Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Seguros | Consócio | Seguro de Vida | A4



Telefone: (15) 3331-8990
Facebook Twitter LinkedIn Pinterest Instagram
Notícias

RSS Feed - Mantenha-se Informado


25/02 - Parlamento da Austrália aprova lei que cobra Facebook e Google por uso de notícias
Governo diz que objetivo é remunerar a mídia de forma justa. Na semana passada, o Facebook chegou a bloquear posts de notícias do país antes de chegar a acordo sobre a legislação. Facebook não chegou a um acordo e baniu conteúdo de notícias na Austrália Lukas Coch/via Reuters O parlamento da Austrália aprovou lei que cobra de gigantes da tecnologia como Facebook e Google pelo uso de notícias. A decisão ocorreu nesta quinta-feira (25), data local, ainda quarta-feira (24) no Brasil. O novo código torna a Austrália o primeiro país onde um órgão governamental definirá as taxas que as "big techs" terão de pagar caso as negociações com as empresas de mídia falharem. Entenda a lei que gerou a disputa com o Facebook Após disputa com o Facebook, que chegou a bloquear notícias do país em sua plataforma, a lei recebeu alterações de última hora. “O código garantirá que as empresas de mídia de notícias sejam remuneradas de forma justa pelo conteúdo que geram, ajudando a sustentar o jornalismo de interesse público na Austrália”, disseram o ministro das finanças, Josh Frydenberg e o ministro das comunicações, Paul Fletcher, em um comunicado conjunto. Para chegar a um acordo com a rede de Mark Zuckerberg, a proposta foi alterada. No texto aprovado, a lei concede às empresas de tecnologia um prazo de dois meses para negociar com os veículos de imprensa, e estes conseguirão negociar os valores diretamente, com uma intervenção do governo somente em último caso. Nesta quarta-feira, o Facebook disse que investirá ao menos US$ 1 bilhão no setor de notícias em todo mundo. Ao comentar a adesão às novas regras na Austrália, a empresa disse que as negociações tiraram "arbitrariedades" da proposta. O Google havia se antecipado à aprovação da lei e já fechou contratos com alguns grupos de mídia australianos. Em um dos contratos, pagará US$ 30 milhões empresa Nine Entertainment. Facebook chega a acordo com governo australiano para restaurar páginas de notícias Bloqueio do Facebook A rede social restringiu conteúdos no dia 17 deste mês em resposta ao ainda projeto de lei. Por alguns dias, usuários ficaram impossibilitados de compartilhar ou visualizar links de veículos de notícias na plataforma. Páginas de meios de comunicação foram proibidas de publicar qualquer tipo de conteúdo no período. Páginas de mídias como do News chegaram a perder seu conteúdo Reprodução Após conversas com o governo local, um acordo foi fechado no dia 23 de fevereiro, e o Facebook anunciou que iria restabelecer a publicação de notícias na plataforma. Quais países debatem regras parecidas? A França é outro país onde se discute o pagamento para empresas de mídia. Em um decisão de abril de 2020, a autoridade de defesa da concorrência do país decidiu que o Google precisa pagar a companhias editoriais e agências de notícias francesas pela reutilização de seus conteúdos. O Canadá também planeja uma lei similar, segundo a agência Reuters. O Ministro do Patrimônio, Steven Guilbeault, responsável pelas áreas de cultura, mídia, esportes e artes, afirmou que a ação do Facebook de bloquear notícias na Austrália não irá afetar os seus planos. "Estamos trabalhando para ver qual modelo seria o mais apropriado", disse ele, acrescentando que teve conversas com colegas franceses, australianos, alemães e finlandeses sobre o trabalho conjunto para garantir uma remuneração justa pelo conteúdo da web. Saiba como se proteger do vazamento de dados
Veja Mais

25/02 - Lucro líquido da Petrobras despenca em 2020 e chega a R$ 7 bilhões
Resultado anual foi impactado pela crise da Covid-19. No quatro trimestre, por sua vez, estatal registrou lucro líquido de R$ 59,9 bilhões, ante R$ 8,15 bilhões no mesmo período de 2019. Sede da Petrobras no Rio de Janeiro Daniel Silveira/G1 A Petrobras informou nesta quarta-feira (24) que registrou lucro líquido de R$ 7 bilhões em 2020, o que representa uma queda de 82,3% na comparação com o ano anterior. No quatro trimestre, por sua vez, a estatal registrou lucro líquido de R$ 59,9 bilhões, ante R$ 8,15 bilhões no mesmo período de 2019 — o que superou as expectativas do mercado. Esse é o último resultado financeiro da estatal sob o comando de Roberto Castello Branco, que será substituído em março após interferência do presidente Jair Bolsonaro. Tenho ações da Petrobras. O que eu faço? Veja o que dizem os analistas Bolsonaro troca presidente da Petrobras; repercussão Contribuíram com o resultado anual, a queda do valor do petróleo no primeiro trimestre de 2020, por conta da pandemia, a desvalorização do real em relação ao dólar, e o lucro líquido de 2019, de R$ 40,137 bilhões. Segundo a estatal, esse foi o maior lucro nominal (sem considerar a inflação) da história da companhia. "Iniciativas que aumentaram a resiliência e eficiência e a continuidade do trabalho de redução do endividamento contribuíram para compensar parcialmente os impactos da crise", disse a Petrobras, em seu relatório financeiro. No ano, o lucro da estatal antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda ajustado) chegou a R$ 143 bilhões, aumento de 10% em relação a 2019. No quarto trimestre, a alta foi de 41%, atingindo R$ 47 bilhões. Receita e dívida líquida No quatro trimestre, a estatal registrou receita de R$ 74,97 bilhões — 6% superior à registrada no terceiro trimestre em função da valorização do preço do Brent. No ano, o valor chegou a R$ 272,07 bilhões. Por outro lado, o volume das exportações de petróleo diminuiu 12,12% no quatro trimestre, ante o período imediatamente anterior, devido à menor produção. A dívida líquida anual foi de US$ 63,2 bilhões em 2020, o que representa uma queda de US$ 15,7 bilhões em relação ao acumulado de 2019. "Menores endividamento e pagamentos de juros são fundamentais para melhorar a percepção de risco e liberar recursos a serem investidos em ativos de classe mundial, particularmente em um negócio de capital intensivo como o de petróleo", informou Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras. Troca de comando A Petrobras convocou na terça-feira (23) uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para destituir Roberto Castello Branco da presidência da estatal. Ele deverá ser substituído por Joaquim Silva e Luna, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para comandar a companhia. Em comunicado, a companhia informou que a AGE vai ser realizada antes da Assembleia Geral Ordinária (AGO) deste ano. A data ainda será definida. Com a saída de Castello Branco, terão de ser substituídos sete integrantes do conselho de administração eleitos na assembleia ordinária de 22 de julho do ano passado por voto múltiplo. São eles: Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Ruy Flacks Schneider, João Cox Neto, Paulo Cesar de Sousa e Silva, Nivio Ziviani, Omar Carneiro de Cunha Sobrinho, Leonardo Pietro Antonneli. Silva e Luna foi indicado na sexta-feira (19) pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da Petrobras. A interferência de Bolsonaro no comando da estatal provocou um forte abalo nas ações da companhia. Na segunda-feira (22), a empresa chegou a perdeu R$ 75 bilhões em valor de mercado. Vídeos: Mudança na presidência da Petrobras
Veja Mais

24/02 - Bolsonaro entrega ao Congresso projeto que abre caminho para a privatização dos Correios
Proposta já tinha sido apresentada em outubro e inclui criação de agência reguladora para substituir Anatel. Na terça, governo entregou ao Legislativo MP de privatização da Eletrobras. O presidente Jair Bolsonaro entregou nesta quarta-feira (24) ao Congresso Nacional o projeto de lei que abre caminho para a privatização dos Correios. Bolsonaro foi ao prédio do Legislativo federal pela segunda vez em dois dias, acompanhado dos ministros Paulo Guedes (Economia) e Fábio Faria (Comunicações). Na terça, o presidente entregou aos parlamentares uma medida provisória que busca acelerar o processo de privatização da Eletrobras (veja abaixo). Segundo material divulgado pelo governo, o texto prevê a transformação dos Correios, hoje 100% estatais, em uma sociedade de economia mista. "A premissa central do texto é permitir que os serviços postais, inclusive aqueles que atualmente são prestados pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) em regime de monopólio, possam ser explorados pela iniciativa privada. Do ponto de vista concorrencial, o texto representa um avanço, visto que elimina restrições à entrada de novas empresas, ampliando a capacidade de competição", diz material divulgado pela Secretaria-Geral da Presidência da República. Os projetos são vistos como uma forma de mostrar apoio à agenda liberal do ministro da Economia, Paulo Guedes, após as turbulências ocorridas com a troca do comando da Petrobras. Por ser de autoria do Executivo, a proposta precisa ser iniciada pela Câmara. Se o texto for aprovado, segue para a análise dos senadores. Governo disse que enviaria ao Congresso no início de 2021 projeto de privatização dos Correios O governo afirma que, enquanto o texto tramita no Congresso, fará estudos para encontrar a melhor forma de privatizar a empresa: venda direta, venda do controle majoritário ou abertura no mercado de ações, por exemplo. A proposta escolhida ainda precisará do aval do Tribunal de Contas da União (TCU). A Secretaria-Geral afirmou ainda que o projeto "não significa, por si só, qualquer decisão pela extinção dos Correios ou sequer por eventual desestatização dos serviços postais. "O objetivo é permitir que o mercado seja explorado pela Administração Pública indireta (tal como realizado atualmente), mas com a possibilidade de exploração também pela iniciativa privada. Isso poderá se dar por diversas formas, tais como concessões, cadastros ou parcerias, que serão futuramente avaliadas. O modelo final a ser adotado para o setor ainda depende de estudos econômicos e setoriais", diz o texto de divulgação. Nova agência reguladora Em outubro do ano passado, o Ministério das Comunicações informou que uma das mudanças do projeto seria a criação de uma nova agência, a Anacom (Agência Nacional de Comunicações), para substituir a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). De acordo com nota do ministério na ocasião, além dos serviços de telecomunicações (telefonia, internet, TV por assinatura), atualmente sob a responsabilidade da Anatel, a nova agência regularia também a prestação de serviços postais no país. O projeto também prevê "a obrigatoriedade, por parte da União, de garantia da prestação do Serviço Postal Universal por meio de empresa estatal", mas "permite que os serviços prestados no âmbito do Sistema Nacional de Serviços Postais sejam explorados em regime privado." Privatização prioritária A privatização dos Correios é uma das prioridades do Ministério da Economia. A estatal acumulou prejuízo de R$ 3,943 bilhões entre 2013 e 2016, mas desde 2017 vem registrando resultados positivos nos balanços anuais. Governo prevê nove privatizações em 2021, entre as quais Correios e Eletrobras Resultados financeiros dos Correios (anos de prejuízo grifados): 2010: R$ 826,947 milhões 2011: R$ 882,747 milhões 2012: R$ 1,044 bilhão 2013: - R$ 312,511 milhões 2014: - R$ 20,309 milhões 2015: - R$ 2,121 bilhões 2016: - R$ 1,489 bilhão 2017: R$ 667,308 milhões 2018: R$ 161,049 milhões 2019: R$ 102,121 milhões MP da Eletrobras Na terça (23), o governo federal entregou ao Congresso Nacional uma medida provisória (MP) que busca acelerar a privatização da Eletrobras. O texto prevê que o governo mantenha poder de veto sobre decisões da estatal por meio de ações preferenciais (golden shares). Veja os principais pontos da medida provisória de privatização da Eletrobras Na última semana, Bolsonaro causou quedas expressivas nas ações da Petrobras e da Eletrobras ao sugerir e anunciar interferências no comando das duas estatais. No caso da Eletrobras, Bolsonaro disse que o governo ia "meter o dedo na energia elétrica, que é outro problema também", sem esclarecer o que faria. O documento foi entregue aos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Lira afirmou que pretende pautar o texto no plenário da Câmara já na próxima semana.
Veja Mais

24/02 - PIB da Argentina encolheu 10% em 2020, segundo primeira estimativa oficial
No ano passado, os piores meses foram abril e maio, com quedas anuais de 25,4% e 20%, respectivamente. A economia da Argentina encolheu 10% em 2020 com base em 2019 por causa da pandemia de Covid-19, após recuar 2,2% em dezembro na comparação interanual, segundo a primeira estimativa oficial, divulgada nesta quarta-feira (24). De acordo com a Estimativa Mensal de Atividade Econômica (EMAE), em dezembro passado, a economia cresceu 0,9% em relação a novembro, a oitava melhora mês a mês. Argentina: país enfrenta um agravamento da crise econômica com a pandemia de coronavírus Reuters No ano, os piores meses foram abril e maio, quando houve uma quase paralisação das atividades pela estrita quarentena decretada no país para conter a propagação do coronavírus, com quedas anuais de 25,4% e 20%, respectivamente. A partir do terceiro trimestre, houve uma reabertura gradual da indústria e do comércio, embora tenham permanecido as restrições à circulação. Na lei de Orçamento, enviada ao Congresso em setembro, o governo tinha estimado uma queda do PIB de 12,1% em 2020. Na comparação interanual, em dezembro foram registrados aumentos nos setores de intermediação financeira (+11,3%), comércio atacadista, varejista e reparos (+10,7%), e recuos no setor de hotéis e restaurantes (-47,1%) e no de transportes e comunicações (-19,2%), segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas e Censo (Indec). Enquanto isso, no acumulado de 2020, só dois setores tiveram aumentos: intermediação financeira (+2,1%) e eletricidade, gás e água (+0,8%). Todos os outros setores registraram quedas, entre elas a mais pronunciada foi o de hotéis e restaurantes, com um recuo de 48,6%. Enquanto isso, outras atividades de serviços comunitários, sociais e pessoais caíram 37,5%. O EMAE é tomado como uma estimativa da evolução do Produto Interno Bruto (PIB) do ano 2020, que será divulgado oficialmente em março. Vídeos: Últimas notícias de economia
Veja Mais

24/02 - Bolsonaro sanciona lei que estabelece a autonomia do Banco Central; veja detalhes
Texto prevê mandato de quatro anos para presidente do Banco Central para evitar interferência política no órgão. Governo não informou se há trechos vetados; equipe econômica apoia medida. O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (24) a lei aprovada pelo Congresso Nacional que estabelece a autonomia do Banco Central. Um dos objetivos da mudança é blindar o órgão de pressões político-partidárias. Até a última atualização desta reportagem, o Planalto não tinha informado se Bolsonaro vetou algum trecho da proposta, e a lei ainda não tinha sido publicada no "Diário Oficial da União". Com a sanção, o atual presidente do BC, Roberto Campos Neto, perde o status de ministro de Estado. "Hoje é um grande dia para o Banco Central e um grande dia para o Brasil. Estamos diante de um importante passo, com a sanção pelo presidente Jair Bolsonaro da lei que garante a autonomia do Banco Central. Hoje vai ficar para a história como um marco do desenvolvimento institucional do nosso país", disse Campos Neto. Entre outros pontos, o texto aprovado pelo Congresso Nacional e avalizado pelo governo define que o presidente do Banco Central terá mandato de quatro anos, não coincidente com o do presidente da República. Diretores também terão mandatos. A autonomia do Banco Central é debatida no Congresso desde 1991, e o projeto aprovado entrou na lista de pautas prioritárias do governo, entregue pelo presidente Jair Bolsonaro aos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Autonomia do BC alivia peso da desconfiança de interferência política Entre outras funções, cabe ao Banco Central, por meio do Comitê de Política Monetária (Copom), definir a taxa Selic, a taxa básica de juros da economia. A ideia da lei é que, não podendo a diretoria da instituição ser demitida por eventualmente subir o juro, a atuação seja exclusivamente técnica, focada no combate à inflação. O que é a autonomia do Banco Central sancionada por Bolsonaro Ponto a ponto O Banco Central tem nove diretores, e um deles é o presidente da instituição. Após indicação do presidente da República, os aspirantes aos cargos precisam passar por sabatina e votação no Senado. O texto aprovado pelo Congresso não altera a composição da diretoria colegiada do Banco Central, mas estabelece mandato de quatro anos para o presidente do BC e os demais diretores. Todos podem ser reconduzidos ao cargo, uma única vez, por igual período. O mandato da presidência do BC não coincidirá com o da presidência da República. De acordo com o texto, o presidente do Banco Central assume o cargo no primeiro dia do terceiro ano do mandato do chefe do Poder Executivo. O texto também estabelece a substituição de forma escalonada dos demais membros da diretoria, de acordo com a seguinte escala: dois diretores iniciam os mandatos no dia 1º de março do primeiro ano de mandato do presidente da República; dois diretores iniciam os mandatos no dia 1º de janeiro do segundo ano do mandato do presidente da República; dois diretores iniciam os mandatos no dia 1º de janeiro do terceiro ano do mandato do presidente da República; dois diretores iniciam os mandatos no dia 1º de janeiro do quarto ano do mandato do Presidente da República. Câmara começa análise do texto que prevê autonomia do Banco Central Além disso, o presidente do Banco Central deverá apresentar no Senado, no primeiro e no segundo semestre de cada ano, relatório de inflação e de estabilidade financeira, explicando as decisões tomadas no semestre anterior. A proposta também define como objetivo fundamental do Banco Central assegurar a estabilidade de preços, além de determinar objetivos secundários: zelar pela estabilidade e eficiência do sistema financeiro; suavizar as flutuações do nível de atividade econômica; fomentar o pleno emprego. Sem vinculação à Economia Atualmente, o Banco Central é vinculado ao Ministério da Economia, apesar de não ser subordinado à pasta. Pela proposta, o BC passa a se classificar como autarquia de natureza especial caracterizada pela "ausência de vinculação a Ministério, de tutela ou de subordinação hierárquica". Segundo o projeto, o Banco Central se caracterizará pela "autonomia técnica, operacional, administrativa e financeira". Eliane Cantanhêde sobre aprovação da autonomia do Banco Central: 'Palácio do Planalto está em festa' Perda de mandato O projeto aprovado pelo Congresso Nacional também estabelece as situações que levam à perda de mandato presidente e diretores do Banco Central: a pedido do presidente ou do diretor; em caso de doença que o incapacite para o cargo; quando sofrer condenação, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão colegiado, por improbidade administrativa ou em crime cuja pena leve à proibição de acesso a cargos públicos; em caso de “comprovado e recorrente desempenho insuficiente para o alcance dos objetivos do Banco Central do Brasil”. Nesta hipótese, o Conselho Monetário Nacional (CMN) deve submeter ao presidente da República a proposta de exoneração, que estará condicionada à prévia aprovação por maioria absoluta do Senado. Transição e vedações O texto aprovado prevê um cronograma de transição para o novo modelo de diretoria. Em até 90 dias após a lei ser sancionada, o governo terá de nomear os nove diretores do Banco Central. Aqueles que já ocupam os cargos não terão de passar por nova sabatina no Senado. A duração dos mandatos, para essa primeira composição, deverá obedecer ao cronograma abaixo: presidente e dois diretores com mandatos até 31 de dezembro de 2024; dois diretores com mandatos até 31 de dezembro de 2023; dois diretores com mandatos até 28 de fevereiro de 2023; dois diretores com mandatos até 31 de dezembro de 2021. A proposta também cria proibições ao presidente e aos diretores do Banco Central. São elas: Outras funções: os dirigentes ficam vetados de exercer qualquer outro cargo simultâneo, público ou privado, exceto o de professor; Ações: o presidente e os diretores do BC, além de seus cônjuges ou parentes de até segundo grau, não podem ter participação acionária em instituições supervisionadas pelo BC; Quarentena: por seis meses após o exercício do mandato, o presidente e os diretores estão proibidos de participar do controle societário ou atuar, com ou sem vínculo empregatício, em instituições do Sistema Financeiro Nacional. No período, a ex-autoridade receberá remuneração compensatória.
Veja Mais

