os cancelamentos, por sua vez, prejudicaram 191,9 mil passageiros. Um a cada 13 passageiros sofreram com atrasos ou cancelamentos de voos no 1º semestre Economia/G1 O levantamento também que os aeroportos de Guarulhos e Campinas, em São Paulo, e de Recife, em Pernambuco, lideraram o ranking de atrasos e cancelamentos no semestre. Aeroporto Internacional de Guarulhos, com 278,7 mil passageiros prejudicados; Aeroporto Internacional de Viracopos (Campinas), com 110,9 mil passageiros prejudicados; Aeroporto Internacional de Recife (Pernambuco), com 111,1 mil passageiros prejudicados; Já as rotas com mais problemas em voos no período foram: a que liga os aeroportos de Guarulhos e Recife, com 21,3 mil passageiros prejudicados; a que liga o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ao Recife, com 16,3 mil passageiros prejudicados; a que liga o aeroporto de Viracopos ao aeroporto Internacional de Manaus, com 14,7 passageiros prejudicados. Saiba quem tem direito à reparação financeira: Nem todo passageiro que enfrenta atraso ou cancelamento de voo tem direito a compensação financeira por parte da companhia aérea. Do total de afetados nos primeiros seis meses do ano, apenas 14,2% poderiam recorrer a uma indenização. A AirHelp apontou que os cancelamentos e atrasos superiores a 4 horas são mais passíveis de ressarcimento desde que não tenham sido decorrentes de mau tempo ou outros problemas justificáveis pelas companhias aéreas. Segundo a empresa, para ter direito à indenização é preciso que o passageiro comprove que o atraso ou cancelamento do voo provocou “sofrimento, estresse ou prejuízo”. Todavia, a companhia aérea precisa ser responsável direta pelo não cumprimento do voo, seja por problemas técnicos ou falta de tripulantes, por exemplo. “Eventos como a perda de uma consulta médica importante, o cancelamento de um contrato, uma demissão, a ausência em um evento de grande significado emocional, são situações que podem dar origem a um pedido de compensação perante a companhia aérea”, enfatizou a AirHelp. Condições climáticas extremas podem ser usadas pelas companhias para justificar a interrupção do voo. Mas, diante deste contexto, elas são obrigadas a prestar assistência e atendimento aos passageiros, incluindo ajuda de custos para alimentação, transporte e hospedagem de acordo com o prazo para remarcação do voo. Em média, segundo a AirHelp, uma indenização por danos morais decorrente de viagem aérea chega a R$ 5 mil. O prazo para recorrer à Justiça é de 5 anos a contar da data do voo, em caso de viagens domésticas, ou seja, realizadas dentro do Brasil. Para voos internacionais, o prazo cai para 2 anos. O que diz a legislação No Brasil, os passageiros aéreos são protegidos pelo Código de Defesa do Consumidor e pela legislação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). São as duas legislações que definem as responsabilidades das companhias aéreas para o cumprimento dos voos contratados. Alguns critérios precisam ser atendidos para que o passageiro possa exigir compensação financeira pelo não cumprimento da viagem dentro do horário previsto. São eles: O voo precisa pousar ou decolar de um aeroporto brasileiro; O cancelamento ter sido comunicado tardiamente pela companhia aérea; O voo ter sofrido mais de 4 horas de atraso; O voo ter tido overbooking (quando a companhia vende mais passagens que a capacidade da aeronave); O passageiro não ter recebido assistência da companhia aérea no aeroporto diante da falha.