24/02 - GameStop: ações sobem mais de 100% com anúncio da saída de diretor financeiro
Papéis da companhia negociados em Nova York avançaram 103,94%, a US$ 91,71, nesta terça. Em janeiro, empresa viu suas ações dispararem num movimento orquestrado em um fórum de discussão do Reddit. As ações da rede de lojas de videogames GameStop disparam nesta quarta-feira (24) depois que a companhia anunciou que Jim Bell, atual vice-presidente executivo e diretor financeiro, vai deixar a empresa em 26 de março. Os papéis da companhia negociados em Nova York subiram 103,94%, a US$ 91,71, nesta terça. Fachada da GameStop em Westminster, Colorado Reuters Segundo a agência Bloomberg, a saída de Bell é encarada pelos investidores como um passo para que a empresa ganhe em inovação. O modelo de negócio da GameStop é considerado bastante obsoleto. Em comunicado enviado ao mercado, a companhia informou que já busca um substituto para Bell e que candidatos internos e externos serão avaliados para o posto. Se nenhum nome for encontrado, a GameStop planeja nomear para o cargo a atual vice-presidente sênior e diretora de contabilidade, Diana Jajeh. Saga GameStop chega ao Congresso dos EUA GameStop: Quem são os amadores enfrentando os 'tubarões' de Wall Street no mercado de ações GameStop: entenda a operação por trás da disparada de ações na bolsa de NY No mês passado, as ações da GameStop dispararam num movimento orquestrado em um fórum de discussão do Reddit. Os papéis da companhia chegaram a valer US$ 325 em 29 de janeiro. Vídeos: Últimas notícias de economia
Veja Mais

24/02 - Senado aprova projeto que estabelece Marco Legal das Startups
Texto define regras para funcionamento do setor e cria modalidade de licitação específica para essas firmas. Proposta volta à Câmara dos Deputados. O Senado aprovou nesta quarta-feira (24), com 71 votos favoráveis e nenhum contrário, um projeto de lei com regras e mecanismos de incentivo às startups – empresas recém criadas, de baixo custo e com perfil inovador. As startups podem ser de diversos ramos, como do de tecnologia, por exemplo. Esse tipo de empresa tem baixas despesas de manutenção e, geralmente, registra um crescimento rápido de receita. A proposta teve origem na Câmara, onde foi aprovada no ano passado. O Senado alterou o conteúdo do projeto e, por isso, o texto volta à Câmara para nova análise dos deputados. Batizado de "Marco Legal das Startups", o projeto define o conjunto de regras para o funcionamento do setor. Entre outros pontos, o texto fixa regras de aporte de capitais por pessoas físicas e jurídicas e permite a participação destas empresas em licitações públicas. PEGN: entenda a proposta de Marco Legal das Startups Mercado de startups aposta no crescimento do setor de cibersegurança A matéria aprovada vale para empresário individual, empresa individual de responsabilidade limitada, sociedades empresárias e sociedades simples que atendam aos seguintes requisitos: receita bruta de até R$ 16 milhões no ano anterior ou, no caso de empresa com menos de um ano, receita de R$ 1,3 milhão multiplicado pelo número de meses de atividade no ano anterior; até dez anos de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia; modelo de negócios inovador para a geração de produtos ou de serviços ou esteja enquadrada no regime especial Inova Simples, programa de estímulo a startups. Licitações O projeto estabelece uma modalidade especial de concorrência para startups. Segundo o texto, a administração pública poderá restringir licitações que visam à contratação de “soluções inovadoras” apenas a este tipo de empresa. A proposta diz que o edital deverá ser publicado no prazo de 30 dias corridos até a data de recebimento das propostas, que serão avaliadas e julgadas por uma comissão especial integrada por, no mínimo, três pessoas. O projeto também permite a contratação de mais de uma startup desde que previsto no edital. O julgamento das propostas apresentadas pelas empresas levará em conta, conforme a proposta: o potencial de resolução do problema pela solução proposta e, se for o caso, da provável economia para a administração pública; o grau de desenvolvimento da solução proposta; a viabilidade e a maturidade do modelo de negócio da solução; a viabilidade econômica da proposta, considerados os recursos financeiros disponíveis para a celebração dos contratos; a demonstração comparativa de custo e benefício da proposta em relação às opções funcionalmente equivalentes. Após o resultado da licitação, a administração firmará o chamado Contrato Público para Solução Inovadora. Esse contrato terá duração de um ano e poderá ser renovado por mais um ano. O valor máximo que a administração pública poderá pagar às startups é de R$ 1,6 milhão, por contrato. Capacidade de adaptação deixa startups brasileiras otimistas para retomada dos negócios Balanço nos jornais O projeto também desobriga companhias fechadas com patrimônio líquido de até R$ 78 milhões e 30 acionistas de divulgarem seus balanços em jornais de grande circulação – podendo fazer apenas pela internet. A legislação atual já dispensa desta obrigação as companhias fechadas com menos de 20 acionistas e patrimônio líquido de até R$ 10 milhões. O trecho, mantido pelo relator Carlos Portinho (PL-RJ), chegou a ser questionado pelos senadores Jorginho Mello (PL-SC) e Zenaide Maia (PROS-RN). Portinho explicou que as micro e pequenas empresas são contempladas no artigo e não terão a obrigação de publicar o balanço nos jornais impressos. São consideradas microempresas negócios com faturamento de até R$ 360 mil por ano e pequenas empresas aquelas com faturamento anual de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões. "O texto como está apresentado ele faculta a publicação em veículos de imprensa para as empresas de pequeno porte, algumas, aquelas até o valor teto estabelecido no artigo; e para possivelmente todas as micro e pequenas empresas", disse Portinho. No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória (MP), mais abrangente, para dispensar todas as empresas por sociedade anônima de publicar balanços contábeis nos jornais impressos. Na ocasião, o presidente criticou a imprensa e disse que a medida reduziria a receita dos jornais. A MP, contudo, foi derrubada na comissão mista e nem chegou a ser votada nos plenários, perdendo a validade de 120 dias. Mudanças Inicialmente, a proposta permitia a regulamentação na legislação brasileira dos planos de "stock options", que consistem num modelo de remuneração, quando a empresa possibilita a compra de ações da companhia pelo seu funcionário. Os ativos podem ser vendidos por preços mais baixos daqueles praticados no mercado. Funciona como um incentivo ao colaborador, que lucra com o crescimento da empresa. O relator, Carlos Portinho, retirou esse ponto e sugeriu que ele seja trabalhado em um projeto específico. O parlamentar explicou que o modelo não é exclusivo das startups, mas serve para outros formatos de sociedade, por isso a necessidade de uma legislação própria.
Veja Mais

24/02 - Clubhouse confirma vazamento de dados pelas mensagens de áudio
Um usuário foi banido da rede social ao transmitir as conversas de várias salas de bate-papo em seu site. Aplicativo Clubhouse por enquanto é exclusivo para iPhone. Reuters/Florence Lo A rede social Clubhouse confirmou que um usuário conseguiu transmitir o conteúdo do aplicativo em seu site próprio. A ferramenta, que virou moda nas últimas semanas, permite que os usuários participem de salas de bate-papo públicas ou privadas nas quais só é possível enviar mensagens de voz. Há a promessa de que o conteúdo só possa ser acompanhado ao vivo, na hora em que é postado, e não fica gravado em nenhum lugar. O que é Clubhouse? Saiba mais sobre a rede social Clubhouse: convite para o app de áudio é oferecido por mais de R$ 600 Mas pesquisadores americanos da área de cibersegurança disseram que um usuário encontrou uma maneira de transmitir os áudios do aplicativo no domingo (21/02). O Clubhouse confirmou o vazamento, que ocorre quando as informações são liberadas para um local que não possui autorização para acessá-las. A empresa disse à Bloomberg que baniu o usuário da plataforma e instalou novas configurações de segurança para evitar que as conversas voltassem a ser "vazadas". Por meio de nota, os responsáveis pela rede social disseram à BBC que gravar ou transmitir sem a permissão explícita dos participantes do chat viola os termos e condições de uso do aplicativo. Um dos porta-vozes da empresa disse: "No último fim de semana, um usuário transmitiu temporariamente várias salas de papo para um site. A conta deste indivíduo foi permanentemente banida do serviço e etapas de segurança adicionais para impedir que outras pessoas façam o mesmo no futuro." O Observatório da Internet da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, relatou o incidente em primeira mão, mas o diretor de tecnologia do Clubhouse, David Thiel, afirmou que o vazamento de dados não foi malicioso. Clubhouse permite apenas conversas por áudio, que não podem ser gravadas Reprodução O pesquisador de segurança cibernética Robert Potter, que construiu o Centro de Operações de Segurança Cibernética do jornal americano Washington Post, concorda. Ele explicou que um "vazamento de dados" é diferente de uma "violação de dados". No segundo caso, a invasão é deliberada e geralmente realizada por alguém que ataca um sistema para roubar informações valiosas. Já o vazamento de dados é um incidente em que informações confidenciais são divulgadas em um ambiente não autorizado. Segundo Potter, o incidente ocorreu porque um indivíduo percebeu que era possível estar em várias salas de chat ao mesmo tempo. Ao entender como a mecânica do aplicativo funcionava, o usuário conseguiu então conectar os códigos de programação do Clubhouse ao seu site e, essencialmente, "compartilhou" remotamente com qualquer pessoa na internet os bate-papos em áudio. "Se o app ficar popular, as pessoas farão programações e serviços terceirizados que extraem os dados - como já acontece, por exemplo, com vários programas que conseguem informações através do Twitter", disse Potter à BBC. Preocupações de segurança O incidente do último domingo ocorreu depois que o Clubhouse declarou que os dados dos usuários não poderiam ser roubados por cibercriminosos ou hackers patrocinados pelo Estado, em resposta a um alerta emitido pelo Observatório da Internet da Universidade de Stanford. O instituto é chefiado pelo ex-líder de segurança do Facebook, Alex Stamos. Os pesquisadores de Stanford descobriram várias falhas de segurança, incluindo o fato de que os números de identificação exclusivos dos usuários e os códigos das salas de bate-papo estavam sendo transmitidos em textos simples, o que permitiria vários tipos de manipulação. Os especialistas também se mostraram preocupados que o governo chinês pudesse obter acesso aos arquivos de áudio brutos nos servidores do Clubhouse, uma vez que sua infraestrutura é fornecida por uma empresa de engajamento em tempo real chamada Agora, que tem escritórios em Xangai (China) e San Francisco (Estados Unidos). Quando a Agora tornou-se uma empresa pública e passou a vender ações na bolsa de valores em julho de 2020, os relatórios da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) indicavam que seria necessário "fornecer assistência e apoio de acordo com a lei para segurança pública e autoridades de segurança nacional para proteger a segurança nacional ou ajudar nas investigações criminais", em razão dos laços da companhia com a China. Os especialistas de Stanford informaram o Clubhouse sobre as falhas e, em 12 de fevereiro, anunciaram que estavam trabalhando com a empresa responsável pelo aplicativo para melhorar a sua segurança. Bate-papos "quase" públicos Embora pareça alarmante ouvir que as conversas de áudio no Clubhouse podem ser retiradas do aplicativo, isso não é um fato exatamente novo. Vários usuários já estão utilizando as funções de gravação de áudio ou captura de tela de seus dispositivos para gravar conversas de celebridades, como Elon Musk e Kevin Hart, para depois enviá-las ao YouTube. Novamente, isso vai contra os termos de serviço do aplicativo, mas significa que ninguém deve esperar que suas conversas sejam realmente privadas, avisa Thiel. "Considere os bate-papos do Clubhouse como semipúblicos, devido aos problemas com o Agora e ao fato de que todos nós temos microfones nos celulares", ele tuitou. Já Potter acredita que o problema esteja no fato de o Clubhouse ainda ser um serviço jovem e imaturo. "Há um monte de usuários que ficaram realmente entusiasmados porque é uma coisa nova e porque você precisa de um convite para participar", conta. "O mesmo fenômeno aconteceu com o Zoom e com o TikTok. Vemos mais uma vez um aplicativo que consegue um crescimento muito alto, se torna viral e logo depois aparecem problemas de privacidade ou são encontrados bugs que não eram tão importantes quando a plataforma era menor. A segurança cibernética vem depois." Potter acrescentou que os consumidores precisam ser realistas sobre o que os serviços como o Clubhouse fazem com seus dados. "As pessoas devem perceber que a privacidade e a segurança cibernética das novas plataformas de mídia social não serão tão boas quanto as de outras redes mais maduras", compara. "Se você for um dos primeiros a adotar e experimentar novos aplicativos e novos smartphones, sempre aparecerão bugs", completa. Saiba como se proteger de vazamento de dados
Veja Mais

24/02 - Ataques hacker a hospitais e farmacêuticas aumentam com a pandemia, aponta IBM
Organizações e empresas ligadas ao combate à Covid-19 foram duas vezes mais atacadas pelos cibercriminosos em 2020 na comparação com o ano anterior. Em dezembro de 2020, IBM alertou que hackers tentaram obter informações sobre processo de logística da vacina contra Covid-19. REUTERS/Dado Ruvic Organizações e empresas ligadas ao combate à Covid-19 foram grandes alvos para os hackers durante o ano de 2020, segundo um relatório divulgado pela IBM nesta quarta-feira (24). Hospitais, fabricantes de produtos farmacêuticos e empresas de energia que alimentam a cadeia de suprimentos relacionadas com a pandemia foram duas vezes mais atacados do que em 2019, segundo o estudo. Esse grupo de organizações representou 6,6% das ameaças digitais detectadas em 2020, comparado com 3% do ano anterior. A análise foi feita a partir de dados de 130 países, incluindo o Brasil. O relatório indica que os criminosos estão de olho em infraestrutura crítica, mesmo que não estejam ligadas ao combate à pandemia. No início de fevereiro, um hacker conseguiu invadir a rede de computadores de uma usina de água no estado da Flórida, nos Estados Unidos, e tentou contaminá-la com um aditivo químico, mas não teve sucesso. Mensagens com iscas Em dezembro passado, a própria IBM alertou que o processo de transporte de vacinas contra Covid-19 era alvo de hackers. Na ocasião, cibercriminosos enviaram e-mails falsos para tentar obter informações. Esse tipo de golpe de mensagens falsificadas que tentam enganar as pessoas ao se passar por alguém confiável é conhecido como "phishing" e costuma figurar como a modalidade de ataque mais popular. Empresas e marcas que se popularizaram diante da pandemia e da necessidade de trabalhar remotamente foram utilizadas como iscas pelos criminosos, segundo a IBM. Saiba mais: 2020, um ano vivido pelas telas Como fazer ligações em vídeo para várias pessoas ao mesmo tempo Google, Dropbox, YouTube, Facebook e Amazon foram as marcas mais "falsificadas" nesses tipos de golpes. Em muitas ocasiões, o hacker envia um e-mail pedindo para a pessoa recuperar a sua senha ou fornecer dados sensíveis. Método preferido Embora o "phishing" tenha figurado como método preferido de ataque por anos, isso mudou em 2020. A maneira mais bem-sucedida de ataques foi verificando e explorando vulnerabilidades (35%) de sistemas digitais. A proteção mais recomendada para esses casos é manter sempre os dispositivos e aplicativos atualizados. Vírus de resgate Os cibercriminosos também privilegiaram ataques por vírus de resgate (ransomware), em que o hacker consegue bloquear os arquivos da vítima e cobra um valor para liberar o conteúdo. Esses ataques foram responsáveis por 23% do total dos incidentes de segurança detectados no relatório da IBM – uma alta de 20% em relação a 2019. O crescimento dessa modalidade está relacionado com os possíveis lucros: a companhia estima que o vírus de resgate “Sodinokibi” rendeu US$ 120 milhões (R$ 650 milhões) aos cibercriminosos. Entretanto, a recomendação de especialistas é nunca pagar o resgate. Metade das campanhas de vírus de resgate usaram a “extorsão dupla”, quando o criminoso pede dinheiro para restaurar o acesso aos arquivos e outra quantia para não vazar os dados que ele roubou. É possível recuperar arquivos sequestrados por vírus de resgate? Veja mais dicas de segurança digital: Dicas para se proteger de vazamentos de dados:
Veja Mais

24/02 - Fungota em Araraquara abre inscrições para contratação de profissionais da saúde
Selecionados atuarão na linha de frente do combate à Covid-19. Podem se candidatar clínico geral, intensivista, emergencista, pediatra, enfermeiro e técnico de enfermagem. Fungota, em Araraquara (SP), busca profissionais de saúde para atuarem na linha de frente do combate à Covid-19 A Cidade On/Araraquara A Fundação Municipal Irene Siqueira Alves Vovó Mocinha (Fungota) - Maternidade Gota de Leite de Araraquara (SP) abriu, nesta quarta-feira (24), dois processos seletivos para a contratação de profissionais da saúde para atuarem na linha de frente do combate à Covid-19. O primeiro prevê o credenciamento de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para atuarem em plantões nas unidades de saúde e nos pronto-atendimento durante a pandemia. Já o segundo prevê a contratação de técnicos de enfermagem assistenciais por seis meses. Técnico de enfermagem Salário base da vaga para técnico de enfermagem em Araraquara (SP) é de R$ 1.946,50 para a jornada de 36 horas semanais. Divulgação Serão 10 vagas temporárias, em regime CLT, pelo prazo de seis meses, renováveis por igual período. As inscrições vão até sexta-feira (26) e, para conferir a documentação, o interessado deve consultar os Atos Oficiais do dia 23 de fevereiro. Podem se candidatar pessoas com até 59 anos, que não possuem comorbidades que os classifiquem como grupo de risco para Covid-19. Estando dentro deste pré-requisito, o processo seletivo consistirá na análise de currículos e títulos dos candidatos. Os técnicos atuarão nas UPAS, no Hospital de Campanha e em plantões estendidos das UBS, durante o período de calamidade pública, sendo o salário base R$ 1.946,50 para a jornada de 36 horas semanais, acrescido de remuneração referente à insalubridade e adicional noturno, quando aplicável. Credenciamento Devido ao aumento do número de casos de Covid-19 em Araraquara (SP), cidade abre processo seletivo para contratação de médicos Divulgação/Prefeitura de Araraquara Segundo a Prefeitura, o credenciamento visa suprir a alta demanda de médicos, devido à atual situação, e as recorrentes substituições por adoecimento e afastamentos, por Covid-19 ou por esgotamento devido a sobrecarga de trabalho. Podem se candidatar clínico geral, intensivista, emergencista, pediatra, enfermeiro e técnico de enfermagem. Os interessados devem encaminhar a documentação exigida conforme edital publicado nos Atos Oficiais do dia 24 de fevereiro. O credenciamento será válido pelo período de 12 meses e poderá ser renovado por iguais períodos até o limite de 60 meses. Os credenciados serão convocados para a realização de plantões de seis ou doze horas e receberão de acordo com os serviços prestados, sendo: Médicos: receberão pela hora diurna o valor de R$ 158,50, acrescido de adicional de insalubridade e de parcela indenizatória de R$ 47; e pela hora noturna, R$ 177,67, acrescidos também pelo adicional de R$ 47. Enfermeiros: receberão R$ 25,21 pela hora diurna, além de adicional de insalubridade e parcela indenizatória; e R$ 29,14 pela hora noturna, também acrescidos de adicional de insalubridade, adicional noturno e parcela indenizatória. Técnicos de enfermagem: receberão R$ 19,24 pela hora diurna, acrescidos de adicional de insalubridade e parcela indenizatória; e R$ 22,43 pela hora noturna, acrescidos de adicional de insalubridade, adicional noturno e parcela indenizatória. Mais informações podem ser obtidas das 14h às 15h pelo telefone (16) 3305-1530, ramal 1580, ou pelo e-mail assessoradmfungota2@araraquara.sp.gov.br. Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.
Veja Mais

24/02 - LG negocia venda de fábrica de celulares no Brasil, diz jornal
Notícia sobre negociação com grupo vietnamita foi publicada pelo "The Korea Times" e gerou apreensão na cadeia ligada à produção de celulares na fábrica brasileira em Taubaté, no interior de SP. Fábrica da LG em Taubaté emprega cerca de mil funcionários, segundo Sindicato dos Metalúrgicos Reprodução/ TV Vanguarda A LG iniciou as negociações para a venda da produção global de celulares da marca, que inclui atividade na fábrica no Brasil, em Taubaté (SP), e na cidade de Haiphong, no Vietnam. A informação foi publicada pelo jornal "The Korea Times" na segunda-feira (22). Apesar de, segundo a publicação, a negociação não ter prosperado com um grupo vietnamita interessado, a empresa segue aberta a novas propostas e deve buscar novos interessados na compra. Há cerca de um mês, o CEO global da LG, Kwon Bong-seok, afirmou em um comunicado interno que a marca repensaria a atuação no mercado de smartphones. Ainda segundo a publicação, a LG enfrenta 24 trimestres seguidos de prejuízos no setor de celulares. De acordo com o site Statcounter, que mensura a participação de marcas no mercado de celulares, atualmente a empresa tem 6,5% de participação no mercado de smartphones no Brasil e 1,6% no mercado global, onde já chegou a registrar 4,1% em 2014. No Brasil, ela chegou a ter 16,1% do mercado em 2013. A notícia vem gerando apreensão na cadeia ligada à produção de celulares no interior de SP. Funcionários das terceirizadas Sun Tech e Blue Tech aprovaram na sexta-feira (19) o início de uma campanha em defesa dos empregos nas fábricas fornecedoras da LG, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos. As fábricas, que ficam em Caçapava e São José dos Campos, são fornecedoras exclusivas da LG e empregam juntas cerca de 420 funcionários. Na planta, diretamente a LG empresa cerca de mil funcionários, segundo o sindicato. Em março de 2020, quando a fábrica de Taubaté sofreu uma interrupção na produção de celulares por causa da pandemia, eram cerca de 200 trabalhadores no setor. Na cidade são fabricados celulares e monitores. A empresa também tem uma fábrica em Manaus (AM), onde são produzidos condicionadores de ar, geladeiras e outros itens da linha branca. O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté informou que solicitou uma reunião com o CEO da LG para ter informações oficiais sobre o negócio e eventuais reflexos nas operações em Taubaté, mas que o assunto está sendo tratado com "muitas reservas" pela fábrica. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, o pedido de reunião não foi atendido pela empresa até a tarde desta quarta-feira (24). A LG foi procurada pelo G1, mas não retornou até a publicação da reportagem. Veja mais notícias do Vale do Paraíba e região bragantina
Veja Mais

24/02 - IR 2021: quem recebeu mais de R$ 22,8 mil de outras fontes terá de devolver auxílio emergencial
Regra foi anunciada pela Receita nesta quarta; teto de R$ 22.847 não inclui as parcelas do auxílio. Boleto para devolução será gerado pelo próprio programa do IR. A Receita Federal informou nesta quarta-feira (24) que os contribuintes que receberam o auxílio emergencial do governo federal em 2020 e, além disso, tiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 22.847,76 terão de declarar Imposto de Renda em 2021 e devolver o benefício. Os valores do próprio auxílio emergencial não devem ser incluídos no cálculo desse limite, apesar de serem considerados "rendimentos tributáveis" pela Receita. O prazo de apresentação da declaração do Imposto de Renda 2021, ano-base 2020, começa em 1º de março e vai até o dia 30 de abril. As restituições começam em maio. Veja como preparar os documentos para a declaração Especialista tira dúvidas sobre o IR 2021; mande sua pergunta INSS disponibiliza demonstrativo de rendimentos para declaração de Imposto de Renda Os contribuintes que se enquadrarem na hipótese de devolução do auxílio emergencial poderão imprimir um boleto (Darf) no próprio programa do Imposto de Renda, emitido junto com o comprovante de declaração. A devolução deverá incluir os valores recebidos pelo próprio contribuinte e pelos dependentes. Segundo o auditor fiscal José Carlos Fernandes, responsável pelo Programa do Imposto de Renda, quem já fez a devolução voluntária de parcelas irregulares, ainda em 2020, pelo site do Ministério da Cidadania não precisa fazer a declaração – a menos que se encaixe em algum outro critério. “Não há obrigação de apresentar declaração [só] porque recebeu o auxílio emergencial. A obrigação é de quem recebeu auxílio emergencial e também rendimentos acima de R$ 22.847”, disse Fernandes. Para quem foi vítima de fraude e teve seu nome usado por outras pessoas para sacar o auxílio emergencial, a orientação da Receita é procurar o Ministério da Cidadania, responsável pelo pagamento do benefício. Entrega da declaração A declaração e entrega do IR 2021 poderá ser feita e entregue, de acordo com o Fisco: pelo computador, por meio do Programa Gerador da declaração (PGD) relativo ao exercício de 2020, disponível no sítio da Receita Federal; na página do próprio Fisco, pelo navegador de internet (com certificado digital); pelo serviço Meu Imposto de Renda, disponível para tablets e smartphones. A comprovação da apresentação da declaração do IR é feita por meio de recibo gravado depois da transmissão, no computador, em mídia removível ou no dispositivo móvel que contenha a declaração transmitida. Inflação de 2020 aumentou a defasagem da tabela do imposto de renda
Veja Mais

24/02 - Facebook anuncia investimentos de US$ 1 bilhão no setor de notícias após disputa na Austrália
Montante será distribuído em veículos de mídia de todo o mundo nos próximos 3 anos. Gigante da tecnologia chegou a bloquear notícias na Austrália em resposta a projeto de lei que prevê o pagamento a meios de comunicação. Facebook anuncia investimento de US$ 1 bilhão em veículos de imprensa Dado Ruvic/Reuters/Arquivo O Facebook anunciou nesta quarta-feira (24) um investimento de ao menos US$ 1 bilhão no setor de notícias em todo o mundo para os próximos 3 anos. A iniciativa ocorre após divergências com uma nova regra em debate na Austrália, que prevê o pagamento a meios de comunicação por conteúdo. No ano passado, o Google também prometeu injetar o mesmo valor de US$ 1 bilhão em veículos de imprensa. Entenda o projeto de lei da Austrália que gerou disputa com as 'big techs' De acordo com o Facebook, desde 2018 a empresa investiu US$ 600 milhões na indústria de notícias. A empresa citou acordos com grupo de mídias no Reino Unido e nos Estados Unidos, para o pagamento por conteúdo, e disse que tem "negociações ativas" em França e Alemanha. "As afirmações - repetidas amplamente nos últimos dias - de que o Facebook rouba ou pega o jornalismo original para seu próprio benefício sempre foram e continuam sendo falsas", disse a empresa, em comunicado. O objetivo do projeto de lei australiano, segundo o governo, é distribuir as receitas de publicidade on-line de forma mais equitativa. A rede social disse que as negociações com o governo da Austrália tiraram "arbitrariedades" da proposta. Com o acordo, as empresas de tecnologia terão um prazo de dois meses para negociar com os veículos de imprensa e conseguirão ajustar os valores diretamente, com uma intervenção do governo somente em último caso. Facebook chega a acordo com governo australiano para restaurar páginas de notícias Bloqueio na Austrália A rede social restringiu conteúdos no dia 17 deste mês em resposta a um projeto de lei que obriga os gigantes da tecnologia a pagarem os meios de comunicação pelo uso de notícias. Por alguns dias, usuários ficaram impossibilitados de compartilhar ou visualizar links de veículos de notícias na plataforma. Páginas de meios de comunicação foram proibidas de publicar qualquer tipo de conteúdo no período. Páginas de mídias como do News ficaram sem poder publicar Reprodução Após conversas com o governo local, um acordo foi fechado no dia 23 de fevereiro e o Facebook anunciou que iria restabelecer a publicação de notícias na plataforma. Saiba como se proteger de vazamentos de dados
Veja Mais

24/02 - Receita libera programa do Imposto de Renda 2021 nesta quinta
Prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2021, ano-base 2020, começa em 1º de março e vai até o dia 30 de abril. A Secretaria da Receita Federal libera nesta quinta-feira (25) o download do programa gerador do Imposto de Renda 2021, referente ao ano-base 2020. O prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2021, ano-base 2020, começa em 1º de março e vai até o dia 30 de abril - mas o contribuinte já poderá baixar o programa e fazer o preenchimento, aguardando o início do prazo de declaração apenas para fazer o envio dos dados à Receita. Versões disponíveis Pelo computador: Do computador, o contribuinte poderá baixar os programas do Windows, Multiplataforma (zip) e Outros (Mac, Linux, Solaris). O programa estará disponível no próprio site da Receita Federal (clique aqui para acessar). Pelo celular Para os celulares, os programas estarão disponíveis para Android e IOS, no 'Meu Imposto de Renda'. Online A declaração também poderá ser feita online, na página 'Meu Imposto de Renda', acessando o portal e-Cac (clique aqui para acessar).
Veja Mais

24/02 - Imposto de Renda 2021: prazo para entregar declaração vai de 1º de março a 30 de abril
Quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020 tem que declarar, informou Receita Federal. Receita também definiu teto para quem recebeu auxílio emergencial. A Secretaria da Receita Federal informou nesta quarta-feira (24) que o prazo de apresentação da declaração do Imposto de Renda 2021, ano-base 2020, começa em 1º de março e vai até o dia 30 de abril. A Receita Federal estima que sejam entregues 32.619.749 declarações. O sistema para declaração já estará disponível para preenchimento nesta quinta-feira (25). Veja como preparar os documentos para a declaração Especialista tira dúvidas sobre o IR 2021; mande sua pergunta INSS disponibiliza demonstrativo de rendimentos para declaração de Imposto de Renda Devem declarar o Imposto de Renda, em 2021: quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado. contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020; quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda. As restituições começam a ser pagas em maio, de acordo com o cronograma abaixo: 1º lote: 31 de maio 2º lote: 30 de junho 3º lote: 30 de julho 4º lote: 31 de agosto 5º lote: 30 de setembro Auxílio emergencial A instrução normativa da Receita inclui a obrigatoriedade de declaração do Imposto de Renda para as pessoas que receberam auxílio emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis. A Receita Federal informou que os valores recebidos de auxílio emergencial são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados na ficha “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”. Eles não contam, no entanto, para o teto de R$ 22.847,76. "O contribuinte que tenha recebido rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 22.847,76 no ano-calendário 2020, deve devolver os valores recebidos do Auxílio Emergencial, por ele e seus dependentes", informou a Receita. Quem precisar devolver o valor do auxílio emergencial poderá fazer a transferência com um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). O boleto será gerado pelo próprio programa do Imposto de Renda, junto com o recibo da declaração. Entrega da declaração A declaração e entrega do IR 2021 poderá ser feita e entregue, de acordo com o Fisco: pelo computador, por meio do Programa Gerador da declaração (PGD) relativo ao exercício de 2020, disponível no sítio da Receita Federal; na página do próprio Fisco, pelo navegador de internet (com certificado digital); pelo serviço Meu Imposto de Renda, disponível para tablets e smartphones. A comprovação da apresentação da declaração do IR é feita por meio de recibo gravado depois da transmissão, no computador, em mídia removível ou no dispositivo móvel que contenha a declaração transmitida. Inflação de 2020 aumentou a defasagem da tabela do imposto de renda Novos códigos Durante a coletiva para apresentar as regras do Imposto de Renda, a Receita informou a criação de três novos códigos para declarar criptoativos. A lista inclui uma numeração específica para a declaração de bitcoin. Veja os novos códigos: 81: criptoativo Bitcoin – BTC. 82: outros criptoativos, do tipo moeda digital = Conhecidos como altcoins entre elas Ether (ETH), XRP (Ripple), Bitcoin Cash (BCH), Tether (USDT), Chainlink (LINK), Litecoin (LTC); 89: demais criptoativos que não sejam considerados criptomoedas (payment tokens), mas classificados como security tokens ou utility tokens. Declaração pré-preenchida O programa de 2021 também amplia o número de contribuintes que podem usar a declaração pré-preenchida. A partir deste ano, a modalidade fica disponível para contribuintes que tenham conta gov.br (acesso.gov.br), além dos que tenham certificado digital. Com a mudança, a Receita afirma que espera receber milhões de declarações beneficiadas pelo formado, já que o cadastro no sistema gov.br é gratuito. Até 2020, o pré-preenchimento era exclusivo para donos de certificados digitais, que são pagos. A declaração pré-preenchida já traz inclusas diversas informações prestadas à Receita Federal por outras fontes. O contribuinte precisa apenas verificar, corrigir eventuais distorções ou complementar os dados. Imposto retido na fonte e declarações de serviços médicos, por exemplo, podem ser incluídas previamente pelo sistema.
Veja Mais

24/02 - Top, eca e nooossa: Facebook lança figurinhas de avatares com expressões famosas no Brasil
São 10 novas opções disponíveis para os usuários. Saiba como usar os avatares na rede social. Facebook lança figurinhas para avatares com expressões famosas no Brasil Divulgação O Facebook apresentou nesta quarta-feira (24) 10 novas figurinhas para avatares com expressões que são famosas no Brasil. Veja quais são: “Parabéns” “Nooossa” “Relaxa” “Uau” “Eca” “RsRsRsRs” “Mandou Bem” “Top” “Saúde” “Amei” "As novas figurinhas retratam expressões muito usadas em todo o Brasil, trazendo elementos próprios da cultura local", disse a rede social. Entenda a nova política de privacidade do WhatsApp Os avatares podem ser usados em comentários, fotos de Perfil, Stories, Messenger e Feed de Notícias. Avatares do Facebook podem ser utilizados com novas expressões Divulgação Saiba como criar o avatar personalizado Menu do Facebook: vá até o Menu (as três linhas horizontais no canto inferior ou superior direito da tela), clique em “Ver mais” e selecione “Avatares”. No campo de comentários: vá para o campo de comentários do Facebook ou Messenger ('Escreva um comentário'), clique no ícone de rosto sorridente e clique em “Criar seu Avatar”. Saiba como usar figurinhas animadas no WhatsApp Como usar figurinhas animadas no WhatsApp Veja dicas para evitar vazamento de dados
Veja Mais

24/02 - Dívida pública sobe 0,99% em janeiro e atinge R$ 5,05 trilhões, mostra Tesouro Nacional
Instituição emitiu R$ 155 bilhões em títulos públicos e resgatou R$ 148 bilhões do mercado em janeiro. Cenário externo e preocupação com contas públicas elevaram juros médios no período. A dívida pública federal em títulos – que inclui os débitos do governo no Brasil e no exterior – registrou aumento de 0,99% e atingiu R$ 5,059 trilhões em janeiro, informou a Secretaria do Tesouro Nacional nesta quarta-feira (24). Em dezembro do ano passado, a dívida somava R$ 5,009 trilhões. A dívida pública é a emitida pelo Tesouro Nacional para financiar o déficit orçamentário do governo federal. Ou seja, para pagar despesas que ficam acima da arrecadação com impostos e tributos. No mês passado, de acordo com o governo, a dívida subiu porque as emissões de títulos públicos somaram R$ 155,35 bilhões – superando o volume dos resgates de papéis do mercado, que alcançaram R$ 148,54 bilhões no período. "Destaca-se que, pela primeira vez na série histórica, foi registrada emissão líquida no mês de janeiro, que tipicamente concentra volumes maiores de vencimentos", informou a instituição. A emissão líquida (acima do volume dos resgates) totalizou R$ 6,81 bilhões no mês passado. As despesas com juros, que também atuaram para elevar o endividamento, totalizaram R$ 42,94 bilhões em setembro, informou o Tesouro Nacional. Dívida pública bateu casa dos R$ 5 trilhões há um mês; veja a trajetória do indicador Previsão para 2021 Após a dívida pública registrar um crescimento recorde de R$ 761 bilhões em 2020 por conta dos gastos emergenciais relacionados com a pandemia do novo coronavírus, a previsão da Secretaria do Tesouro Nacional é de nova expansão neste ano. A expectativa da área econômica é de que o endividamento do governo federal em títulos poderá chegar a 5,9 trilhões no fim deste ano. Nesse caso, a alta seria de R$ 891 bilhões. O Tesouro Nacional também informou que o crescimento pode ser menor, de R$ 591 bilhões, o que levaria a dívida pública a R$ 5,6 trilhões. Esse valor representa o piso, ou seja, o aumento mínimo previsto pelo Tesouro para a dívida em 2021, o que equivale a uma alta de 11,79%. Cenário para a dívida De acordo com o Tesouro Nacional, o ano de 2021 iniciou com "volatilidade" (forte variação dos indicadores, como câmbio e juros futuros) por conta da piora nos cenários externo e doméstico. "No externo, ainda que a vacinação tenha avançado em diversos países, a descoberta de variantes do Covid-19 voltou a trazer apreensão aos mercados. No doméstico, a curva de juros [no mercado futuro] apresentou alta nas taxas, reagindo às expectativas em relação à política monetária [expectativa do mercado de alta da taxa Selic pelo BC] e às discussões sobre a prorrogação do auxílio emergencial e seu impacto nas contas públicas", informou a instituição. Segundo o Ministério da Economia, houve elevação nas taxas médias de juros pedidas pelo mercado financeiro, e aceitas pelo Tesouro Nacional, nos leilões de títulos públicos de janeiro "embora permaneçam em níveis historicamente baixos". No mês de fevereiro, acrescentou o Tesouro, tem sido marcado, até o momento, "pela recuperação no mercado externo, com avanço nas discussões de pacotes fiscais em algumas economias e avanço nas campanhas de vacinação, produzindo uma melhora na percepção de risco de emergentes". Entretanto, a instituição observou que o risco Brasil (juros cobrado pelos investidores acima dos títulos do Tesouro norte-americano) teve performance pior que os outros países emergentes "principalmente em função das preocupações sobre a trajetória fiscal [das contas públicas] e avanço da agenda de reformas".
Veja Mais