Veja Mais

22/07 - Financiamento imobiliário bate recorde em junho, diz Abecip
Crédito com recursos de poupança somou R$ 19,66 bilhões, maior volume nominal mensal da série histórica iniciada em 1994. Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas de poupança somaram R$ 19,66 bilhões em junho, maior volume nominal mensal da série histórica iniciada em 1994, divulgou a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) nesta quinta-feira (22). O montante representa uma expansão de 12,5% ante maio e um salto de 112,1% na comparação com junho do ano passado. Financiamento imobiliário com recursos da poupança - junho/21 Economia G1 No acumulado de 2021, o montante financiado com os recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) totalizou R$ 97 bilhões, alta de 123,9% ano a ano, segundo a Reuters. Já no acumulado em 12 meses, foram R$ 177,67 bilhões, alta de 101,1% em relação aos 12 meses anteriores. Imóveis financiados Em junho, foram financiados 86,2 mil imóveis, 17,8% mais que em maio. Frente a junho de 2020, a alta foi de 160%, segundo a Abecip. No acumulado do ano, foram 417,95 mil imóveis financiados, uma alta de 160% frente ao mesmo período de 2020. Já no acumulado em 12 meses, foram 684,02 mil imóveis – alta de 329,46%. Expectativas Para o ano fechado de 2021, a expectativa é que cresça 57%, para R$ 195 bilhões, um novo recorde histórico. A presidente da Abecip, Cristiane Portella, explicou que o crescimento do crédito deve desacelerar no segundo semestre porque a base de comparação é elevada, já que na segunda metade do ano passado os financiamentos já vinham crescendo bastante. Ainda assim, ela aponta que deve haver uma expansão de 1% no segundo em relação ao primeiro semestre. Aumento dos juros Segundo Portella, com a expectativa de novos aumentos da taxa básica de juros, a Selic, e das taxas de longo prazo, o crédito imobiliário deve ficar um pouco mais caro nos próximos meses. “É natural que tenhamos sim reajuste de taxas, mas não na magnitude de alta da Selic, até pelo ambiente de competição e o desejo dos bancos de manter relacionamentos de longo prazo com os clientes”, diz. Segundo ela, as taxas poderiam sair do patamar atual de perto de 6,9% para algo entre 7,5% e 8%. Para a presidente da Abecip, esse é um juro abaixo de 8% é algo que “cabe no bolso” do consumidor final e não deve chegar nem perto do pico visto em 2017, quando as taxas atingiram quase 11,5%. “Este é melhor momento para comprar um imóvel”, disse em teleconferência com jornalistas, segundo o Valor Online. Isso porque, além do aumento de juros, os preços dos imóveis também estão subindo. Ela lembrou que essa recomposição de preços vem desde 2019, se acelerou nos últimos meses, mas ainda assim os imóveis estão abaixo do pico de 2014, quando os preços são deflacionados.
Veja Mais

22/07 - Mercedes-Benz acelera planos e vai desenvolver apenas carros elétricos a partir de 2025
Montadora alemã anunciou investimentos de pelo menos 40 bilhões de euros entre 2022 e 2030 no segmento. A Mercedes-Benz anunciou nesta quinta-feira (22) que vai acelerar seu plano de transição para carros elétricos. A montadora alemã anunciou investimentos de pelo menos 40 bilhões de euros entre 2022 e 2030 no segmento e que todos os veículos desenvolvidos a partir de 2025 serão elétricos. Elétrico Mercedes-Benz EQC é apresentado em São Paulo em imagem de 2019 André Paixão/G1 “A mudança para veículos elétricos está aumentando, especialmente no segmento de luxo, onde a Mercedes-Benz atua. O ponto de inflexão está chegando e vamos estar preparados para ser uma companhia somente elétrica ao fim desta década”, disse Ola Källenius, diretor-presidente da Daimler e da Mercedes, em nota. Para alcançar o feito, a montadora estima que vai precisar de 200 gigawatts por hora em baterias e planeja construir oito fábricas para a produção de células de energia ao redor do mundo. A Mercedes agora estima que 50% dos carros produzidos pela companhia serão elétricos em 2025, ante projeção anterior de 25%. A alocação de recursos para carros movidos a combustíveis fósseis também deve cair 80% entre 2019 e 2026, diz a montadora, com a mudança de estratégia.