24/02 - Golpes no PIX: Febraban dá dicas para evitar cair nos principais
Tentativas de criminosos envolvem clonagens de WhatsApp e falsos funcionários de bancos, que descobrem dados pessoais e confidenciais das vítimas. Entenda como mandar e receber dinheiro pelo Pix A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou uma lista com os principais golpes envolvendo o PIX, novo sistema de pagamentos e transferências, e dicas de como evitá-los. A ação faz parte da 1ª edição da Semana da Segurança Digital de 2021, feita pela federação em parceria com associações, empresas, o Banco Central e as polícias Civil e Federal. Para a Febraban, a pandemia do coronavírus facilitou a aplicação de golpes digitais por criminosos, já que houve um aumento nas transações online. PIX: 'rapidez' e 'praticidade' são características preferidas de clientes, diz pesquisa SAIBA TUDO SOBRE O PIX A federação destaca que as tentativas de golpes envolvendo o PIX foram identificadas como ataques de phishing, que enganam as vítimas para que elas forneçam informações pessoais e confidenciais. Mesmo assim, o diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Febraban, Adriano Volpini, garante que os bancos estão usando toda sua expertise já existente com os sistemas de pagamentos anteriores agora para o PIX. Volpini aponta ainda para um cuidados básicos, como sempre checar os dados do recebedor da transação, e nunca clicar em links recebidos por e-mail, WhatsApp, SMS ou qualquer rede social. Veja os principais golpes e como se prevenir, segundo a Febraban Golpe da clonagem do Whatsapp Entre os meios usados pelos bandidos está o Whatsapp. Os criminosos enviam uma mensagem pelo aplicativo fingindo ser de empresas em que a vítima tem cadastro. Eles solicitam o código de segurança, que já foi enviado por SMS pelo aplicativo, afirmando se tratar de uma atualização, manutenção ou confirmação de cadastro. Com o código, os bandidos conseguem replicar a conta de WhatsApp em outro celular. A partir daí, os criminosos enviam mensagens para os contatos da pessoa, fazendo-se passar por ela, pedindo dinheiro emprestado por transferência via Pix. Uma medida simples para evitar que o WhatsApp seja clonado é habilitar, no aplicativo, a opção "Verificação em duas etapas" Configurações/Ajustes > Conta > Verificação em duas etapas. Desta forma, é possível cadastrar uma senha que será solicitada periodicamente pelo app. Essa senha não deve ser enviada para outras pessoas ou digitadas em links recebidos. Golpe de engenharia social com Whatsapp Em outra fraude que usa o Whatsapp, o criminoso escolhe uma vítima, pega sua foto em redes sociais, e, de alguma forma, consegue descobrir números de celulares de contatos da pessoa. Com um novo número de celular, manda mensagem para amigos e familiares da vítima, alegando que teve de trocar de número devido a algum problema, como, por exemplo, um assalto. A partir daí, pede uma transferência via Pix, dizendo estar em alguma situação de emergência. Nesta fraude, o bandido nem precisa clonar o whatsapp da pessoa, e usa a estratégia de pegar dados pessoais da vítima e de seus contatos. A Febraban alerta que é preciso ter muito cuidado com a exposição de dados em redes sociais, como, por exemplo, em sorteios e promoções que pedem o número de telefone do usuário. Ao receber uma mensagem de algum contato com um número novo, é preciso certificar-se que a pessoa realmente mudou seu número de telefone. O cliente sempre deve suspeitar quando recebe uma mensagem de algum contato que solicita dinheiro de forma urgente. Não faça o Pix ou qualquer tipo de transferência até falar com a pessoa que está solicitando o dinheiro. Golpe do falso funcionário de banco e das falsas centrais telefônicas Outros golpes praticados são os do falso funcionário e falsas centrais telefônica de instituições financeiras. O fraudador entra em contato com a vítima se passando por um falso funcionário do banco ou empresa com a qual o cliente tem um relacionamento ativo. O criminoso oferece ajuda para que o cliente cadastre a chave Pix, ou ainda diz que o usuário precisa fazer um teste com o sistema de pagamentos instantâneos para regularizar seu cadastro, e o induz a fazer uma transferência bancária. É importante ressaltar que os dados pessoais do cliente jamais são solicitados ativamente pelas instituições financeiras, tampouco funcionários de bancos ligam para clientes para fazer testes com o Pix. Na dúvida, sempre procure seu banco para obter esclarecimentos. Golpe do bug do Pix Outra ação criminosa que está sendo praticada por quadrilhas e que envolvem o Pix é o golpe do "bug" (falha que ocorre ao executar algum sistema eletrônico). Mensagens e vídeos disseminados pelas redes sociais por bandidos afirmam que, graças a um "bug" no Pix, é possível ganhar o dobro do valor que foi transferido para chaves aleatórias. Entretanto, ao fazer este processo, o cliente está enviando dinheiro para golpistas. Os canais oficiais do Banco Central já alertaram que não há qualquer "bug" no Pix. A Febraban ressalta que o cliente sempre deve desconfiar de mensagens que prometem dinheiro fácil e que chegam pelas redes sociais ou e-mail. VÍDEOS: entenda como funciona o Pix
Veja Mais

24/02 - Chefe do FMI apela por colaboração internacional para acelerar a distribuição de vacinas contra a Covid-19
Segundo a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, o risco é que a maioria dos países em desenvolvimento definhe nos próximos anos se não houver uma ampla imunização. O G20 deve tomar medidas fortes para reverter uma "divergência perigosa" que ameaça deixar a maioria das economias em desenvolvimento definhando por anos, disse a chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI) em um blog nesta quarta-feira (24). A diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, afirmou que "uma colaboração internacional muito mais forte" é necessária para acelerar a distribuição de vacinas contra a Covid-19 nos países mais pobres, incluindo financiamento adicional para ajudá-los a comprar doses e realocar o excedente de vacinas de alguns mercados para outros com déficit. Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Kristalina Georgieva Reuters O FMI projetou recentemente que a economia global vai crescer 5,5% neste ano e 4,2% em 2022, mas Georgieva alertou que as perspectivas permanecem incertas, citando preocupações sobre as mutações do coronavírus e distribuição lenta de vacinas na maior parte do mundo. FMI vê nova melhora em projeções para PIB global; Brasil deve ter 'encolhido' 4,5% em 2020 "Será uma ascensão longa e incerta", escreveu ela em um blog que acompanha o relatório de supervisão do FMI preparado para a reunião de sexta-feira entre autoridades de finanças do G20, instando-os a tomar medidas para evitar o que ela chamou de "Grande Divergência". "Há um grande risco de que, à medida que as economias avançadas e alguns mercados emergentes se recuperem mais rapidamente, a maioria dos países em desenvolvimento definhem nos próximos anos", disse ela. "Se quisermos reverter essa divergência perigosa entre os países e dentro deles, precisamos tomar medidas fortes agora." No final de 2022, o FMI estima que a renda per capita cumulativa ficará 22% abaixo das projeções pré-crise nos países emergentes e em desenvolvimento, exceto a China, em comparação com 13% nas economias avançadas e 18% nos países de baixa renda. O FMI também está vendo um distanciamento acelerado dentro dos próprios países, com a perda de empregos atingindo jovens, pouco qualificados, mulheres e trabalhadores informais de maneira desproporcional, enquanto milhões de crianças enfrentam interrupções na educação. Acabar com a pandemia mais rapidamente acrescentaria US$ 9 trilhões à economia global até 2025, com cerca de US$ 4 trilhões indo para as economias avançadas, superando "de longe" qualquer custo relacionado à vacina, disse ela. Além de iniciativas para acelerar as vacinações, Georgieva disse que a capacidade de produção dos imunizantes deve ser significativamente ampliada para 2022 e além, e os formuladores de política devem considerar oferecer garantias aos fabricantes de vacinas contra riscos de superprodução. Ela pediu apoio fiscal continuado e direcionado por parte dos governos do G20 para apoiar as economias e disse que os bancos centrais devem manter políticas monetárias e financeiras acomodatícias para sustentar o fluxo de crédito para famílias e empresas. Mas ela alertou que o apoio continuado à política monetária havia levantado "preocupações legítimas sobre consequências não intencionais, incluindo excessiva tomada de risco e exuberância do mercado". Os países do G20 também devem aumentar o suporte a nações vulneráveis ​​por meio de financiamento adicional com condições facilitadas, ao mesmo tempo que alavancam o financiamento privado por meio de instrumentos mais fortes de compartilhamento de risco e continuam a trabalhar no alívio da dívida, disse Georgieva. Ela afirmou que uma nova alocação da moeda do FMI - os chamados Direitos Especiais de Saque (SDRs, na sigla em inglês) - aumentaria substancialmente a liquidez dos países sem elevar o peso da dívida. Também iria expandir a capacidade de nações doadoras de fornecer novos recursos. A Itália, que preside o G20 neste ano, está pressionando por uma alocação de 500 bilhões de dólares, um movimento apoiado por França, Alemanha e outros grandes países. Os Estados Unidos se opuseram a tal movimento no governo do ex-presidente Donald Trump, mas ainda não comunicaram uma posição firme sobre uma nova alocação de SDRs sob o governo do presidente Joe Biden. Vídeos: Últimas notícias de economia
Veja Mais

24/02 - Criação de vagas temporárias em janeiro cresce 37,3%; Páscoa deve gerar 42 mil postos
65% das contratações temporárias de janeiro foram impulsionadas pela indústria; Asserttem prevê crescimento de quase 24% nas vagas para a Páscoa em relação a 2020. Aumento de empregos temporários é esperado na região em decorrência do feriado de Páscoa O mês de janeiro teve um resultado surpreendente na geração de vagas temporárias, segundo a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem). Foram 178.640 contratações, aumento de 37,3% com relação ao mesmo mês de 2020 (130.100 vagas). Desse total, 16.380 foram para atender às demandas de Páscoa na indústria de chocolate, comércio e serviços, alta de 31% em relação ao ano passado (12.503 vagas). De acordo com a entidade, 65% das contratações temporárias de janeiro foram impulsionadas pela Indústria para atender à demanda complementar de trabalho em segmentos como Alimentos, Farmacêutica, Embalagens, Metalúrgica, Mineração, Automobilística, Agronegócio e Óleo e Gás; seguido de 25% do setor de Serviços e 10% do Comércio. Ao todo, nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2020, a Páscoa gerou 33.906 contratações temporárias. Neste ano, a projeção da Asserttem é de mais de 42 mil vagas temporárias no período - aumento de quase 24%. "A Páscoa teve um papel importante no resultado de janeiro, visto que a indústria de chocolates acelerou as contratações temporárias, pois está com uma demanda de trabalho 31% superior do que em 2020 e iniciaram a produção de chocolates com antecedência", diz o presidente da associação, Marcos de Abreu. Previsão de crescimento no 1º trimestre A Associação Brasileira do Trabalho Temporário prevê que a geração de vagas formais por meio do trabalho temporário deve crescer 25% no 1º trimestre de 2021 em comparação ao mesmo período do ano passado. A projeção é que sejam geradas mais de 805 mil vagas temporárias entre os meses de janeiro e março, superando em 25% as 644.500 contratações na modalidade no mesmo período do ano passado. A Indústria segue impulsionando as contratações, seguida pelo Agronegócio, Serviços e Comércio. "Além disso, nossas estimativas apontam que a taxa média de efetivação de 22%, alcançada no final de 2020, irá se manter nesse 1º trimestre de 2021. Um resultado excelente, já que anteriormente a taxa girava entorno de 15%", destaca Abreu. O período de duração do contrato temporário na indústria, que era de 45 dias em média, será superior a 77 dias em 2021, segundo o presidente da Asserttem. "O período de contratação será bem maior para a indústria conseguir atender o volume de demandas do mercado", diz. Para Abreu, diante das incertezas que a pandemia ainda gera na economia do país, as empresas seguirão se apoiando no trabalho temporário para garantir maior flexibilidade de gestão e conseguir se manter no mercado. "As empresas já enxergaram que o trabalho temporário é uma excelente opção formal de contratação, que preserva os direitos dos trabalhadores e ainda confere flexibilidade de gestão para acompanharem as oscilações da economia", explica. Entenda o trabalho temporário O trabalho temporário é prestado por pessoa física contratada por uma empresa de trabalho temporário que a coloca à disposição de uma empresa tomadora de serviços ou cliente. E essa contratação é somente para atender à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de serviços. A duração do contrato de trabalho máxima é de até 180 dias, com a possibilidade de ser prorrogado uma única vez por até 90 dias corridos, independentemente de a prestação de serviço ocorrer em dias consecutivos ou não. Ou seja, o prazo deve ser contado de forma corrida, considerando a contagem também dos intervalos contratuais, e não apenas considerando só os dias efetivamente trabalhados. Direitos trabalhistas previstos no contrato temporário: jornada de trabalho de, no máximo, oito horas diárias - mas poderá ter duração superior na hipótese de a empresa tomadora de serviços utilizar jornada de trabalho específica; as horas que excederem à jornada normal de trabalho serão remuneradas com acréscimo de, no mínimo, 50%; acréscimo de, no mínimo, 20% da remuneração quando o trabalho for noturno; descanso semanal remunerado; remuneração equivalente à dos empregados da mesma categoria da empresa tomadora de serviços, calculada à base horária, garantido, em qualquer hipótese, o salário-mínimo regional; pagamento de férias proporcionais, calculado na base de um 1/12 do último salário; Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); benefícios e serviços da Previdência Social; seguro de acidente do trabalho; anotação da condição de trabalhador temporário na Carteira de Trabalho e Previdência Social
Veja Mais

24/02 - IBGE segue com inscrições abertas para contratação de vagas temporárias no Censo 2021 no Oeste Paulista
Interessados devem se inscrever pela internet até o dia 19 de março. Estrela do Norte anuncia abertura de processo seletivo para contratação de professores. IBGE abre concurso com vagas no Oeste Paulista para Censo 2021 Reprodução/FAEPE Cidades do Oeste Paulista estão com inscrições abertas para concursos públicos e processos seletivos. Confira as oportunidades: Estrela do Norte A Prefeitura de Estrela do Norte abriu vagas para processo seletivo com o objetivo de formação de cadastro reserva para a contratação de professores. Conforme o edital, as oportunidades são para os cargos de: professor de educação básica I; professor de educação básica II; professor de educação básica II - arte; professor de educação básica II - educação física. Os docentes efetivados devem exercer suas funções em jornada de trabalho eventual, referente ao vencimento de R$ 14,43 a R$ 18,68 horas-aula. As inscrições devem ser feitas até o dia 24 de fevereiro pela internet. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publico dois editais para contratar temporariamente 204.307 pessoas para trabalhar na organização e na coleta do Censo Demográfico 2021. IBGE abre inscrições para 955 vagas de trabalho temporário no Censo 2021 na região de Presidente Prudente; VEJA quantidade em cada município Conforme o edital, nas 56 cidades da região de Presidente Prudente, são 955 vagas no total. São 842 oportunidades para recenseadores, 71 para agentes censitários supervisores e 42 para agentes censitários municipais. Aos aprovados e contratados aos cargos de ACM e ACS, a remuneração mensal será de R$ 1.700,00 a R$ 2.100,00, ambas correspondentes a uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. Já ao cargo de Recenseador, a remuneração será por produção, com uma jornada de trabalho de, no mínimo, 25 horas semanais. As inscrições devem ser feitas pelo site até o dia 19 de março. Polícia Militar do Estado de São Paulo A Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMSP) está com concursos públicos abertos. Um dos processos seletivos é para o preenchimento de 2.700 vagas, do sexo masculino e feminino, ao cargo de Soldado PM de 2ª classe do quadro de praças de Polícia Militar. Conforme o edital, ao candidato que for efetivado, a remuneração básica inicial é de R$ 3.318,53, composta do padrão de R$ 1.287,33, o Regime Especial de Trabalho Policial (RETP) de R$ 1.287,33 e a insalubridade de R$ 743,87. Para participar, os interessados devem efetuar as inscrições pela internet até o dia 25 de fevereiro. VÍDEOS: Tudo sobre a região de Presidente Prudente Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.
Veja Mais

24/02 - Depen suspende provas de concurso público para 309 vagas
Exames estavam previstos para o próximo domingo (28). Cargos são de nível médio e superior, com salários de até R$ 6.030,23. O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) suspendeu as provas do concurso público para 309 vagas que estavam previstas para o próximo domingo (28). Veja nota abaixo: A diretoria-geral Departamento Penitenciário Nacional (Depen), em razão das medidas restritivas adotadas por alguns estados em decorrência da pandemia, torna públicos a suspensão do concurso público para o provimento de vagas nos cargos de Especialista Federal em Assistência à Execução Penal e de Agente Federal de Execução Penal, bem como o adiamento das provas que seriam realizadas no dia 28 deste mês. Torna público, ainda, que o novo cronograma será divulgado oportunamente. As provas, previstas no edital para setembro do ano passado, já haviam sido suspensas e reagendadas em janeiro para fevereiro. Veja o andamento do concurso no site do Cebraspe O concurso público do Depen oferece 309 vagas em cargos de nível médio e superior. Veja os cargos: Nível superior: Especialista Federal em Assistência à Execução Penal, especialidades de Enfermagem, Médico Clínico, Médico Psiquiatra, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional. Nível Médio: Agente Federal de Execução Penal Vagas: 15 vagas para Especialista Federal em Assistência à Execução Penal 294 vagas para Agente Federal de Execução Penal Salários: R$ 6.030,23 para o cargo de agente R$ 5.865,70 para o cargo de especialista Locais das vagas: Os candidatos serão lotados na sede do Depen, em Brasília/DF, ou em uma das cinco penitenciárias federais, localizadas nas cidades de Brasília/DF, Campo Grande/MS, Catanduvas/PR, Mossoró/RN e Porto Velho/RO, de acordo com o interesse e a necessidade da administração. As prova objetivas e discursiva para ambos os cargos deverão ser realizadas nas 26 capitais e no Distrito Federal, além dos municípios de Mossoró (RN) e Catanduvas (PR). Haverá ainda exame de aptidão física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e Curso de Formação.
Veja Mais

24/02 - Confiança do comércio cai pelo 2º mês seguido, aponta CNC
Para presidente da entidade, solução para retorno ao cenário anterior à pandemia "é a vacinação em massa da população". A confiança do empresário do comércio caiu 1,5% em fevereiro, na segunda queda consecutiva, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC). Com o recuo, o indicador de confiança ficou em 104,5 pontos. Na comparação com fevereiro de 2020, a queda foi de 18,5%. Para a entidade, o segundo recuo consecutivo do Icec no ano revela preocupação dos comerciantes com a economia, em meio à pandemia de covid-19. Na passagem de janeiro para fevereiro, houve queda em condições atuais (-3,1%); expectativas (-1,6%); e intenção de investimentos (-0,2%). Ante fevereiro de 2020, os recuos nesses tópicos foram mais intensos, de 29,2%, 13,8%, e 14,4%, respectivamente. Em nota, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, admitiu que os sinais no setor são de pouco otimismo neste início de ano. No entanto, ele considerou que implementação de novo programa de transferência de renda, entre outras políticas públicas para acelerar a capacidade de recuperação da economia e do consumo, poderiam modificar o cenário de incertezas, melhorando as expectativas. "Os efeitos desta crise sem precedentes ainda reverberam, e a solução para retornarmos ao cenário anterior à pandemia é a vacinação em massa da população”, acrescentou. Comércio fechado Uberlândia decreto coronavírus Covid-19 TV Integração/Reprodução Já o economista da CNC responsável pela pesquisa, Antonio Everton detalhou que, na prática, os comerciantes reconhecem que o momento econômico atual se mostra difícil para os negócios. “O entendimento de que a economia melhorou correspondeu a uma fatia muito pequena dos entrevistados (3%) [no Icec de fevereiro], o que pode ser um sinal de reticência empresarial quanto às perspectivas da evolução econômica em um ritmo mais forte, nos próximos meses", concluiu.
Veja Mais

24/02 - Lucro da Gerdau sobe 939% no quarto trimestre
Siderúrgica obteve um ganho de R$ 1,05 bilhão nos últimos três meses de 2020. A Gerdau anunciou que lucrou R$ 1,05 bilhão no quarto trimestre de 2020, o que representou alta de 939% sobre o mesmo período do ano anterior, quando a siderúrgica obteve lucro líquido de R$ 102 milhões. Em todo 2020, a companhia lucrou R$ 2,38 bilhões, uma evolução de 96%. Segundo a Gerdau, a receita líquida foi de R$ 13,62 bilhões no último trimestre de 2020, apresentando crescimento de 43% no comparativo ao mesmo período de 2019. Já no ano passado, a companhia faturou R$ 43,81 bilhões, uma alta de 11% em relação a 2019. Gerdau Divinópolis Reprodução/TV Integração “Vale ressaltar que no trimestre a receita líquida foi influenciada, principalmente, pela depreciação do real de 31% nos últimos doze meses, com impacto positivo especialmente pela conversão das receitas das nossas operações na América do Norte”, informou a Gerdau. A Gerdau informou, ainda, que para este ano, estão previstos investimentos de R$ 3,5 bilhões, ante aportes de R$ 1,6 bilhões em 2020. Esses recursos fazem parte do plano de investimentos de R$ 6,9 bilhões de 2019 a 2021.
Veja Mais

24/02 - Investimento estrangeiro soma US$ 1,83 bilhão em janeiro, menor valor para o mês em 15 anos
Contas externas registraram déficit de US$ 7,25 bilhões em janeiro, menor rombo em três anos, segundo informações do Banco Central. Os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 1,838 bilhão em janeiro deste ano, de acordo com números divulgados pelo Banco Central (BC) nesta quarta-feira (24). Isso representa uma queda de 30,7% na comparação com o mesmo mês de 2020, quando foi registrado o ingresso de US$ 2,654 bilhões. Essa também foi a menor entrada líquida de investimentos diretos na economia brasileira, para o mês de janeiro, desde 2006 (US$ 1,472 bilhão), ou seja, em 15 anos. A queda nos investimentos acontece em meio à tensão nos mercados, causada pela pandemia do novo coronavírus, e também às dificuldades para aprovar reformas que reequilibrem as contas públicas, além do fraco nível de atividade (com o fim do auxílio emergencial). Em todo ano passado, os investimentos estrangeiros somaram US$ 34,167 bilhões, queda de 50,6% frente a 2019. Foi o menor ingresso anual desde 2009. Para 2021, o BC estimou, em dezembro do ano passado, que os investimentos diretos de estrangeiros no país avançarão para US$ 60 bilhões devido à "redução de incertezas relacionadas à pandemia - e, consequentemente, a um ambiente externo mais favorável para economias emergentes – e ao crescimento doméstico, que deve melhorar a lucratividade das empresas estrangeiras no Brasil". Contas externas As contas externas registraram um déficit de US$ 7,253 bilhões em janeiro, o que representa um rombo 29,6% menor na comparação com o mesmo mês de 2020 (-US$ 10,305 bilhões). Esse também foi o melhor resultado para o mês de janeiro desde 2018, quando foi registrado um déficit de US$ 6,778 bilhões. Ou seja, foi o menor resultado negativo em três anos. O resultado de transações correntes, um dos principais do setor externo do país, é formado pela balança comercial (comércio de produtos entre o Brasil e outros países), pelos serviços (adquiridos por brasileiros no exterior) e pelas rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior). Em todo ano passado, as contas externas registraram um déficit de US$ 12,517 bilhões. Esse foi o melhor resultado para um ano fechado desde 2007, ou seja, em 13 anos. Para 2021, o BC estimou, em dezembro do ano passado, um aumento no rombo das contas externas para US$ 19 bilhões devido ao "cenário de continuidade da retomada da atividade doméstica" e do "crescimento da demanda global e atenuação da intensidade das intervenções não farmacêuticas para contenção da Covid-19". Vídeos: Economia no Brasil e no mundo
Veja Mais

24/02 - Bovespa tem alta, mas perde força em dia de divulgação de balanço da Petrobras
Nesta quarta-feira, principal índice da bolsa subiu 0,38%, a 115.667 pontos. A bolsa de valores brasileira, a B3, perdeu a maior parte dos ganhos da manhã desta quarta-feira (24), com uma bateria de resultados corporativos no radar e em dia de divulgação do balanço de 2020 da Petrobras, enquanto a movimentação em Brasília permanece no radar. Ao fim do pregão, o Ibovespa teve alta de 0,38%, a 115.667 pontos. Veja mais cotações. A Petrobras teve altas novamente, mas com avanço mais contido. As ações ordinárias (PETR3) subiram 1,28%, enquanto as preferenciais (PETR4) tiveram alta de 1,41%. O dólar fechou o dia em queda. A moeda norte-americana recuou 0,39%, cotada a R$ 5,4207. Na terça-feira, o Ibovespa fechou com ganho de 2,27%, a 115.227 pontos. Na parcial do mês, a bolsa passou a acumular alta de 0,48%. No ano, porém, tem queda de 2,85%. Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia Conselho aprova convocação de assembleia para votar mudança na presidência da Petrobras Entenda o que é o Day Trade – e saiba se é possível enriquecer com essa modalidade Turbulências com Petrobras Na véspera, as ações da Petrobras fecharam em alta de 12%, recuperando parte das perdas recentes em meio às turbulências provocadas pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de mudar a presidência da estatal. A petroleira divulga nesta quarta, após o fechamento dos mercados, o seu balanço financeiro de 2020. No exterior, os preços internacionais do petróleo eram negociado em alta acima de 1% nesta manhã. O Conselho de Administração da Petrobras aprovou nesta terça-feira a convocação de uma assembleia extraordinária para votar a mudança da presidência. O presidente Jair Bolsonaro indicou o general da reserva Joaquim Silva e Luna para substituir Roberto Castello Branco. Miriam Leitão: MP que acelera a privatização da Eletrobras é encenação Cenário político e econômico O presidente Jair Bolsonaro entregou na véspera uma medida provisória que busca acelerar a privatização da Eletrobras, numa tentativa de reverter a imagem de que a agenda de privatizações do governo está parada e após sua decisão de trocar o comando da Petrobras ter alimentado receios de uma guinada do governo a uma direção mais populista e mais distante da agenda liberal defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. As ações preferenciais da Eletrobras fecharam em alta de 10,8% na terça-feira, embaladas pela entrega da MP. No Congresso, seguem as discussões sobre a PEC Emergencial, que abre caminho para mais uma rodada do Auxílio Emergencial e cria medidas de ajuste nas contas públicas. PEC Emergencial deve levar 10 anos para compensar gastos com nova rodada do Auxílio Na agenda de indicadores, o IBGE divulgou que o IPCA-15, que é uma prévia da inflação oficial do país, desacelerou para 0,48% em fevereiro. Em 12 meses, acumula alta de 4,57%, acima da meta central do governo para a inflação em 2021, que é de 3,75%. Já a Fundação Getulio Vargas mostrou que a confiança do consumidor subiu em fevereiro após quatro meses de queda consecutivas. Entre os analistas, cresce a aposta de aumento da taxa básica de juros já na próxima reunião do Copom, agendada para 17 de março. "O Banco Central só não aumentará a Selic no mês que vem caso persista a indefinição sobre a extensão do auxílio emergencial", avaliou em relatório a LCA Consultores.
Veja Mais

24/02 - Gasto de brasileiros no exterior em janeiro é o menor para o mês em 16 anos, aponta Banco Central
Gasto somou US$ 308 milhões no primeiro mês deste ano. Resultado reflete restrições a viagens relacionadas com a pandemia e a disparada do dólar. Em janeiro, tradicional mês de férias escolares, os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 308 milhões, de acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (24) pelo Banco Central. Na comparação com o mesmo período de 2020, quando as despesas em outros países totalizaram US$ 1,438 bilhão, a queda foi de 77,2%. Esse também foi o menor valor para o mês de janeiro desde 2005, ou seja, em 16 anos, quando as despesas lá fora somaram US$ 296 milhões. A forte queda nos gastos acontece em meio a restrições provocadas pela pandemia do novo coronavírus, que resultou no fechamento de fronteiras e na suspensão de voos, e que também levou à disparada do dólar. Depois de registrar forte alta de 29% em 2020, a moeda norte-americana registrou novo aumento, de 5,46%, em janeiro deste ano. Além das tensões com a pandemia, dificuldades do governo em levar adiante reformas para reequilibrar as contas públicas têm influenciado o preço da moeda norte-americana. Dólar tem maior alta em 4 meses e fecha valendo R$ 5,47 Com a disparada do dólar, as viagens de brasileiros ao exterior ficam mais caras. Isso porque as passagens e as despesas com hotéis, por exemplo, são cotadas em moeda estrangeira. Gasto de estrangeiros no Brasil De acordo com dados do BC, em janeiro deste ano os estrangeiros gastaram US$ 269 milhões no Brasil, com forte queda frente ao patamar registrado no mesmo mês de 2019 (US$ 675 milhões). Para estimular o turismo no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro assinou no começo do ano passado um decreto para dispensar o visto de visita para turistas de Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão que viajarem ao Brasil. Vídeos: assista a mais notícias sobre economia
Veja Mais

24/02 - Alto Tietê reúne mais de 1,1 mil vagas para quem busca emprego nesta quarta; veja lista
Oportunidades são para trabalhar nos municípios de Mogi das Cruzes, Suzano, Santa Isabel, Itaquaquecetuba e Ferraz de Vasconcelos. Carteira de trabalho Heloise Hamada/G1 Os programas de encaminhamento ao emprego do Alto Tietê oferecem 1111 vagas de trabalho nesta quarta-feira (24). As oportunidades são para trabalhar nas cidades de Itaquaquecetuba, Santa Isabel, Ferraz de Vasconcelos, Suzano e Mogi das Cruzes. PATs Os Postos de Atendimento ao Trabalhador de Itaquaquecetuba, Santa Isabel e Ferraz de Vasconcelos estão selecionando para 499 vagas. Para concorrer é necessário acessar os aplicativos Sine Fácil e CTPS Digital. O e-mail para mais informações é o suporte.sd@sde.sp.gov.br. Vagas de emprego dos Postos de Atendimento ao Trabalhador do Alto Tietê Emprega Mogi A cidade de Mogi das Cruzes possui 398 vagas. As pessoas interessadas devem acessar a plataforma Emprega Mogi para participar. Os telefones para mais informações são 4699-1900, 4699-2784, 4798-6315 ou 97422-4273. Os detalhes sobre as vagas em Mogi, como remuneração oferecida e outras exigências, podem ser acessados no site da Prefeitura. Vagas de emprego do programa Emprega Mogi Suzano Já no programa de encaminhamento ao emprego de Suzano há 214 oportunidades. Os interessados podem procurar uma das duas unidades do Centro Unificado de Serviços (Centrus). A central fica na Avenida Paulo Portela, 210. Já o Centrus Norte está localizado na Avenida Francisco Marengo, 2.301, no Jardim Dona Benta. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail suzanomaisemprego@gmail.com ou pelo telefone 4745-2264. Vagas de emprego em Suzano Assista a mais notícias
Veja Mais

24/02 - Dólar fecha em queda com investidores avaliando riscos políticos e fiscais do Brasil
Nesta quarta-feira (24), moeda norte-americana recuou 0,39%, a R$ 5,4207. Notas de dólar e real em casa de câmbio no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira *4) REUTERS/Bruno Domingos O dólar fechou em queda nesta quarta-feira (23), com os investidores avaliando os riscos políticos e fiscais do Brasil em meio a sinalização de retomada da agenda de privatizações do governo. A moeda norte-americana recuou 0,39%, cotada a R$ 5,4207. Veja mais cotações. Na terça-feira, o dólar fechou em queda de 0,24%, a R$ 5,4421. Na parcial do mês, passou a acumular queda de 0,91%. No ano, porém, tem valorização de 4,50% ante o real. O Banco Central realizou nesta quarta-feira leilão de swap tradicional para rolagem de até 16 mil contratos com vencimento em junho e outubro de 2021, destacou a Reuters. Cenário Na agenda de indicadores, o IBGE divulgou que o IPCA-15, que é uma prévia da inflação oficial do país, desacelerou para 0,48% em fevereiro. Em 12 meses, acumula alta de 4,57%, acima da meta central do governo para a inflação em 2021, que é de 3,75%. Já a Fundação Getulio Vargas mostrou que a confiança do consumidor subiu em fevereiro após quatro meses de queda consecutivas. Entre os analistas, tem crescido a aposta de aumento da taxa básica de juros já na próxima reunião do Copom, agendada para 17 de março. "O Banco Central só não aumentará a Selic no mês que vem caso persista a indefinição sobre a extensão do auxílio emergencial", avaliou em relatório a LCA Consultores. No Congresso, seguem as discussões sobre a PEC Emergencial, que abre caminho para mais uma rodada do Auxílio Emergencial e cria medidas de ajuste nas contas públicas. PEC Emergencial deve levar 10 anos para compensar gastos com nova rodada do Auxílio Governo entrega MP da Eletrobras ao Congresso; veja análise Na cena política, o presidente Jair Bolsonaro entregou na véspera uma medida provisória que busca acelerar a privatização da Eletrobras, numa tentativa de reverter a imagem de que a agenda de privatizações do governo está parada e após sua decisão de trocar o comando da Petrobras ter alimentado receios de uma guinada do governo a uma direção mais populista e mais distante da agenda liberal defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Em evento na véspera, Bolsonaro dedicou parte do discurso a fazer elogios ao ministro da Economia, que ainda não se pronunciou sobre a troca no comando da Petrobras. O presidente disse ainda que "tem muita coisa errada" na Petrobras e que o indicado para ser o novo presidente da estatal, o general reformado Joaquim Silva e Luna, irá "dar uma arrumada" na empresa. O presidente Bolsonaro elogiou o ministro Guedes em cerimônia no Planalto No exterior, vários investidores citaram o impacto do discurso feito na véspera pelo presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, como um fator de pressão para o dólar no mundo todo. Powell reiterou que as taxas de juros dos Estados Unidos permanecerão baixas e que o Fed continuará comprando títulos para apoiar a economia. Variação do dólar em 2021 Economia G1
Veja Mais