Veja Mais

22/07 - Uber adquire Transplace por US$ 2,25 bi para fortalecer serviços de logística
Uma parcela de US$ 750 milhões será paga em ações e o restante em dinheiro para a TPG Capital, fundo que controlava a empresa. Uber adquire Transplace por US$ 2,25 bi para fortalecer serviços de logística. Luisa Gonzalez/Reuters A Uber anunciou nesta quinta-feira (22) que comprou a Transplace, empresa que desenvolve soluções e serviços para logística, por US$ 2,25 bilhões. Uma parcela de US$ 750 milhões será paga em ações e o restante em dinheiro para a TPG Capital, fundo que controlava a empresa. A aquisição, feita pela subsidiária Uber Freight, braço de logística da companhia, vai criar uma das “maiores e mais abrangentes plataforma de logística do planeta”, diz a Uber, em nota. Uber amplia pedido de foto de documento para corridas em dinheiro “Essa é uma oportunidade de trazer uma tecnologia complementar de ponta para criar uma plataforma que vai transformar o setor de logística, entregando resiliência operacional e redução de custos”, diz Lior Ron, diretor da Uber Freight. A Uber diz que a aquisição vai ajudar a Uber Freight a cobrir seus custos com base no Ebitda ajustado até o fim de 2022. VÍDEOS: Segurança digital
Veja Mais

22/07 - Simone Biles é a primeira atleta a ter seu próprio emoji no Twitter
Ícone na rede social representa uma cabra com uniforme de ginástica artística e uma medalha de ouro, uma referência ao título de melhor ginasta da história (Greatest Of All Time, GOAT, palavra que significa cabra em inglês). Simone Biles, ginasta dos EUA Mike Blake/Reuters A ginasta americana Simone Biles é a primeira atleta a ter o próprio emoji no Twitter, segundo um anúncio da própria rede social nesta quinta-feira (22). O emoji representa uma cabra com uniforme de ginástica artística e uma medalha de ouro no pescoço, uma referência ao título de melhor ginasta da história (Greatest Of All Time, GOAT, palavra que significa cabra em inglês). Biles inclusive começou a usar nas competições trajes com o desenho de uma cabra com lantejoulas, com o objetivo, afirma de estimular os jovens. LEIA MAIS: Os movimentos de Simone Biles "Espero que as crianças que vejam não tenham vergonha de ser boas em qualquer área", explicou recentemente em uma entrevista. Initial plugin text . As Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, foram as primeiras da carreira de Biles, que fez história subindo ao pódio cinco vezes, com quatro medalhas de ouro (equipes, salto, solo e individual geral) e uma de bronze (trave olímpica). Em Mundiais da categoria, ela soma 19 ouros, 3 pratas e 3 bronzes. Recentemente, ela executou novos movimentos e os batizou com seu nome. Ginasta Biles realiza dois movimentos e os batiza com o nome dela
Veja Mais

22/07 - Guedes defende mudança ministerial e diz que é natural governo buscar mais apoio no Congresso
Minirreforma vai recriar o Ministério do Trabalho e tirar a pasta da Economia, onde ficava sob a alçada do ministro Paulo Guedes. Mudanças na Esplanada servirão para acomodar o senador Ciro Nogueira na Casa Civil. O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nesta quinta-feira (22) a minirreforma ministerial anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro. As mudanças a serem promovidas vão recriar o Ministério do Trabalho, que hoje está sob responsabilidade de Guedes. Guedes disse que a mudança não vai mexer no "coração" da política econômica do governo. Afirmou ainda que é natural o governo reformular a equipe para buscar mais apoio no Congresso. Uma das mudanças deve ser a ida do senador Ciro Nogueira (PP-PI), membro do Centrão, para a Casa Civil. "Está havendo reorganização interna sem nenhuma ameaça ao coração da política econômica. Zero ameaça", afirmou Guedes. Bolsonaro confirma Ciro Nogueira na Casa Civil Quem deve assumir o Ministério do Trabalho é o atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni. Guedes afirmou que Lorenzoni está alinhado com a política econômica do governo. "Não vai mudar orientação da política econômica. Ela é a mesma. Quando elaboramos o plano econômico Onyx estava lá", disse o ministro. Guedes argumentou que é necessário o reforço da aliança política no Congresso, em especial no Senado. "É natural que haja uma coalização política de centro-direita para sustentar a agenda de reformas. E vocês sabem que isso tem andado muito bem na Câmara, que acelerou as reformas, os senhores sabem também que tem havido dificuldades no Senado. Então, é natural que haja uma reacomodação de forças políticas. É natural que o presidente queira reforçar a sustentação parlamentar, particularmente no Senado”, disse Guedes. VÍDEOS: veja mais notícias de política