24/02 - Brasil fica em 3º no ranking de vídeos removidos do TikTok no 2º semestre de 2020
País aparece atrás de EUA e Paquistão entre os que tiveram mais publicações retiradas do ar por violar regras. Entre 1º de julho e 31 de dezembro, mais de 89 milhões de vídeos foram removidos do TikTok globalmente. TikTok removeu mais de 89 milhões de vídeos no 2º semestre de 2020 Imagem de Divulgação/TikTok. O Brasil foi o 3º país com mais vídeos removidos do TikTok no 2º semestre de 2020 por violação das diretrizes ou termos de serviço da plataforma. No período, mais de 7,5 milhões de vídeos de usuários registrados como brasileiros foram apagados, como mostram dados do relatório de transparência divulgado pela rede social nesta quarta-feira (24). Os principais motivos para os vídeos saírem do ar foram "segurança de menores" (36% dos casos) e "nudez e atividades sexuais de adultos" (20,5%). WhatsApp: entenda a nova política de privacidade Entre 1º de julho e 31 de dezembro, o total de 89.132.938 vídeos foram removidos do TikTok globalmente, o que representa 1% de todos os vídeos carregados no serviço. A lista dos 5 países com mais vídeos apagados ficou com: Estados Unidos: 11.775.777 Paquistão: 8.215.633 Brasil: 7.506.599 Rússia: 4.574.690 Índia: 3.860.156 Quanto ao momento da remoção dos vídeos, a empresa explicou que: 92,4% foram tirados do ar antes de um usuário reportá-los; 83,3%, antes de receberem qualquer visualização; 93,5%, em menos 24 horas após serem publicados. Quais as violações dos vídeos apagados? O relatório também detalhou as violações cometidas nos mais de 9,5 milhões de publicações apagadas no mundo todo; não houve detalhamento para cada país. Veja os motivos mais comuns: Segurança de menores: 36% dos posts foram apagados por descumprir essa regra, contra 22,3% no primeiro semestre de 2020. Nudez e atividades sexuais de adultos: dos vídeos removidos, 20,5% violaram essa política, contra 30,9% no primeiro semestre de 2020. Atividades ilegais e mercadorias regulamentadas: 17,9% dos vídeos removidos violaram essa regra, uma pequena redução dos 19,6% do primeiro semestre de 2020. Conteúdo violento e explícito: 8,1% quebraram esta regra em comparação com 8,7% no primeiro semestre de 2020. Assédio e bullying: 6,6% violaram essa política, contra 2,5% no primeiro semestre de 2020. Suicídio, autolesão e atos perigosos: 6,2% violaram essas políticas, o que representa uma redução de 13,4% do primeiro semestre de 2020. Integridade e autenticidade: 2,4% foram removidos por este tipo de violação, ante 1,2% no primeiro semestre de 2020. Comportamento de ódio: 2% dos vídeos removidos infringiram a regra, contra 0,8% no primeiro semestre de 2020. Extremismo violento: 0,3% violaram esta política, o que está de acordo com o conteúdo removido durante o primeiro semestre de 2020. O TikTok afirma que reforçou as políticas sobre a "segurança de menores" para ajudar a manter "os jovens seguros". A redução dos casos de "nudez e atividades sexuais" foi atribuída a uma mudança no processo de moderação. "Um dos motivos para essa redução é resultado da melhoria de nossos sistemas de triagem que separam a nudez adulta da nudez de menores", disse a empresa. No início de 2021, o TikTok anunciou alterações em suas configurações de privacidade para menores de 18 anos. Uma das mudanças é que as contas de usuários com idade entre 13 e 15 anos passaram a ser padronizadas como privadas. Proibido na Índia Entre os países que tiveram mais vídeos deletados por violação, o Brasil passou do 4º lugar, no primeiro semestre de 2020, para o atual 3º lugar. Entre 1º de janeiro e 30 de junho, o TikTok removeu 5,5 milhões de publicações originárias do país. Com os mais de 7,5 milhões deletados no 2º semestre, houve um crescimento de 35,9% na comparação aos 6 primeiros meses daquele ano. No entanto, o ganho de posição do Brasil no ranking está relacionado à queda da Índia, que passou de 1º para o 5º lugar. Em meados de 2020, o aplicativo foi proibido pelo governo indiano, que alegou preocupação com a segurança do país após conflito com a China - país de origem do TikTok. Veja mais detalhes do relatório de transparência do TikTok do 2º semestre de 2020: Anúncios: além das contas e dos vídeos, 3.501.477 anúncios foram rejeitados por violar políticas e diretrizes de publicidade. Contas removidas: na segunda metade de 2020, 6.144.040 contas foram removidas por violarem as diretrizes do app. Além disso, outras 9.499.881 contas de spam foram removidas, juntamente com 5.225.800 vídeos de spam postados por essas contas. A empresa diz ter evitado a criação de 173.246.894 contas por meios automatizados. Apelações: os criadores de conteúdo podem apelar das exclusões da plataforma. Utilizando deste direito, 2.927.391 de vídeos foram restabelecidos após reclamações. Remoção automática de vídeos: a empresa disse que 8.295.164 vídeos foram sinalizados e removidos automaticamente. "Devido à pandemia, continuamos contando com tecnologia para detectar e remover automaticamente o conteúdo violador em alguns mercados, como Brasil e Paquistão", disse a empresa, no relatório. SAIBA MAIS: Trump ameaçou proibir TikTok nos EUA, em 2020; entenda no vídeo abaixo. Conheça o TikTok, o app que incomoda Donald Trump Saiba como funciona o TikTok TikTok: o aplicativo chinês que conquistou milhões de usuários
Veja Mais

24/02 - IPCA-15: Prévia da inflação oficial em fevereiro fica em 0,48%, aponta IBGE
Índice é o maior para um mês de fevereiro desde 2017. Gasolina foi o item que mais pressionou a inflação no mês. Valor da gasolina aumentou em postos de Campinas Reprodução / EPTV O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial do país, ficou em 0,48% em fevereiro, conforme divulgado nesta quarta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse é o maior resultado para um mês de fevereiro desde 2017, quando o índice foi de 0,54%. O indicador desacelerou na comparação com janeiro, quando ficou em 0,78%, o maior para um mês de janeiro em cinco anos. Já no acumulado em 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 4,57%, acima dos 4,30% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Prévia da inflação oficial em fevereiro ficou em 0,48%, 0,30 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada em janeiro Economia/G1 IPCA: inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, maior alta desde 2016 Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, seis apresentaram alta em fevereiro. Habitação e Comunicação registraram deflação no mês, enquanto vestuário teve variação nula. Veja o resultado para cada um dos grupos: Alimentação e bebidas: 0,56% Artigos de residência: 1,01% Vestuário: 0,00% Transportes: 1,11% Saúde e cuidados pessoais: 0,46% Despesas pessoais: 0,15% Educação: 2,39% Habitação: -0,74% Comunicação: -0,09% Gasolina teve o maior impacto no índice De acordo com o IBGE, os combustíveis foram os itens que mais pressionaram a inflação em fevereiro, sobretudo a gasolina, que teve o maior impacto individual sobre o indicador, de 0,17 ponto percentual. Os combustíveis acumularam alta de 3,34% no mês, enquanto a gasolina subiu 3,52% - foi a oitava alta seguida dos preços da gasolina. Também houve altas nos preços do óleo diesel (2,89%), do etanol (2,36%) e do gás veicular (0,61%). O que faz os preços da gasolina e diesel subirem? A alta nos preços dos combustíveis fez com que o grupo dos transportes tivesse alta de 1,11%, bem acima do resultado de janeiro, quando o aumento para este grupo foi de 0,14%. Embora o grupo de transportes tenha sido o de maior impacto no IPCA-15 de fevereiro, a maior alta foi registrada no grupo de Educação (2,39%), sendo o segundo maior impacto (de 0,15 p.p.) no resultado do mês. "O desempenho [do grupo de educação] reflete os reajustes anuais aplicados no início do ano letivo e a retirada de descontos praticados por algumas instituições de ensino ao longo de 2020, no contexto da pandemia de COVID-19", ponderou o IBGE. Habitação tem deflação e Alimentação desacelera novamente Dois grupos de grande peso na composição do indicador ajudaram a conter a inflação no mês, segundo o IBGE: o de Habitação e o de Alimentação e Bebidas. O de Habitação registrou deflação em fevereiro, ficando em --0,74% depois de ter apresentado alta de 1,44% no mês anterior. Segundo o IBGE, o resultado negativo foi devido à redução de 4,24% nas tarifas de energia elétrica por conta da mudança das bandeiras tarifárias, que passou de vermelha patamar 2 , em dezembro, para amarela, em janeiro e fevereiro. Já o grupo de Alimentação e Bebidas teve alta de 0,56%, depois de ter registrado alta de 1,53% em janeiro. O IBGE destacou que o indicador para este grupo, que foi o maior responsável pela inflação de 2020, vem desacelerando desde novembro. Na passagem de janeiro para fevereiro, o que mais contribuiu para desaceleração do índice para Alimentação e Bebidas foram a queda nos preços da batata-inglesa (-5,44%), do leite longa vida (-1,79%), do óleo de soja (-1,73%) e do arroz (-0,96%). No lado das altas, o destaque foi a cebola, cujos preços subiram 19,17%. O IBGE destacou, ainda, que a alimentação fora do domicílio também desacelerou, passando de 1,02% em janeiro para 0,56% em fevereiro. O lanche e a refeição foram os itens que mais pressionaram essa desaceleração - passaram, respectivamente de 1,45% para 1,20% e de 0,81% para 0,37%. Goiânia foi a única região a registrar deflação Das 11 regiões pesquisadas pelo IBGE para composição do IPCA-15, apenas Goiânia registrou deflação em fevereiro, de -0,03%, pressionada sobretudo pela queda de 4,88% na energia elétrica. A maior alta foi observada na região metropolitana de Fortaleza (0,95%), puxada pelo grupo de Educação diante da alta de 8,86% nos cursos regulares (8,86%). Em outras cinco regiões o índice foi maior que a média nacional. Das 11 regiões pesquisadas, apenas uma teve deflação; em seis, indicador foi maior que a média nacional Economia/G1 Metodologia Para calcular o IPCA-15, o IBGE consultou os preços de produtos e serviços entre os dias 15 de janeiro a 11 de fevereiro de 2021. Eles foram comparados com aqueles vigentes entre 12 de dezembro de 2020 e 14 de janeiro de 2021. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada para a prévia da inflação é a mesma do IPCA. A diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica. Perspectivas e meta de inflação A meta central do governo para a inflação em 2021 é de 3,75%, e o intervalo de tolerância varia de 2,25% a 5,52%. Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic), que está atualmente em 2% ao ano. Os analistas das instituições financeiras projetam uma inflação de 3,82% no ano, acima da meta central do governo, conforme aponta a última pesquisa Focus do Banco Central. Em 2020, a inflação fechou em 4,52%, acima do centro da meta do governo, que era de 4%. Foi a maior inflação anual desde 2016. Metas para a inflação estabelecidas pelo Banco Central Aparecido Gonçalves/Arte G1
Veja Mais

24/02 - Entenda o que é o Day Trade – e saiba se é possível enriquecer com essa modalidade de investimento
Modalidade específica de investimento na Bolsa de Valores tem atraído cada vez mais os brasileiros. É um investimento de curtíssimo prazo, de no máximo 24 horas, com chance de alta lucratividade, mas de altíssimo risco. Entenda o que é o Day Trade Em 2020, ano marcado pela pandemia do coronavírus e uma consequente crise financeira sem precedentes, a B3, a Bolsa de Valores brasileira, viu o número de investidores pessoa física aumentar em 92%: foram registrados cerca de 1,5 milhão de novos cadastros no ano. Além disso, registrou um crescimento de 138% no número de operações de Day Trade. Modalidade específica de investimento no mercado financeiro, o Day Trade somou cerca de 1,1 milhão de transações em 2020. Um ano antes, foram 480 mil operações deste tipo. Entenda o day trade nos stories do G1 A explosão desse tipo de investimento no Brasil pode estar associada à disseminação, nas redes sociais, da oferta de cursos ministrados por supostos investidores que prometem ensinar como ganhar muito dinheiro de forma rápida e sem muito esforço. Day trade: prática explode no Brasil; veja alertas e cuidados para não perder dinheiro O Day Trade, de fato, é uma das modalidades de investimento com as maiores possibilidades de alta lucratividade. Atraídos pelo sonho de enriquecimento rápido, investidores inexperientes ignoram que o risco de prejuízo também é altíssimo. Afinal, o que é o Day Trade? Em tradução literal do inglês, Day Trade é “negócio no dia”. É o termo usado para operações de compra e venda de ativos no mercado financeiro realizadas em um único dia. Nessa modalidade, o investidor aproveita as oscilações da Bolsa de Valores para obter lucro em um curtíssimo prazo. Como funciona o Day Trade? A operação pode começar tanto com a compra, como com a venda de ativos, realizando a transação inversa rapidamente. Ou seja, o investidor pode iniciar a operação comprando ações e, no mesmo dia, vender todas elas buscando ter lucro. Mas ele também pode começar vendendo ações que já possui em sua carteira e, também no mesmo dia, comprar um novo lote. No primeiro caso, para ter lucro, o investidor busca vender as ações por um preço maior do que ele pagou. No segundo, a lucratividade acontece quando ele vende um lote de ações com preço elevado, e compra outro por um preço menor. Quem pode fazer Day Trade? Qualquer pessoa pode investir em Day Trade, desde que seja maior de idade e esteja cadastrada em uma corretora ou administradora de fundos mobiliários. Isso porque a pessoa física não pode operar diretamente na Bolsa de Valores – as transações são sempre intermediadas por uma instituição financeira habilitada pela B3. Entretanto, o Day Trade é uma operação complexa, que demanda estratégia para que o investimento seja rentável. Ou seja, é preciso entender bem como funciona a bolsa e ter amplo conhecimento do mercado financeiro. Por que o Day Trade é uma operação complexa? As transações de compra e venda de ativos são simples do ponto de vista operacional, mas têm de ser realizadas de forma ativa, com base nas oscilações da bolsa. No Day Trade, elas têm de ser realizadas em um curto espaço de tempo. O mercado financeiro é bastante volátil – o preço das ações sobe e desce, o tempo todo – e para ter lucro é indispensável saber identificar o momento certo de comprar e vender os ativos. Quais ativos podem ser negociados no Day Trade? De modo geral, as operações de Day Trade são feitas com ações (frações do capital de uma empresa) no chamado mercado à vista, ou com derivativos (ativo cujo valor é derivado de outro ativo) no chamado mercado futuro, sobretudo Ibovespa e câmbio. Onde é feita a compra e venda de ativos? Todas as operações na Bolsa de Valores são realizadas por meio do Home Broker, uma plataforma virtual que conecta as corretoras ao ambiente da B3. Esse sistema é disponibilizado pelas próprias corretoras aos investidores nelas cadastrados. Qual o valor mínimo para investir em Day Trade? Não existe valor mínimo para negociar na bolsa. É possível encontrar ações vendidas, por exemplo, por cerca de R$ 1 cada. Entretanto, as operações de Day Trade em geral são realizadas com lote de ações, sendo que cada lote reúne 100 ações. Quais as vantagens de investir no Day Trade? O Day Trade possui diversas vantagens quando comparado a outros tipos de investimento. As principais são: Chance de alta lucratividade no curto prazo: o maior atrativo do Day Trade é que ele é o investimento com a maior possibilidade de ter alto lucro no curto prazo. Agilidade: o prazo do investimento é de, no máximo, 24 horas, já que as operações de compra e venda são realizadas num único dia. Ou seja, o investidor tem o retorno no mesmo dia da aplicação. Liquidez diária: como as operações são realizadas no mesmo dia, o resgate também acontece no mesmo dia e o lucro pode ser sacado quase imediatamente, em até 24 horas após a operação. Controle do prejuízo: existe um mecanismo, chamado stop loss, que permite ao investidor programar um limite do preço mínimo da ação para evitar prejuízo. Caso o preço da ação caia até atingir esse limite, a execução da venda é realizada de forma automática. Permite alavancagem: é possível investir um valor superior ao patrimônio que dispõe, aumentando consideravelmente a rentabilidade, ou seja, o ganho. Essa possibilidade é avaliada pela corretora mediante análise de risco e margem de garantia, geralmente de 10% do valor. De modo geral, se o investidor possui, por exemplo, R$ 10 mil, a corretora pode permitir que ele realize uma operação de R$ 100 mil. Quais as desvantagens do Day Trade? Atraídos pela chance de lucrar muito, muitos investidores ignoram que é o Day Trade é um investimento de alto risco. As principais desvantagens desta modalidade são: Chance de prejuízo alto: proporcionalmente à possibilidade de alta lucratividade, o prejuízo também pode ser muito alto. Por se tratar de um investimento de alto risco, não há nenhuma garantia de lucro. Não é para amadores: é um tipo de investimento que demanda muito conhecimento sobre o mercado financeiro e expertise para operar na bolsa. Demanda tempo: as negociações são realizadas de forma ativa, ou seja, o investidor é que vai comprar ou vender os ativos e isso precisa ser feito enquanto o pregão acontece na Bolsa de Valores. Ele precisa estar focado nas oscilações de preços do ativo para definir o momento certo de compra e venda. Um minuto de desatenção pode resultar em grande prejuízo. Demanda dedicação: embora a transação seja realizada em um curto espaço de tempo, o investidor precisa se dedicar em acompanhar o movimento da Bolsa de forma constante, analisar gráficos, ler análises e estabelecer estratégias. Sem isso, ele aumenta ainda mais os riscos do investimento. Tem algum custo para investir em Day Trade? As corretoras ou administradoras de fundos mobiliários, que obrigatoriamente têm que intermediar as operações, podem cobrar taxa de corretagem sobre o valor investido. Todavia, atualmente a maioria destas instituições não cobra essa taxa. Já a B3 cobra os chamados emolumentos, que correspondem às taxas de negociação, liquidação e registro sobre o valor do investimento. O percentual varia de acordo com o valor movimentado – quanto maior o investimento, menor o emolumento – entre o mínimo de 0,0110% a 0,0230%. O outro custo envolvido é o Imposto de Renda. A alíquota para as transações na Bolsa de Valores é de 20% sobre o lucro, independente do valor, sendo que 1% é retido na fonte e o restante deve ser pago, sempre, até o último dia útil do mês seguinte à operação. É possível ficar rico com o Day Trade? Embora ofereça a chance de alta lucratividade, o Day Trade é um investimento de alto risco. Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas mostrou que, entre 2012 e 2018, 99,43% dos investidores em Day Trade desistiram de continuar operando com esta modalidade na B3. Apenas 0,08% deles obtiveram altos lucros. Especialistas ouvidos pelo G1 foram categóricos ao afirmar que a promessa de enriquecimento rápido com o Day Trade é uma ilusão. “Eu, particularmente, não conheço ninguém que tenha ficado rico com Day Trade. Eu vejo pessoas disciplinadas ganhando no Day Trade”, afirmou Myrian Lund, planejadora financeira e professora da FGV que foi gestora de fundos de investimento por quase uma década. “Não ache que você vai entrar no business de Day Trade e ficar milionário de um dia para o outro. Isso não vai acontecer. Isso requer muito tempo, disciplina, disposição, estratégia, conhecimentos técnicos profundos - isso é muito importante”, alertou Roberto Indech, que é head de análise técnica da XP Inc, empresa especializada em gestão de investimentos e estrategista-chefe da corretora Clear. Quais as dicas para quem quer investir no Day Trade? Os especialistas são unânimes ao afirmar que para ter sucesso no Day Trade é preciso, antes de qualquer coisa, muito conhecimento sobre o mercado financeiro. “Se você pensar como um amador vai perder dinheiro num curtíssimo espaço de tempo”, afirmou Roberto Indech. O diretor de relacionamento com clientes pessoa física da B3, Felipe Paiva, sugere que o Swing Trade [modalidade em que o investidor compra ações e as mantém em sua carteira por um período maior de tempo até identificar o melhor momento para vende-las] é o caminho mais seguro para quem quer investir no mercado financeiro. Isso porque vai permitir ao investidor se familiarizar com o ambiente da bolsa e acompanhar o mercado de forma menos agressiva. “A partir do autoconhecimento o investidor vai ganhando confiança e pode usufruir com consciência de outras modalidades de investimento como o Day Trade”, sugeriu Paiva. Disciplina é outro fator que os especialistas apontam como indispensável para operar na B3 com esta modalidade de investimento. É preciso se dedicar muito a analisar o mercado e acompanhar de forma sistemática o movimento da bolsa. Além disso, alertam para o risco de encarar o Day Trade como um “jogo de apostas” e se deixar levar pelo entusiasmo ao obter lucro em uma operação e querer repeti-la. As transações precisam ser feitas com base em estratégias claras. “Para você ter sucesso no Day Trade, você não pode ser uma pessoa emocional, você tem que ser uma pessoa de ação. O day trader tem que ser uma pessoa extremamente racional, extremamente disciplinada”, destacou Myrian Lund. Do ponto de vista prático, a principal dica dos especialistas é fazer muitos testes antes de começar a operar. As corretoras oferecem simuladores que permitem realizar estes testes como se o investidor estivesse efetivamente comprando e vendendo ações. Essas ferramentas também podem ser encontradas facilmente na internet. “Quem for começar nesse mercado, que comece pelo simulador. Que ele comece testando suas estratégias, desenvolvendo setups operacionais, desenvolvendo de fato novas estratégias que se adaptem ao ser perfil operacional e que a pessoa, de fato, tenha disciplina para executar essas estratégias. Esses são os pontos principais para qualquer pessoa que quer virar day trader”, orientou Roberto Indech. Assista às últimas notícias de Economia:
Veja Mais

24/02 - PEC Emergencial deve levar 10 anos para compensar gastos com nova rodada do Auxílio
Cálculos do Centro de Liderança Pública, com base no relatório do senador Marcio Bittar (MDB-AC), apontam que a proposta vai gerar uma economia de R$ 35 bilhões até 2030. Valor equivale à despesa que o governo federal deve ter com a nova rodada do benefício, que deve durar quatro meses. Cálculos mostram que União vai levar 10 anos para compensar gastos com novo auxílio Elaborada para abrir uma brecha no orçamento que permita o pagamento de uma nova rodada do Auxílio Emergencial, a economia gerada pela proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial deve levar 10 anos para compensar os gastos do benefício, que deve durar apenas quatro meses. É o que indicam os números contidos no relatório elaborado pelo senador Marcio Bittar (MDB-AC). Auxílio Emergencial: o caminho apontado por economistas para o governo bancar o programa A PEC abre caminho para uma nova concessão do benefício e cria medidas de ajuste nas contas públicas. Mas o texto sofreu alterações, que reduziram o seu potencial de economia no longo prazo. Com base no novo texto da PEC Emergencial apresentado na terça-feira (23), o Centro de Liderança Pública (CLP) estima que a economia do governo federal será de R$ 35 bilhões até 2030 - menos da metade da economia prevista pelo CLP com o texto original, que era de R$ 78 bilhões. Já na nova rodada do Auxílio Emergencial, o governo estuda pagar quatro parcelas de R$ 250 para metade dos beneficiários do programa anterior, com um custo que deve ficar entre R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões. Ou seja, quatro meses de auxílio só seriam compensados após uma década de vigência da PEC Emergencial. "É uma conta que nós vamos deixar para os nossos filhos pagarem", afirma Luiz Felipe D'Avila, presidente do CLP. "Nós temos de ter consciência de que o Auxílio Emergencial exige que o governo continue com as reformas, principalmente a administrativa, que tem um impacto gigantesco nas contas", complementa D'Avila. Auxílio emergencial: o que pode vir por aí A PEC estabelece gatilhos para União, Estados e municípios congelarem o crescimento de despesas em momentos de forte desequilíbrio das contas públicas. Neste caso, haverá proibição de aumento nos salários dos servidores, de criação de cargos ou concursos públicos, de progressões na carreira e também de criação de despesa obrigatória. A principal mudança no texto, do ponto de vista fiscal, foi a retirada do trecho que previa a possibilidade de redução de salário e jornada de trabalho de funcionários públicos. "Isso proporcionaria, só no primeiro ano, uma redução de R$ 13 bilhões nos gastos da União", explica Daniel Duque, head de inteligência técnica do CLP. Crise fiscal Os analistas e os investidores têm se debruçado sobre a potência da PEC Emergencial diante da crise fiscal enfrentada pelo Brasil desde 2014, quando o endividamento do país começou a crescer de forma mais acelerada. Eles buscam uma sinalização de que o acerto das contas públicas vai seguir, apesar da nova rodada do benefício. Risco fiscal: entenda o que é e saiba por que a piora das contas públicas preocupa e pode atrapalhar a retomada da economia No ano passado, com todas as medidas para mitigar os impactos da pandemia de coronavírus, a dívida bruta chegou a 89,3% do Produto Interno Bruto (PIB), um patamar recorde e considerado elevado para uma economia emergente. Dívida bruta em alta Economia G1 O Auxílio Emergencial, de acordo com o relatório do senador Marcio Bittar, será bancado com a emissão de crédito extraordinário, elevando ainda mais o endividamento brasileiro - mesmo com economistas apontando que haveria espaço para cortes no Orçamento de 2021. A abertura de crédito extraordinário também permite que o novo auxílio fique fora do teto de gastos. A regra, criada em 2016, limita o crescimento das despesas à inflação do ano anterior e funciona como uma espécie de trava. Ajuste vai depender de benefícios fiscais O texto da PEC Emergencial, segundo o CLP, só permite um ajuste fiscal relevante se houver uma redução significativa dos gastos tributários - aquelas receitas que o governo abre mão de arrecadar para beneficiar setores e grupos específicos. O texto da PEC prevê que a renúncia fiscal não poderá ultrapassar o limite de 2% do PIB num prazo de até oito anos, o que, segundo o CLP, promoveria um aumento da arrecadação da União de R$ 100 bilhões até 2030. Pelo texto da proposta, depois de aprovada a PEC, o governo tem um prazo de seis meses para enviar ao Congresso um plano de redução dos gastos tributários. Em 2021, eles devem somar R$ 307,93 bilhões, o equivalente a 4,02% do PIB. A medida, no entanto, não deverá ser tão ampla. O governo não poderá reduzir o gasto tributário de alguns setores e grupos, como do Simples, da Zona Franca de Manaus e das entidades sem fins lucrativos. Juntos, eles devem ter um benefício fiscal de R$ 127,7 bilhões neste ano. "Certamente vai ser um desafio grande (rever os gastos tributários). Hoje, uma dúzia de setores e áreas não estão pagando os impostos como deveriam estar", diz Duque, do CLP. "Descobrir quais setores vão ser os escolhidos para pagar mais é a grande problemática."
Veja Mais

24/02 - Paulo Guedes: 10 casos em que o ministro foi 'escanteado' antes da intervenção na Petrobras
Isolamento do ‘superministro’ começou antes do imbróglio sobre preço dos combustíveis. Bolsonaro e Guedes em foto de dezembro Reuters A decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de trocar o comando da Petrobras, numa tentativa de conter a escalada dos preços dos combustíveis, reascendeu especulações sobre a permanência do ministro da Economia, Paulo Guedes, no governo. Analistas questionam até quando Guedes vai seguir como fiador de um mandatário que dá reiteradas mostras de ter pouca afinidade com a agenda liberal defendida pelo ministro. Guedes se mantém longe dos microfones desde o início da crise gerada pela interferência de Bolsonaro na estatal. Mas notícias de bastidores publicadas nos últimos dias dão conta de que o ministro segue no governo e aposta na votação da chamada PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial pelo Congresso para neutralizar o mal-estar criado pelo presidente. Apresentada ao parlamento em novembro de 2019, como parte de um pacote de reformas que até agora não avançou, a PEC Emergencial está prevista para ser votada no Senado nesta quinta-feira (25/02). Além de viabilizar a retomada do auxílio emergencial para trabalhadores informais na pandemia, a proposta inclui medidas de contenção do gasto público, como o congelamento de salários dos servidores, além da desvinculação de despesas com saúde e educação. Mas o episódio da Petrobras não é o primeiro em que o ministro Paulo Guedes foi "escanteado" pelo governo ou diretamente contrariado por Bolsonaro. Relembre outros dez momentos em que o "superministro" foi isolado por decisões ou declarações do presidente. Bolsonaro elogia Guedes e diz que não briga com Petrobras Promessas de Guedes ficaram pelo caminho em 2020; veja o que foi ou não cumprido O presidente Bolsonaro elogiou o ministro Guedes em cerimônia no Planalto 1) Intervenção na Petrobras no início do mandato Uma das primeiras vezes em que Guedes foi considerado "escanteado" por Bolsonaro foi logo no início do mandato do presidente, em abril de 2019, e envolveu também a Petrobras. Naquele mês, o presidente pediu à companhia que cancelasse um aumento no preço do diesel. O pedido foi atendido e o aumento, revogado, levando as ações da estatal a caírem mais de 8%. "Ao não consultar e nem sequer avisar a Paulo Guedes, até então tido como seu 'posto Ipiranga', sobre a decisão de intervir na política de preços da Petrobras para atender aos caminhoneiros, Bolsonaro deixou claro que o economista não é mais indemissível", escreveu à época o jornalista José Nêumanne Pinto, em seu blog no site do jornal O Estado de S. Paulo. Diante da crise gerada, Bolsonaro convocou uma reunião com um grupo de ministros. Após o encontro, Guedes declarou à imprensa que o presidente havia entendido como funciona a política de preços dos combustíveis da Petrobras e que não iria mais interferir na empresa. 2) Veto à 'nova CPMF' e demissão de Marcos Cintra Novamente, em setembro de 2019, Bolsonaro e a equipe econômica voltaram a se estranhar. Após o então secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, defender a criação de um imposto sobre pagamentos semelhante à antiga CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), o presidente determinou sua demissão. "Paulo Guedes exonerou, a pedido, o chefe da Receita Federal por divergências no projeto da reforma tributária. A recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do presidente", escreveu Bolsonaro em rede social. Mesmo após o veto e a demissão de Cintra, a equipe de Guedes voltou em diversos momentos desde então a defender a criação de um imposto nos moldes da antiga contribuição. 3) 'Imposto do pecado' barrado Em janeiro de 2020, foi novamente uma questão tributária que levou Bolsonaro a contrariar Guedes publicamente. Durante sua participação no Fórum Econômico Mundial, em Davos, o ministro da Economia disse a jornalistas que havia pedido à sua equipe estudos sobre a possível criação de um "imposto do pecado", que incidiria sobre produtos considerados nocivos à saúde, como cigarros, bebidas alcoólicas e alimentos açucarados. Em resposta, Bolsonaro declarou durante viagem a Nova Délhi, na Índia, que a criação do imposto estava descartada. "Ô Paulo Guedes, eu te sigo 99%, mas aumento no preço da cerveja, não", disse o presidente. "Não tem como aumentar a carga tributária, todo mundo consome algo de açúcar", completou. 4) Lançamento do Programa Pró-Brasil Diante do início das medidas de distanciamento social em resposta ao coronavírus, o governo lançou em abril de 2020 um plano de recuperação econômica pós-pandemia chamado Pró-Brasil. Com a previsão de investimentos de R$ 30 bilhões em projetos de infraestrutura e R$ 250 bilhões em concessões à iniciativa privada, o lançamento foi realizado sem a presença de nenhum membro do Ministério da Economia. "O aspecto mais importante da coletiva de divulgação foi quem não esteve por lá: Paulo Roberto Nunes Guedes, ministro da Economia e, aparentemente, ex-'Posto Ipiranga'", escreveu à época o economista Pedro Menezes, em sua coluna no site InfoMoney. "Por enquanto, pouco sabemos sobre o futuro do Pró-Brasil, mas a crise entre o presidente e o antigo Posto Ipiranga está cada vez mais clara", observou o economista. Do programa Pró-Brasil, apresentado à época como o "Plano Marshall" de Bolsonaro — em referência ao plano dos Estados Unidos para reconstrução dos aliados europeus após a Segunda Guerra Mundial — não se ouviu mais falar. Declarações do presidente Jair Bolsonaro já despertaram várias especulações sobre futuro do ministro Paulo Guedes no governo Reuters 5) Reajuste de servidores liberado Em maio de 2020, em meio à fase mais grave da primeira onda da pandemia, dois episódios envolvendo reajustes de servidores geraram atritos entre Bolsonaro e Guedes. No primeiro deles, Bolsonaro deu aval à aprovação pelo Senado de um plano de ajuda financeira de cerca de R$ 125 bilhões para Estados e municípios com alterações que flexibilizavam a exigência de congelamento salarial do funcionalismo como contrapartida. A decisão desagradou a Guedes. "Que história é essa de pedir aumento de salário porque vai na rua exercer sua função, seja médico, policial", questionou o ministro. "As medalhas vêm depois da batalha, e não durante a guerra." Após apelo do ministro, Bolsonaro vetou o trecho da lei que tratava dos salários de servidores, congelando reajustes até o fim de 2021. Ao fim daquele mesmo mês, o presidente editou medida provisória concedendo reajuste às Polícias Civil e Militar e ao Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. Novamente, a medida contrariou o ministro. "Quando Bolsonaro diz publicamente que vai atender a recomendação técnica de Guedes e vetar a possibilidade de reajustes dos servidores, e depois deixa passar o aumento aos policiais de uma unidade da federação governada por um aliado, ele desautoriza o ministro e passa um 'sinal errado desnecessário'", escreveu à época o jornalista Marcelo de Moraes no site BR Político. 6) Renda Brasil recusado Em agosto do ano passado, a equipe econômica buscava soluções para ampliar o programa Bolsa Família após o término do auxílio emergencial criado em meio à pandemia. Uma das possibilidades considera pelo time de Guedes à época era ampliar o programa de transferência de renda através da extinção de outros programas sociais considerados menos eficientes, como o abono salarial — uma espécie de "14º salário" pago a trabalhadores com carteira assinada que recebem baixa remuneração. Esse Bolsa Família ampliado seria rebatizado de Renda Brasil. A ideia, no entanto, foi rejeitada publicamente por Bolsonaro. "Ontem discutimos a possível proposta do Renda Brasil e eu falei 'tá suspenso'. Vamos voltar a conversar. A proposta que a equipe econômica apareceu pra mim não será enviada ao parlamento. Não posso tirar de pobres para dar para paupérrimos", disse o presidente. Paulo Guedes diz que tomou ‘carrinho’ de Bolsonaro 7) 'Cartão vermelho' para a equipe econômica Em setembro, o Renda Brasil novamente gerou ruído entre a Presidência e a equipe econômica. Naquele mês, o secretário especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse em entrevista ao G1 que a área econômica estudava o congelamento por dois anos de aposentadorias e pensões e que os benefícios fossem desvinculados do salário mínimo. A economia gerada seria destinada ao financiamento do novo programa social. "Congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade", postou Bolsonaro nas redes sociais. "Quem porventura vier propor para mim uma medida como essa, eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa", acrescentou o presidente. Diante da repercussão gerada pela declaração, Guedes veio à público dizer que o "cartão vermelho" não era para ele. "Não foi para mim. Conversei com o presidente hoje cedo. Lamentei muito essa interpretação", disse Guedes. "São estudos que fazemos, estamos assessorando. Várias simulações e estudos são feitos. Tratamento seletivo da informação distorce tudo." 8) Debandada de secretários Ainda em agosto, outro episódio explicitou a dificuldade de Guedes em levar adiante sua agenda liberal. Naquele mês, os secretários especiais do Ministério da Economia Salim Mattar (Desestatização) e Paulo Uebel (Desburocratização) pediram demissão num mesmo dia. Antes deles, já haviam deixado a equipe de Guedes o então secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, e o diretor de programas da Secretaria Especial de Fazenda, Caio Megale. O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, também pediu demissão em julho. Ao deixar o governo, Salim Mattar disse que saiu do cargo porque havia falta de "vontade política" em avançar nas privatizações, principal agenda de sua pasta. "O Salim hoje me disse o seguinte: 'a privatização não está andando, eu prefiro sair'. E o Uebel me disse o seguinte: 'a reforma administrativa não está sendo enviada, eu prefiro sair'. Esse é o fato, não escondo. Houve uma debandada? Hoje houve uma debandada", disse Guedes, admitindo o pouco avanço da agenda de reformas e seu isolamento dentro do governo. Numa tentativa de reverter a imagem de que a agenda de privatizações do governo está parada, Bolsonaro entregou nesta terça-feira (23/2) uma medida provisória que busca acelerar a privatização da Eletrobras. O texto, no entanto, prevê que o governo mantenha poder de veto sobre decisões da estatal por meio de ações preferenciais, chamadas de "golden shares". Bolsonaro entrega MP ao Congresso para tentar acelerar privatização da Eletrobrás 9) Guedes preterido para agradar Trump Foram muitas as "bolas nas costas" de Guedes no segundo semestre de 2020. Ainda em setembro, o nome escolhido pelo ministro para o comando do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) foi preterido por Bolsonaro, que preferiu ouvir os conselhos do chanceler Ernesto Araújo, apoiando a indicação do americano Maurício Claver-Carone. Guedes havia indicado ao posto o nome do economista brasileiro Rodrigo Xavier, ex-presidente do UBS e do Bank of America no Brasil. A eleição do candidato de Donald Trump quebrou um pacto firmado desde a criação do BID, em 1959, de que os Estados Unidos não indicariam o presidente da entidade como uma forma de prestigiar os parceiros latino-americanos. Justamente quando seria a vez de o Brasil nomear o chefe da instituição, o Itamaraty resolveu seguir a Casa Branca, ignorando a indicação de Guedes. 10) Presidente do BB quase demitido Antes de intervir na Petrobras agora em fevereiro, Bolsonaro já havia dado em janeiro deste ano mostras do seu desejo de interferir na gestão de estatais. Naquele mês, o presidente pediu ao ministro Paulo Guedes a demissão do presidente do Banco do Brasil, André Brandão. O descontentamento de Bolsonaro foi motivado pelo anúncio do fechamento de cerca de 200 agências pelo banco e de um programa de demissão voluntária com o objetivo cortar 5.000 vagas. "Assim que recebeu a ordem para demitir André Brandão, Guedes começou a ação para reverter o pedido de Bolsonaro. Para convencer o presidente a desistir de uma nova mudança na direção do banco em menos de seis meses, pediu para [o presidente do Banco Central Roberto] Campos Neto conversar com Bolsonaro. Foi Campos quem detalhou para Bolsonaro o prejuízo que a demissão surtiria neste momento no mercado. Foi aí que o presidente recuou", reportou à época o site da rede de televisão SBT. Com a decisão de Bolsonaro de intervir na Petrobras, o mercado passou novamente a temer a demissão de Brandão. Na segunda-feira (22/2), as ações do banco estatal caíram mais de 11% diante desse temor. Nesta terça-feira, os papéis já recuperam parte das perdas.
Veja Mais