Veja Mais

22/07 - Ciee abre 42 vagas de estágio e Jovem Aprendiz na região de Campinas; veja como se candidatar
Oportunidades são para a metrópole, além de Monte Mor, Hortolândia, Indaiatuba, Sumaré e Americana. Bolsas auxílio variam de R$ 500 a R$ 1.775,52. Ciee tem 42 vagas de estágio e jovem aprendiz para Campinas (SP), Monte Mor (SP), Hortolândia (SP), Indaiatuba (SP), Sumaré (SP) e Americana (SP) Divulgação O Centro de Integração Empresa Escola (Ciee) divulgou, nesta quinta-feira (22), 42 vagas de estágio e Jovem Aprendiz para Campinas (SP), Monte Mor (SP), Hortolândia (SP), Indaiatuba (SP), Sumaré (SP) e Americana (SP). As bolsas auxílio variam de R$ 500 a R$ 1.775,52. Veja, abaixo, as ofertas e como se candidatar. Estágio Recursos Humanos Local: Campinas Horário: 09h às 16h. Bolsa auxílio: R$ 1,1 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para erica.sousa@ciee.org.br e colocar no assunto VAGA RH - 3665344 Técnico em administração Local: Campinas Horário: variável Bolsa auxílio: R$ 700 Benefícios: recesso remunerado e vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para guilherme.mello@ciee.ong.br e colocar o código 03538710 no assunto Administração Local: Campinas Horário: 12h30 às 18h30 Bolsa auxílio: R$ 1,4 mil Benefícios: vale transporte, assistência médica, assistência odontológica, recesso remunerado e vale refeição Como se candidatar: enviar currículo para guilherme.mello@ciee.ong.br e informar o código 03546670 no assunto Gestão da administração Local: Campinas Horário: 12h as 19h Bolsa auxílio: R$ 1 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para guilherme.mello@ciee.ong.br e informar o código 03562246 no assunto do e-mail Técnico em farmácia Local: Hortolândia Horário: 9h ás 16h Bolsa auxílio: R$ 600 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para kevelim.souza@ciee.ong.br e informar o código 03552473 no assunto Ensino médio Local: Hortolândia Horário: 7h30 ás 13h30 Bolsa auxílio: R$ 600 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para kevelim.souza@ciee.ong.br e escrever 03557558 no assunto Técnico em administração Local: Campinas Horário: 7h às 13h Bolsa auxílio: R$ 750 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e indicar no assunto o código 03575787 Administração Local: Campinas Horário: 11h às 17h Bolsa auxílio: R$ 950 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br com o código 03521067 no assunto Administração Local: Campinas Horário: 11h30 às 17h30 Bolsa auxílio: R$ 800 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e colocar 03576487 no assunto Administração e logística Local: Campinas Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 800 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e escrever o código 03570310 no assunto Técnico em informática Local: Campinas Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 900 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br com o número 03570286 no assunto Engenharia elétrica Local: Campinas Horário: a combinar Bolsa auxílio: R$ 1,5 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e colocar o código 03565448 no assunto Marketing e publicidade Local: Campinas Horário: 10h às 17h Bolsa auxílio: R$ 1.350 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e informar o código 03558613 no assunto Administração Local: Campinas Horário: 12h às 18h Bolsa auxílio: R$ 600 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e escrever no assunto o número 03557777 Administração Local: Campinas Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 1,1 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e