24/02 - Após 4 quedas seguidas, confiança do consumidor sobe em fevereiro
Segundo FGV, início da campanha de vacinação contra a Covid-19e a possibilidade de volta do auxílio emergencial parecem ter reduzido o desânimo do consumidor. Após 4 quedas seguidas, confiança do consumidor sobe em fevereiro Reprodução / TV Vanguarda O índice que mede a confiança do consumidor subiu 2,2 pontos em fevereiro, para 78 pontos, após quatro meses de queda consecutivas, informou nesta quarta-feira (24) a Fundação Getulio Vargas (FGV). “O início da campanha de imunização contra a Covid-19 no país e a possibilidade de reedição do auxílio emergencial parecem ter reduzido o desânimo do consumidor em fevereiro", afirmou Viviane Seda Bittencourt, Coordenadora das Sondagens. A pesquisadora destaca, porém, que os níveis de confiança continuam baixos e que a sustentação de uma tendência de alta dependerá de fatores como a velocidade da vacinação, da evolução dos números da pandemia no Brasil e, principalmente, da recuperação do mercado de trabalho, "algo difícil no primeiro semestre "considerando-se a grande dificuldade que será novamente enfrentada pelas empresas do setor de serviços, segmento que mais emprega no país”. Em fevereiro, houve melhora tanto da percepção dos consumidores em relação ao momento presente quanto das expectativas para os próximos meses. Ambos, porém, se mantém em patamar desfavorável e em nível inferior ao observado em dezembro. O Índice de Situação Atual (ISA) aumentou 1,4 ponto, para 69,5 pontos enquanto o Índice de Expectativas (IE) subiu 2,7 pontos, para 84,8 pontos. Expectativa de inflação sobe para 5,3% ao ano entre consumidores, aponta FGV Pesquisa Focus do Banco Central divulgada na segunda-feira mostrou que os analistas do mercado elevaram a estimativa de inflação em 2021 para 3,82%, acima da meta central, que é de 3,75%. Já a projeção para a alta do PIB (Produto Interno Bruto) de 2021 foi reduzida de 3,43% para 3,29%.
Veja Mais

24/02 - Economia da Alemanha termina 2020 melhor que o esperado, com tombo de 4,9%
Estimativa inicial apontava uma retração de 5% do PIB. A economia da Alemanha registrou crescimento de 0,3% no último trimestre de 2020 na comparação com o trimestre anterior, apesar das novas restrições adotadas pelo governo para combater a pandemia, anunciou o instituto alemão de estatísticas Destatis. O crescimento de outubro a dezembro superou a previsão inicial de 0,1% anunciada pelo Destatis em janeiro. No ano de 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha registrou queda de 4,9% em relação a 2019, 0,1% a menos que a estimativa inicial. A demanda interna, que tinha um papel de motor econômico antes da crise, retrocedeu tanto no consumo das famílias (-3,3%) como no setor público (-0,5%). Apenas o setor da construção conseguiu uma recuperação (+1,8%) após dois trimestres consecutivos de baixa, segundo os dados corrigidos. Estes índices decepcionantes foram compensados por uma recuperação das exportações (+4,5%), tradicional motor da economia alemã, e pela reconstituição dos estoques pelas empresas. Ao mesmo tempo, o país registrou um déficit orçamentário em 2020 de 139,6 bilhões de euros (quase 170 bilhões de dólares), resultado que ficou abaixo do valor inicialmente indicado (-158,2 bilhões de euros). Deste modo, a Alemanha interrompe uma série de oito anos de superávit. Este é o segundo déficit mais elevado desde a reunificação alemã em 1990, indicou o instituto de estatísticas em um comunicado. Diante da crise provocada pela pandemia, Berlim teve que deixar de lado seu famoso rigor orçamentário e liberou quase um trilhão de euros (1,22 trilhão de dólares) de ajudas às empresas, sob a forma de desemprego técnico, empréstimos garantidos e ajudas diretas. A Alemanha foi muito afetada a partir do outono (hemisfério norte, primavera no Brasil) pela segunda onda de contágios, que provocou a prorrogação das restrições e pode frear a dinâmica da indústria ao menos no primeiro trimestre de 2021. O banco KfW prevê um retrocesso do PIB alemão de entre -1,5% e -3% de janeiro a março de 2021. Alemanha prorroga lockdown até 7 de março
Veja Mais

24/02 - 15 empresas abrem vagas de emprego; veja lista
AutoForce, Octadesk, V4 Company, Ateliware, GetNinjas, Mobills, Evolucional, Gama Academy, 12min, Positiv.a, Track.co, HeroSpark, Unike Technologies, Gestão 4.0 e Estratégia Educacional são as empresas com vagas abertas. As empresas AutoForce, Octadesk, V4 Company, Ateliware, GetNinjas, Mobills, Evolucional, Gama Academy, 12min, Positiv.a, Track.co, HeroSpark, Unike Technologies, Gestão 4.0 e Estratégia Educacional estão com vagas de emprego abertas em todo o país. Veja mais vagas de emprego pelo país AutoForce A AutoForce está com algumas oportunidades para as áreas de Desenvolvedor Full Stack (Remoto), Analista de Conteúdo, Analista de Marketing e Social Media. Por fim, na área de vendas, está disponível uma oportunidade de Sales Development Representative (SDR). Os interessados devem se cadastrar através do link: https://jobs.kenoby.com/autoforce Octadesk A Octadesk está com oito oportunidades para trabalho remoto, mesmo após o fim do período de distanciamento devido à Covid-19. As oportunidades são para: Analista de Suporte ao Cliente, Analista de Recrutamento e Seleção, Assistente de Facilities, Engenheiro de Dados, Engenheiro de Software, Engenheiro de DevOps, Account Executive e Senior Product Manager. Os interessados devem se cadastrar através do link: https://pt.octadesk.com/vagas V4 Company A V4 Company está com 10 oportunidades em São Leopoldo, cidade do Rio Grande do Sul, e também para trabalho remoto. Entre as oportunidades estão vagas efetivas para: Banco de Talentos, Business Intelligence, Comercial/Vendas, Customer Success (CS), Time Tech, Financeiro e Marketing. Os interessados devem se cadastrar através do link: https://v4company.gupy.io/. Ateliware A ateliware está com quatro oportunidades de trabalho de forma remota e presencial. As vagas são para as áreas de: Elixir Software Engineer, Software Engineer (Sênior/Pleno/Júnior) e Ruby Software Engineer. Os interessados nas oportunidades de emprego devem se cadastrar através do link: https://ateliware.solides.jobs/ GetNinjas O GetNinjas está com 14 vagas na modalidade remota e presencial para as áreas de Tecnologia, Customer Service, Design, Data e Produto. As oportunidades são para os cargos de Product Manager, Especialista em Pricing, Engenheiro de Qualidade de Software (QA), Engenheiro DevOps, Design System, Desenvolvimento Front End, Desenvolvedor back-end, Atendimento ao Cliente, Analista de Suporte, Analista de Relacionamento, Analista de Qualidade, Analista de Prevenção a Fraude, Administrador de Banco de Dados e Supervisão de Prevenção a Fraude. Os profissionais interessados podem encontrar mais detalhes e informações de como se candidatarem no seguinte link: https://getninjas.breezy.hr/ Mobills A Mobills está com nove vagas para atuação de forma remota. As oportunidades são para as áreas de desenvolvimento, CRM, performance e segurança da informação. Os interessados podem mandar seus currículos no site: https://www.mobills.com.br/vagas/ Evolucional A Evolucional busca por dois desenvolvedores sênior Back-end e Front-end, para atuarem em Campinas (SP). É desejável experiência Angular, AWS e WebAPI (Back-end), e WebAPI e React (Front-end). Também para Campinas, a edtech seleciona outros dois profissionais: um diagramador e um redator de matemática. Há também duas vagas para Consultor Comercial para atuar no estado de São Paulo e região Sul, e outra na região Nordeste. Os interessados deverão enviar currículo para talentos@evolucional.com.br e colocar no assunto a vaga pretendida. Gama Academy A Gama Academy está com duas vagas remotas, para Content Manager Sênior e Pessoa Desenvolvedora - Mobile Sênior. Entre os principais requisitos estão avançada experiência com Javascript / Node.js; Styled Components; arquitetura de projetos frontend / react native, entre outras expertises. Os interessados deverão se inscrever pelo site: https://site-v1.gama.academy/carreiras/ 12min O aplicativo 12min seleciona profissionais para quatro vagas, todas remotas: Coordenador de Performance para mídia paga, Desenvolvedor back-end, Designer UI/UX e Customer Success. Os interessados podem enviar currículo para jobs@12min.com. Positiv.a A Positiv.a tem duas vagas para as áreas de desenvolvimento tecnológico e garantia de qualidade. Os candidatos devem acessar: https://conteudo.positiva.eco.br/pt-br/vagas-positivas Track.co A Track está com três vagas abertas em Belo Horizonte. As oportunidades são para Desenvolvedor Backend, Desenvolvedor Frontend, Analista de Inteligência de Mercado e Técnico de Suporte. Os profissionais interessados podem encontrar mais detalhes no seguinte link: https://jobs.track.co/ HeroSpark A HeroSpark está com 18 processos seletivos abertos no Paraná. As oportunidades são para os cargos de Front and Developer, Back end Developer e Engenheiro de Dados. Os interessados podem encontrar mais detalhes através do link: https://herospark.abler.com.br/ Unike Technologies A Unike Technologies está com algumas oportunidades para as áreas de Inteligência artificial, Machine Learning e Visão Computacional. Com sede na cidade de São Paulo, a startup busca pessoas com o perfil contendo: Inglês avançado; conhecimento dos fundamentos específicos de Inteligência Artificial, Machine Learning, Deep Learning, Otimização, processos estocásticos, teoria da probabilidade, inferência, estatística multivariada; Experiências e/ou Qualificações em conhecimento e vivência de machine learning, data science, spark, tensor flow, python, Rasa, Weka, Orange e correlatos; Softwares estatísticos (Data Science Platforms), tais como: SAS, SPSS, Knime, Rapid Miner, Matlab; Boas práticas de desenvolvimento e metodologias; Conhecimentos em aplicações, APIs; Utilização de plataforma/serviço Cloud e repositório de códigos fonte. Informações pelo link https://unike.tech/ Gestão 4.0 O Gestão 4.0 está com 13 oportunidades de trabalho com opções de trabalho em São Paulo e remoto. As vagas disponíveis são para as funções de Analista de Marketing Financeiro, Assistente de atendimento, Assistente Financeiro, Banco de Talentos, Business Development, Coordenador de Eventos, Estagiário de atendimento, Executivo de vendas, Product Manager, Representante de Desenvolvimento de vendas, Social Media e VideoMaker. A inscrição é feita através do link: https://gestao40.gupy.io/ Estratégia Educacional A Estratégia Educacional busca por profissionais para diversas áreas para atuar remotamente: Analista de Mis, Analista de Social Media Pleno, Designer Junior, Analista de Perfomance Marketing Pleno, Supervisor de Atendimento ou Vendas, Consultor de atendimento e Consultor de vendas. Os currículos devem ser encaminhados para rh@estrategiaconcursos.com.br. Assista a mais notícias de Economia:
Veja Mais

24/02 - Hackers chineses 'clonaram' ferramenta de ataque de hackers americanos, diz empresa
Quando foi usado, software explorava falha sem correção no Windows e ainda não tinha sido vazado na internet. Semelhanças técnicas em códigos de ataque indicam que hackers chineses podem ter obtido acesso a ferramenta desenvolvida por grupo americano. Alfred Muller/Pixabay A empresa de segurança Check Point divulgou um relatório técnico apontando que hackers chineses obtiveram uma ferramenta de ataque secreta desenvolvida por um grupo de ciberespiões do governo dos Estados Unidos, clonaram a funcionalidade do software e então o utilizaram em suas próprias invasões. Segundo os especialistas, o coletivo de hackers chineses, identificado pelos codinomes "APT31" e "Zirconium", começou a explorar uma vulnerabilidade no Windows em 2015. As características desse código de ataque, que recebeu o nome de "Jian" indicam que os invasores basearam o programa no "EpMe", uma ferramenta do grupo de ciberespiões "Equation". Embora não haja confirmação oficial, o Equation é vinculado ao governo norte-americano. A conexão foi estabelecida quando o aparato do grupo vazou na internet entre 2016 e 2017, permitindo que pesquisadores identificassem semelhanças com a documentação técnica revelada por Edward Snowden, que foi colaborador da Agência de Segurança Nacional (NSA). Snowden, porém, não foi o responsável pelo vazamento dos programas. Eles foram colocados na web por uma facção de origem desconhecida chamada "Shadow Brokers". Alguns especialistas especularam que o vazamento foi uma operação russa para constranger as autoridades americanas, mas os "Shadow Brokers" tiveram uma atuação breve e específica, o que dificulta sua associação com qualquer grupo conhecido de invasores. A utilização do código de ataque chinês "Jian" em 2015, antes desse vazamento do Shadow Brokers, levanta a possibilidade de que a ferramenta de ataque "EpMe" do Equation já tinha sido obtida por outros hackers antes do pacote completo ser publicado na internet. Em outras palavras, é possível que dois grupos diferentes tenham obtido acesso indevido aos programas de ataque do Equation. O "EpMe" faz parte de um conjunto de ataque chamado de "DanderSpritz". Ele é utilizado para burlar as restrições de acesso em sistemas Windows, garantindo o controle total do computador mesmo quando a invasão só obteve acesso limitado ao alvo. A brecha foi corrigida pela Microsoft em 2017 após ser comunicada do problema pela Lockheed Martin, uma importante fornecedora do complexo militar-industrial norte-americano. Não se sabe como os hackers do Zirconium obtiveram o acesso à EpMe para clonar a ferramenta. A Check Point levantou três hipóteses: O código foi capturado pelo Zirconium durante uma operação do grupo Equation contra um alvo chinês (esta hipótese supõe que os hackers do Zirconium tiveram acesso à investigação do ataque do alvo na China). O código foi capturado durante uma operação do Equation contra algum outro alvo que também estava sendo monitorado pelo Zirconium, ou seja, ambos os grupos tiveram um alvo em comum, o que levou ambos a visualizarem a atividade um do outro. Os hackers chineses atacaram a infraestrutura usada pelo Equation, o que permitiu o roubo direto dos programas. Este caso não seria único: acredita-se que os Shadow Brokers tenham obtido as ferramentas do Equation dessa forma. Códigos de ataque governamentais A clonagem do código do Equation é um exemplo de como programas de ataque desenvolvidos para operações de espionagem podem sair do controle dos seus operadores. Mas não é a primeira vez que o Equation contribui, sem querer, com outros grupos de ciberespiões. O vazamento das ferramentas do Equation realizado pelo "Shadow Brokers" também fez parte da epidemia do vírus de resgate WannaCry em 2017. Um dos programas no pacote explorava uma brecha grave no Windows e foi aproveitado para a criação do WannaCry, sendo determinante para que o vírus atingisse centenas de milhares de computadores. A brecha explorada pelo programa foi mantido em segredo até um mês antes da divulgação das ferramentas do Equation, o que encurtou o prazo que administradores e usuários tiveram para aplicar a correção e imunizar seus sistemas contra o ataque. No caso da EpMe, o Equation teria começado a usar a ferramenta em 2014. A falha permaneceu desconhecida do público até 2017, quando a Microsoft criou uma atualização para imunizar o Windows. Nesse intervalo, o grupo chinês Zirconium teria pegado carona no código e iniciado seus próprios ataques em 2015. Ainda que não seja possível saber quem foi atacado pelo grupo APT31, a pesquisa da Check Point aponta que havia pelo menos dois grupos de hackers explorando a mesma brecha – e nenhum deles comunicou o problema à Microsoft. Hackers atacam empresa de segurança digital FireEye com técnicas 'nunca antes vistas' e roubam códigos de invasão Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Saiba como se proteger de vazamentos de dados Veja 5 dicas para sua segurança digital: 5 dicas de segurança para sua vida digital Assista a mais vídeos para se manter seguro na internet:
Veja Mais

24/02 - Veja as vagas de emprego em Petrolina e Salgueiro nesta quarta-feira
Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco Heloise Hamada/G1 Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta quarta-feira (24) em Petrolina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE
Veja Mais

24/02 - Emprego: confira 241 vagas ofertadas em 20 municípios de Pernambuco nesta quarta
Há, entre as oportunidades disponíveis através da Agência do Trabalho, vagas para soldador, padeiro, pedreiro, auxiliar de limpeza, eletricista, auxiliar administrativo, entre outros. Confira vagas de emprego disponíveis nesta quarta-feira Profissionais que estão em busca de uma oportunidade de emprego têm 241 vagas disponíveis através da Agência do Trabalho, da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq), em 20 municípios do estado, nesta quarta-feira (24) (veja vídeo acima). Entre as oportunidades há 23 vagas para o cargo de ajudante de carga e descarga de mercadoria no Recife e outras 15 para servente de obras em Vitória de Santo Antão. Também há oportunidades para os cargos de técnico em segurança do trabalho, leiturista, vendedor pracista, padeiro, churrasqueiro, gerente de produção, entre outros (confira lista completa mais abaixo). Do total de oportunidades, seis vagas são temporárias Aline Rickly / G1 Há vagas no Recife (67), Arcoverde (2), Belo Jardim (1), Bezerros (6), Cabo de Santo Agostinho (9), Camaragibe (5), Caruaru (45), Garanhuns (7), Escada (1), Goiana (2), Igarassu (1), Ipojuca (13), Palmares (11), Paudalho (4), Petrolina (9), São Lourenço da Mata (1), Salgueiro (5), Santa Cruz do Capibaribe (11), Serra Talhada (8) e Vitória de Santo Antão (33). Os interessados devem procurar uma das Agências do Trabalho do estado. O atendimento ocorre preferencialmente com agendamento, feito pelo site da secretaria ou pelo Portal Cidadão. Vagas de emprego Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias VÍDEOS: Mais assistidos de Pernambuco nos últimos 7 dias
Veja Mais