colocar no assunto o número 03555856 Marketing e publicidade Local: Campinas Horário: 8h às 14h Bolsa auxílio: R$ 1,2 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br com o código 03555624 no assunto Engenharia civil Local: Campinas Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 1.775,52 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e escrever no assunto 03572375 Marketing e publicidade Local: Campinas Horário: 9h às 16h Bolsa auxílio: R$ 1 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br com o código 03569665 no assunto Marketing e publicidade Local: Campinas Horário: 12h às 18h Bolsa auxílio: R$ 1,1 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e indicar no assunto o número 3562960 Administração Local: Campinas Horário: a combinar Bolsa auxílio: R$ 700 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e colocar no assunto 03551984 Ciências contábeis Local: Campinas Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 1 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br com o código 03554325 no assunto Ciências contábeis, administração e ciências econômicas Local: Campinas Horário: 9h às 16h Bolsa auxílio: R$ 1,6 mil Benefícios: vale transporte, vale alimentação e vale refeição Como se candidatar: enviar currículo para caroline.dias@ciee.ong.br e colocar o número 03569722 no assunto Engenharia de Produção Local: Indaiatuba Horário: negociável Bolsa auxílio: R$ 1,2 mil Benefícios: vale transporte, vale alimentação, almoço e café da manhã na empresa Como se candidatar: enviar currículo para georgia.fernandes@ciee.org.br com o assunto Vaga Eng. Produção - 03563495 Administração Local: Indaiatuba Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 750 Benefícios: vale transporte e refeição na empresa Como se candidatar: enviar currículo para georgia.fernandes@ciee.org.br e, no assunto, informar o código Vaga Adm - 03530284 Elétrica/Eletrônica Local: Indaiatuba Horário: 16h às 22h Bolsa auxílio: R$ 500 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para georgia.fernandes@ciee.org.br e escrever o código Vaga Elétrica/Eletrônica - 03555519 Engenharia de controle e automação Local: Indaiatuba Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 800 Benefícios: vale transporte e refeição na empresa Como se candidatar: enviar currículo para georgia.fernandes@ciee.org.br e colocar Vaga Eng. controle e automação - 03534466 no assunto Engenharia Eletrônica Local: Indaiatuba Horário: 16h às 22h Bolsa auxílio: R$ 500 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para georgia.fernandes@ciee.org.br com o assunto Vaga Eng. Eletônica - 03555529 Engenharia Mecânica Local: Indaiatuba Horário: 12h30 às 18h30 Bolsa auxílio: R$ 1.480 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para georgia.fernandes@ciee.org.br e indicar o código Vaga Eng. Mecânica – 03556549 no assunto do e-mail Call Center Local: Sumaré Horário: 9h às 16h Bolsa auxílio: R$ 500 Benefícios: vale transporte. Como se candidatar: enviar currículo para yara.oliveira@ciee.ong.br e, no assunto do e-mail, escrever o código 03571508 Pedagogia Local: Americana Horário: 11h às 17h Bolsa auxílio: R$ 1 mil Benefícios: vale transporte e lanche na empresa Como se candidatar: enviar currículo para yara.oliveira@ciee.ong.br e colocar o número 03565691 no assunto Administração Local: Sumaré Horário: 8h30 às 14h30. Bolsa auxílio: R$ 900 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para yara.oliveira@ciee.ong.br e, no assunto, informar o código 03518712 Design gráfico Local: Americana Horário: 8h às 15h Bolsa auxílio: R$ 830 Benefícios: vale transporte. Como se candidatar: enviar currículo para yara.oliveira@ciee.ong.br com o número 03540223 no assunto do e-mail Biomedicina Local: Americana Horário: 12h30 às 18h30. Bolsa auxílio: R$ 800 Benefícios: vale transporte. Como se candidatar: enviar currículo para yara.oliveira@ciee.ong.br e colocar o código 03548138 no assunto Jovem aprendiz Administração Requisito: estar cursando o ensino médio Local: Monte Mor Horário: 07h40 às 13h40 Bolsa auxílio: R$ 970 Benefícios: cesta básica e ônibus da empresa Como se candidatar: enviar currículo para beatriz.novaes@ciee.ong.br e escrever o código 03574520 no assunto Produção Requisito: ter de 18 a 22 anos Local: Hortolândia Horário: 11h33 às 17h33 Bolsa auxílio: R$ 774,99 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para beatriz.novaes@ciee.ong.br e informar o código 03571494 no assunto Comércio e varejo Requisito: ter de 14 a 17 anos Local: Campinas Horário: 08h às 12h Bolsa auxílio: R$ 5 por hora Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para rayla.matos@ciee.ong.br e colocar no assunto Vaga Ciee - 03569712 Administração Requisito: estar cursando o ensino médio Local: Campinas Horário: 7h às 11h Bolsa auxílio: R$ 658 Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para rayla.matos@ciee.ong.br e escrever Vaga Ciee - 03569910 no assunto Administração Requisito: estar cursando o ensino médio Local: Campinas Horário: 8h às 14h Bolsa auxílio: R$ 1,1 mil Benefícios: vale transporte Como se candidatar: rayla.matos@ciee.ong.br e no assunto informar o código Vaga Ciee - 03575916 Administração Requisito: estar cursando o ensino médio Local: Campinas Horário: 8h às 12h Bolsa auxílio: R$ 5 por hora Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para rayla.matos@ciee.ong.br com assunto Vaga Ciee - 03576715 Produção Requisito: ter de 18 a 21 anos Local: Campinas Horário: 8h às 12h e 12h às 16h Bolsa auxílio: R$ 5 por hora Benefícios: vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para rayla.matos@ciee.ong.br e colocar Vaga Ciee - 03543030 no assunto Logística Requisito: estar cursando o ensino médio Local: Sumaré Horário: 7h às 13h Bolsa auxílio: R$ 774,99 Benefícios: seguro de vida e vale transporte Como se candidatar: enviar currículo para yara.oliveira@ciee.ong.br e colocar o número 03568583 no assunto Arco administrativo Requisito: estar cursando o ensino médio Local: Sumaré Horário: 13h às 17h Bolsa auxílio: R$ 5 por hora Benefícios: vale transporte. Como se candidatar: enviar currículo para yara.oliveira@ciee.ong.br com o código 03547930 no assunto VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas.
Veja Mais

22/07 - Twitter experimenta opção para 'reprovar' respostas a tuítes no iPhone
Rede social disse que recurso faz parte de uma pesquisa para entender quais tipos de interações são mais relevantes. Ícone do Twitter, em smartphone Thomas White/Reuters O Twitter anunciou na última quarta-feira (21) um teste exclusivo para o aplicativo para iPhones que adiciona um botão para "reprovar" respostas dadas a um tuíte. Segundo a rede social, somente alguns usuários irão ver o botão, que pode ser um polegar virado para baixo ou uma seta para baixo. Apesar da representação gráfica, a plataforma disse que "não se trata de um botão de dislike" (ou "não curtir", em português). SAIBA MAIS: Twitter começa a liberar versão paga que oferece recursos adicionais Botão de 'reprovar' no Twitter pode aparecer com diversas aparências Reprodução/Twitter O Twitter disse que o teste faz parte de uma pesquisa para entender quais tipos de interações são mais relevantes em uma conversa em sua plataforma. O número de reprovações não será exibido para o público, nem para o autor da resposta. A ordem da conversa também não será alterada. Por se tratar de um experimento, não há previsão de quando a opção seria ampliada para outros usuários e para as versões do Android e na web. É possível que o recurso não seja lançado definitivamente. Usuário da rede social criticaram a função, apontando que a ferramenta poderia ser utilizada para silenciar ou atacar pessoas. O Twitter tem anunciado com mais frequências os testes que tem feito em sua plataforma. Recentemente, a rede social disse que estava considerando adicionar opção para enviar tuítes para "amigos próximos". No YouTube, G1 explica o que é NFT
Veja Mais

22/07 - Bovespa fecha em alta de 0,17% com volume financeiro abaixo da média
Nesta quinta-feira (22), o principal índice da bolsa avançou 0,17%, aos 126.146 pontos. O principal índice de ações da B3, o Ibovespa, fechou em alta de 0,17%, aos 126.146 pontos, em uma sessão sem muito entusiasmo e com volume financeiro abaixo da média, tendo de pano de fundo um viés positivo em Wall Street, mas declínio das ações dos bancos. O volume financeiro no pregão totalizava R$ 19,7 bilhões, de uma média diária de R$ 28,9 bilhões no mês e de R$ 34,7 bilhões no ano. Com o resultado desta quarta, a bolsa acumula queda mensal de 0,52% e alta anual de 5,99%. Veja mais cotações. Já o dólar fechou em alta de 0,43%, cotado a R$ 5,2123. s Cenário No cenário local, as atenções seguem voltadas para as mudanças ministeriais prometidas para a próxima semana. O senador Ciro Nogueira deve assumir o comando da Casa Civil, e o ministério do Trabalho pode ser recriado, retirando atribuições do ministro da Economia, Paulo Guedes. Guedes fala em 'reorganização interna' na Economia, após Bolsonaro indicar reforma ministerial No exterior, o dia é positivo, com ações mega-cap de tecnologia e de energia avançando nos Estados Unidos antes de uma nova série de balanços corporativos e com investidores avaliando dados do mercado de trabalho que mostraram uma alta inesperada dos pedidos de seguro desemprego no país. Variação do Ibovespa em 2021 G1 00:00 / 14:18
Veja Mais

22/07 - American Airlines tem o primeiro lucro desde o início da pandemia
Companhia reportou um ganho de US$ 19 milhões no segundo trimestre de 2021 A American Airlines reportou nesta quinta-feira (22) um lucro líquido de US$ 19 milhões no segundo trimestre de 2021, diluído em US$ 0,03 por ação. No mesmo período de 2020, a companhia teve um prejuízo de US$ 2,07 bilhões. Foi o primeiro lucro da empresa após 5 trimestres consecutivos de perdas. Em base ajustada, ou seja, excluindo itens especiais, a aérea obteve um prejuízo líquido no segundo trimestre de US$ 1,09 bilhão ou US$ 1,69 por ação. Um ano antes, o prejuízo líquido ajustado por ação foi de US$ 7,82. Os analistas do mercado, segundo a FactSet, esperavam por perdas de US$ 2,03. A receita líquida do segundo trimestre somou US$ 7,5 bilhões, número que representa um aumento de 87% em relação ao primeiro trimestre de 2021 e uma alta de 4,6 vezes a receita do mesmo período de 2020. O resultado também ficou acima do consenso da FactSet de US$ 7,32 bilhões. A companhia encerrou o período com aproximadamente US$ 21,3 bilhões de liquidez total disponível, um recorde para a empresa. A taxa de ocupação das aeronaves pulou em um ano de 42,3% para 77%, correspondendo às expectativas. Aviões da American Airlines no pátio do Aeroporto de Phoenix, nos EUA, em imagem de arquivo Ross D. Franklin/Arquivo/AP Photo A American também acelerou o processo de desalavancagem com o pagamento antecipado de um empréstimo a prazo de peças de reposição de US$ 950 milhões e a promessa de pagar aproximadamente US$ 15 bilhões em dívidas até o final de 2025. De olho na recuperação da demanda com o avanço da vacinação e tentando adaptar a oferta, a American Airlines afirmou que irá continuar equiparando sua oferta de assentos com o volume de reservas que estão sendo registradas. A empresa espera que sua capacidade de voo no terceiro trimestre fique aproximadamente 15% a 20% abaixo dos níveis do terceiro trimestre de 2019, período pré-pandemia. A American também espera que sua receita total no terceiro trimestre caia aproximadamente 20% em relação ao terceiro trimestre de 2019 e que a margem antes dos impostos do terceiro trimestre, excluindo itens especiais líquidos, fique entre 3% negativos e 7% negativos.
Veja Mais

22/07 - Pedidos semanais de auxílio-desemprego nos EUA sobem inesperadamente
Pedidos iniciais de auxílio-desemprego aumentaram em 51 mil, para um número com ajuste sazonal de 419 mil na semana encerrada em 17 de julho O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou inesperadamente na semana passada, mas isso não deve sugerir uma mudança material nas condições do mercado de trabalho, já que se espera outro mês de forte crescimento do emprego em julho. Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego aumentaram em 51 mil, para um número com ajuste sazonal de 419 mil na semana encerrada em 17 de julho, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira (22). Economistas consultados pela Reuters previam 350 mil novos pedidos para a última semana.
Veja Mais

22/07 - BC europeu promete juros baixos por ainda mais tempo para sustentar preços
BCE quer ajudar a inflação na zona do euro a subir para sua meta de 2%. O Banco Central Europeu (BCE) prometeu nesta quinta-feira (22) manter as taxas de juros em mínimas recordes por ainda mais tempo para ajudar a inflação na zona do euro a subir para sua meta de 2%. O banco central dos 19 países que usam o euro disse que não vai aumentar os juros até que veja a inflação alcançar sua meta de 2% "bem antes do fim de seu horizonte de projeção e de forma durável". A inflação ficou abaixo desse nível pela maior parte da última década. Sede do Banco Central Europeu (BCE) em Frankfurt, em imagem de arquivo Ralph Orlowski/Reuters A mensagem provavelmente tem o objetivo de fazer com que as expectativas para a primeira alta de juros do BCE desde 2011 sejam jogadas ainda mais para frente, já que a inflação na zona do euro não deve alcançar 2% por pelo menos dois anos, segundo estimativas do próprio BCE. "O Conselho espera que as taxas de juros do BCE permaneçam em seus níveis atuais ou mais baixos até que veja a inflação alcançar 2% bem antes do fim do seu horizonte de projeções e de forma durável pelo restante do horizonte de projeções e até que julgue que o progresso realizado na inflação esteja suficientemente avançado para ser consistente com a estabilização da inflação em 2% no médio prazo", disse o BCE. "Isso pode também implicar um período transitório em que a inflação fique moderadamente acima da meta", acrescentou. A orientação anterior do BCE dizia que o banco iria manter os juros onde estavam até que estivesse satisfeito com a convergência das expectativas de inflação para sua meta e que pararia de comprar títulos segundo seu programa de afrouxamento quantitativo pouco antes disso. A mudança na linguagem foi provocada pela nova estratégia apresentada neste mês, quando o BCE prometeu ser "especialmente enérgico ou persistente" e que deixaria a inflação ir acima de 2% porque os juros estão muito baixos.
Veja Mais

22/07 - Lira nega ter sido ameaçado pelo ministro da Defesa; Braga Netto diz que ameaça é invenção
O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira (22) que é "mentira" a informação trazida pelo jornal "O Estado de S. Paulo" de que o ministro da Defesa, general Braga Netto, teria enviado um recado a ele avisando que, se não houver a aprovação do voto impresso e "auditável", não haveria eleições em 2022. Lira afirmou ao blog que irá soltar uma nota sobre o tema, negando a informação trazida pelo jornal. Na manhã desta quinta, ao chegar ao Ministério da Defesa, Braga Netto foi questionado por jornalistas sobre a reportagem. Ele disse que é "invenção". Ao sair de evento, ele afirmou que "trata-se de mais uma desinformação que gera instabilidade entre os poderes da República em um momento que exige a união nacional". VÍDEO: 'Invenção', diz Braga Netto sobre ameaça a Arthur Lira O vice-presidente, Hamilton Mourão, também foi questionado sobre o tema ao chegar ao Ministério da Defesa. Ele estava a certa distância dos jornalistas e gritou: "É mentira". O comentarista da GloboNews do G1 Valdo Cruz informou que falou na manhã desta quinta com o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, general da reserva. Ramos disse que recebeu ligação de Braga Netto mais cedo e que o ministro da Defesa lhe afirmou que a informação do "Estadão" não procedia e que ele queria buscar uma forma de desmentir a reportagem. 'Estadão' reafirma Diante das negativas de Lira e de Braga Netto, o diretor de Jornalismo do "Estadão", João Caminoto, escreveu em uma rede social, que reafirma o conteúdo da reportagem. "Diante das diversas reações, considero importante reafirmar na íntegra o teor da reportagem publicada hoje no 'Estadão' sobre os diálogos do ministro da Defesa. O compromisso inabalável do Estadão segue sendo a qualidade jornalística e o respeito ao Estado de Direito", afirmou Caminoto. Voto impresso De acordo com o "Estadão", quando Braga Netto enviou o recado para Lira, estava acompanhado dos comandantes da Aeronáutica, Marinha e Exército. O movimento do ministro da Defesa, ainda segundo a reportagem, ocorreu em 8 de julho. No mesmo dia, Bolsonaro declarou publicamente que, se não houvesse voto impresso, não haveria eleições. O voto impresso é uma das principais causas atualmente defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro e seus aliados. Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contestam o presidente e afirmam que o sistema eleitoral no país é seguro, moderno e auditável. Bolsonaro reclama de possibilidade de fraude nas eleições, mas não apresenta provas. Na comissão da Câmara que analisa um projeto para o voto impresso, a tendência é de derrota do texto. Partidos políticos se manifestaram conjuntamente contra a proposta. VÍDEOS: veja mais vídeos de política
Veja Mais